Opiniões

Movimentos jurídicos desfavoráveis a Rosinha no TJ (Reda) e no TSE (Aime)

Nas movimentações jurídicas entre o final da última semana e o começo desta, os ventos parecem não soprar favoráveis aos Garotinho, em que pese o amplo favoristismo eleitoral da prefeita Rosinha (PR) em todas as pesquisas ao pleito do mês que vem. Aqui, segundo informou o jornalista Alexandre Bastos, a desembargadora Inês da Trindade, do Tribunal de Justiça (TJ) do Estado do Rio, negou pedido de suspensão à decisão de primeira instância que considerou ilegal a contratação de todos os servidores terceirizados sob o regime do Reda. Até que o recurso seja julgado pelo plenário do TJ, é ilegal a manutenção de todos os 1.793 contratados do Reda (sem contar aqueles que atuam na Sáude, cujos números ainda não foram divulgados pela Prefeitura), bem como seu pagamento por qualquer serviço prestado ao arrepio da decisão judicial.

Embora divulgada apenas hoje, a decisão da desembargadora é do último dia 6. Não bastasse, no dia seguinte, em pleno feriado de 7 de setembro, a Procuradoria Geral Eleitoral (PGE) interpôs um agravo regimental no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), para que a condenação de Rosinha na Ação de Impugnação de Mandato Eletivo (Aime), uma das duas que a tornam inelegível pela lei do Ficha Limpa, seja julgada pelo plenário da instância máxima da Justiça Eleitoral brasileira, no lugar de tornada nula e remetida à sua origem, na 100ª Zona Eleitoral de Campos, como a ministra substituta Luciana Lóssio decidiu numa decisão monocrática e inesperada, em 24 de agosto último, apenas um dia depois do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) ter indeferido o registro de candidatura da prefeita de Campos. Divulgado aqui, em primeira mão, pela blogueira Gianna Barcelos, o movimento da PGE foi ecoado aqui pela jornalista Suzy Monteiro.

Embora não alheio a tudo isso, mas fazendo seu trabalho (sempre competente) na defesa de Rosinha, o ex-procurador geral de Campos, Francisco de Assis Pessanha Filho, anunciou aqui, em seu blog, que o recurso no TSE pelo deferimento da candidatura de Rosinha já está nas mãos do ministro Marco Aurélio de Mello, aquele mesmo que ficou famoso por libertar e permitir a fuga do banqueiro Salvatore Cacciola. A informação também foi replicada aqui, no Blog do Bastos.

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 4 comentários

  1. Gente! Esse ministro não é o que votou contra a ficha limpa? Como pode decidir algo qui ele é contra? So os garotinhos conseguem uma coisa dessa não é verdade? Depois vai falar assim: que não ganhamos no tapetão, mais no voto. HAHAHAHAHA… É uma pena que nenhuma lei neste pais tenha valor, assinamos varias vezes manifestos e baixa assinados para nada. Paciencia é o Brasil. é Campos dos Garotynhos.

  2. Quem comete crimes tem que pagar. O povinho tem que acordar que Campos não pode ser uma ilha com leis “diferentes” daquelas criadas para a população do Brasil inteiro. E os animados com o Reda tem todo direito de entrar no serviço público, pelo concurso também público ! Direitos criados na cabeça do povo para formação de grupo pró reeleição tem que ser combatidos porque são praticas eleitoreiras daqueles que perigosamente se elegem e não se enquadram em fazer política limpa e legal.

  3. Não VOTE em quem ESTÁ com a FICHA SUJA,teu voto pode se tornar NULO.Você tem ótimas opções.
    Espere limpa-la

  4. E espero em Deus que essas decisões permaneçam para que a cidade viva livre da Escravidão causada pelos Garotinhos.

Deixe uma resposta

Fechar Menu