Opiniões

Abandono leva Clube de Atafona a risco de transmissão de dengue

(Foto de Aluysio Abreu Barbosa)
(Foto de Aluysio Abreu Barbosa)

No último domingo, caminhando entre as dunas de Atafona, o blogueiro flagrou e fotografou o quadro de completo abandono das piscinas do Atafona Praia Clube, cuja aparência, com águas paradas, verdes e fétidas, indicam ser lugar mais que propício à proliferação do mosquito Aedes aegypt, transmissor da dengue. Hoje, segundo informaram o coordenador de Vigilância em Saúde, Márcio Martins, e a diretora do Núcleo de Controle de Zoonoses de São João da Barra, Vera Cardoso de Melo, o perigo de proliferação do mosquito da dengue estaria sob controle, já que a Prefeitura, trimestralmente, aplica nas piscinas o inseticida Natular DT, fabricado nos EUA, na forma de pastilha. Márcio destacou possuir 136 agentes de combate à dengue no município, reunidos toda quinta-feira em forma de mutirão numa comunidade, com ações que levariam São João a ter, até o presente momento, apenas sete casos confirmados de dengue em 2013.

Vera também ressaltou que a situação sanjoanense, apesar da proximidade física, é bem menos grave do que a de Campos, que tem 4.008 casos e epidemia da doença decretada pelo Estado. Ainda assim, em relação ao abandono das piscinas do Clube de Atafona, ela é de opinião de que algo mais radical teria que ser feito:

— O mais correto ali seria colocar pelo menos um metro de areia em cada piscina, suficiente para absorver a água da chuva. O problema é que se trata de uma propriedade privada, que tem donos, só que esses donos nunca aparecem. Mora lá um responsável, um antigo funcionário do Clube, que abre a porta e acompanha os agentes para a colocação de inseticida. Antes, cheguei a colocar tilápias nas piscinas, já que os peixes comem a larvas do mosquito. E o que fizeram? Pescaram as tilápias e comeram. Acho que o Ministério Público, que sempre tem sido parceiro nas ações de combate à dengue na região, sobretudo na figura do Dr. Marcelo Lessa, poderia tomar uma providência mais enérgica.

Câmara — Autor do projeto de lei nº 019/13, que institui estado de alerta contra a dengue e dispõe sobre a prevenção e o controle da transmissão e a atenção primária à saúde nos casos de dengue no município, aprovado no dia 25 pelo Legislativo de São João da Barra (conforme informou aqui o blogueiro Cláudio Andrade), seu presidente, o vereador vereador Aluízio Siqueira (PMDB),  também é favorável a se dar uma solução definitiva ao risco de proliferação da dengue nas piscinas do Atafona Praia Clube:

— Um vizinha do Clube trouxe ao meu conhecimento a denúncia do abandono das piscinas, através do facebook, e eu estive no local. Liguei para o Márcio e a Vera, que me garantiram que, através da aplicação de inseticida, a situação estava sob controle. Mas a solução mais eficaz, certamente, seria a colocação de areia nas piscinas.

Do apogeu ao abandono — Fundado na década de 50 do século passado, num projeto encabeçado pelo comerciante Pedro Kupratichini de Carvalho, pelo industrial Hugo Aquino e pelo proprietário rural Olivier Cruz, todos campistas, o Atafona Praia Clube teve seu auge nos anos 70 e 80. Até a década seguinte, suas atividades sociais, eventos e famosos bailes de carnaval, ainda rivalizavam com o Clube de Grussaí, na praia vizinha. A partir do avanço do mar, no final de 2007, sobre os fundos das suas instalações, justamente onde estão as piscinas, o imóvel foi condenado ao abandono. Já nesta fase decadente, seu último presidente foi José Dalton de Souza Pinto.

Longe de ser um problema novo, o abandono do Clube e os riscos de transmissão da dengue nas águas paradas das suas piscinas, vem sendo denunciado aqui, pelo jornalista da Folha João Noronha, em seu blog “Vento nordeste”, desde novembro de 2011.

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 5 comentários

  1. Bem que a Prefeitura de São João da Barra poderia desaproprias o imóvel e alí fundar o clube dos servidores municipais. O prefeito Neco ganharia elevado prestígio junto aos servidores. Pelo abandono que se encontra o prédio a Prefeitura pouco desembolsaria na desapropriação.

  2. Ora, fazem o tal projeto de lei nº 019/13, mas, quem pode entender as coisas que acontecem em São João da Barra?
    Na Rua “Projetada F”, ou Elias Beirute, apareceu uma agente do CCZ. Mostrei a ela uma casa onde há uma “piscina” (um tanque ajulejado) coberto com um plástico preto, mas cheio dágua.

    O local estava cheio de larvas de mosquito! A agente do CCZ pulou o muro e colocou 60 pastilhas. Até aí tudo bem. Perguntei a mesma se o morador não deveria ser notificado para que esvazie a “piscina” e ela disse que “o CCZ não tem este tipo de atuação”.

    Argumentei sobre a casa de número 34, da mesma rua, que frequentemente esvazia a piscina ( e agora, piscina mesmo, olímpica) em plena rua, formando enormes poças, e isto todas as semanas. A resposta foi a mesma!

    Ora, entendo se há uma epidemia, e algum morador contribui pelo desleixo, se omitindo em proteger o ambiente, está colocando a todos em risco, e isto é CRIME.

    Não poderia, no caso, o CCZ, como “Centro de Controle”, notificar ou informar a alguma entidade para que tome as necessárias providências? Ou é tudo apenas uma “questão estatística”?

  3. Correção: Onde escrevi “ajulejado”, leia-se azulejado.

    Em tempo: Há outros moradores que “esvaziam” suas piscinas no leito da rua! É só querer ver e agir, caso a intenção seja mesmo evitar uma epidemia!

  4. Concordo com o Sávio sempre com os seus comentários valiosos e pertinentes! O comentário do Cláudio que apresentou uma solução que acredito ser viável .
    Dra Vera Cardoso de Melo e uma excelente e competente em suas funções a que lhe cabe e parabenizo em muito quando esteve a frente do CCZ Campos!
    Pergunto se os proprietários a qual se refere o Sávio nao estao se preocupando ai e complicado e como relata o blogueiro Aluysio realmente um Clube que esteve no auge e hoje jogado ao descaso, quantos bailes freqüentei década de setenta com a maravilhosa banda do Nelsinho Memeia que lotava o clube e se nao me falha a memória a banda misto quente!
    Abs e que se apresente os responsáveis pelo os escombros!

  5. Q ue pena tanta criança que poderia ser no futuro um atleta bem sucedido ,tanto professor desempregado,tanta criança sem ter o que fazer entregue as drogas E UM LUGAR EXCELENTE PARA A PRATICA DE ESPORTES ABANDONADO.Isto e que e FALTA de visao politica,o resto e brincadeira.

Deixe uma resposta

Fechar Menu