Artigo do domingo — O vendedor de ilusões

vendedor de ilusões

 

 

Economistas e analistas políticos Wilson Diniz e Ranulfo Vidigal
Economistas e analistas políticos Wilson Diniz e Ranulfo Vidigal

Por Wilson Diniz e Ranulfo Vidigal

 

Recorremos ao filósofo plebeu Antístenes (440 – 365 a.C.) discípulo de Sócrates para tentar explicar o caso patológico do ator político e secretário de Governo de Campos, que implantou na localidade o modelo de Hugo Chávez e de Nicólas Maduro, falindo a cidade que possui um dos 20 maiores orçamentos entre os municípios brasileiros.

Para o filósofo, a glória e a fama são ilusões criadas pela sociedade que destroem a liberdade das pessoas, fazendo com que elas se tornem escravas dessas ilusões. Nosso personagem vende ilusões e fantasias políticas, tornando refém do seu modelo de governo uma massa do tecido social de pobres, sem escolaridade, com seus programas populistas de transferência de renda, sem priorizar a geração de uma única vaga de emprego na indústria campista.

Há 30 anos, através do Muda Campos prometeu romper com a oligarquia dos donos da cana de açúcar. Passados anos, entretanto, implantou uma oligarquia familiar mais severa. Brinca com o poder em rotatividade de governança, passando o comando da cidade para sua mulher e para amigos “confiáveis”.

As finanças do município desde 2009 fotografam o fracasso de seu modelo populista de Hugo Chávez. Até 2014, as receitas superaram cifras astronômicas. Mais de R$ 17 bilhões, sendo 84% de transferências governamentais com os repasses dos royalties ultrapassando mais de R$ 1 bilhão por ano.

Hoje, passado quatro meses do ano, as contas da Prefeitura mostram o quadro caótico das finanças publicada no Diário Oficial. Com todas as receitas de seis anos sem crise do preço do barril do petróleo, o município está endividado em mais de R$ 560 milhões e atrasa, sistematicamente, seus compromissos com fornecedores, prestadores de serviços e empreiteiras, conforme constatado pela Folha da Manhã.

Mantendo o orçamento municipal dependente de uma commodity instável e sujeita ao jogo geopolítico internacional, o secretário “salvador da pátria” assusta-se com a queda real de sua receita orçamentária em 30%, nesse primeiro quadrimestre de 2015. Isso forçou um redirecionamento do gasto, com queda nos investimentos públicos da ordem de 60%, bem como de quase 40% no custeio da pesada máquina eleitoral.

Em 2014, o atual secretário da Prefeitura quebrou a estrutura financeira do município. Pegou empréstimo de R$ 250 milhões no Banco do Brasil aceitando pagar cerca de R$ 50 milhões em encargos financeiros, na finalidade de cobrir os descasos no manejo das contas para financiar sua ambição desmedida de chegar ao Palácio Guanabara.

Para completar o quadro de falência, tenta impor às futuras gerações uma pesada herança. Pretende contrair uma nova antecipação de receitas, depois da sessão polêmica de aprovação na Câmara dos Vereadores (aqui, aqui e aqui). Supondo que o montante da operação atinja R$ 1 bilhão, para pagar volumosas dívidas acumuladas desde 2014, uma simples pesquisa junto à rede bancária revela um custo dessa operação de aproximadamente 30% ao ano (R$ 300 milhões) — valor que forçará o próximo dirigente municipal a ficar sem qualquer possibilidade de manejo orçamentário, já em 2017, a não ser por um aumento brutal de impostos municipais como IPTU e ISS.

Nesse contexto preocupante, um despertar coletivo tende a fortalecer o processo de mudança política na capital do petróleo. Aliás, esse quadro já foi retratado pela Folha da Manhã com a publicação de pesquisas de opinião pública (aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui e aqui), dos institutos Pappel e Pro4, realizadas em abril no município.

A solução passa por superar o modelo venezuelano vigente. Campos paga preço alto em ter no comando da cidade um vendedor de ilusões, que no rádio, com sua retórica sofista recheada de clichês, ludibria a população mais carente da cidade distribuindo benesses à custa do cidadão comum, que paga uma salgada conta nessa crise que se arrasta e assusta a todos.

 

Publicado hoje na Folha da Manhã

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 5 comentários

  1. Wilson

    Isto ai Dr., a democracia é apenas a substituição de alguns corruptos por muitos incompetentes.

  2. HUGO ALMEIDA

    Isto tudo é muito preocupante, principalmente em relação aos próximos anos!
    Sabe-se lá, quantas novas oportunidades o Município irá perder, pela falta de investimentos, principalmente em infra-estutura. Nosso Município anda na contramão da modernidade! Por exemplo, a absurda “municipalização do Aeroporto Bartolomeu Lizandro”!Enquanto nas capitais de grandes centros ocorre a privatização, aqui ocorre a ‘municipalização’, na mesma cidade que não teve capacidade nem visão estratégica de melhorar o transporte público!
    Quem lida com conhecimentos técnicos e estratégicos de médio e longo prazo, sabe que tal aeroporto faz parte de um projeto maior, que envolve conexão com o Porto através de ferrovia e ainda um entroncamento com a estrada Rio-Vitória!

    Mas, a sina deste ‘casal’ é sempre destrutiva! No enorme terreno que havia exatamente em frente ao Aeroporto, ali do lado do Fly Motel, a Prefeita que era Governadora na época, se apoderou da área e enfiou um monte de “casas de 1 real”, onde inclusive, mais uma vez, não preparou a infraestrutura, e até hoje, os dejetos deste “bairro” são lançados in natura, nos brejos, de “quebra” liquidando com a Lagoa das Pedras.

    Há, pois, uma “sina” deste casal em manter este Município refém da miséria, ingrediente necessário para manter a população de oprimidos mantidos maquiavelicamente como uma multidão de cooptados.

  3. Paulo Sa

    Lula para Crivela: Esse cara (Garotinho) é um mentiroso.
    Ex-vereadora, Odisséia Carvalho: Garotinho é o maior mentiroso que eu já vi!
    A lista dos que já chamaram Garotinho de mentiroso é muito extensa, por isso, vamos ficar com os exemplos acima.
    Essa é a questão central: Há cerca de trinta aos, o povo de Campos é refém das mentiras e das (trecho excluído pela moderação) de Garotinho. Foi nas asas da mentira, que alçou voo aos diversos cargos públicos que ocupou, menos o atual, que ganhou de sua consorte, Rosinha.
    Se estamos sob a ditadura de um mentiroso, estamos sob o domínio de (trecho excluído pela moderação), que é o “pai da mentira”. Essa é a explicação para o quadro de “corrupção” e de “violência”, que grassa em nossa cidade.
    “Viu o SENHOR que a maldade do homem havia se multiplicado
    na terra, e que era continuamente mau todo desígnio do seu coração”.
    “Então, se arrependeu o SENHOR de ter feito o homem na terra, e teve o coração ferido de íntima dor”.
    “E disse Deus: Exterminarei da superfície da terra o homem que criei, e com ele, os animais, os répteis e as aves dos céus, porque EU ME ARREPENDO DE OS HAVER CRIADO”.
    “Noé, entretanto, encontrou graça aos olhos do SENHOR”.
    “Essa é a história de Noé. Noé era um homem justo e perfeito no meio dos homens da sua geração. Ele andava com Deus”.
    “A terra corrompia-se diante de Deus e enchia-se de violência”.
    “Deus olhou para a terra e viu que ela estava corrompida: Toda a criatura seguia na terra o caminho da corrupção”.
    “Então Deus disse a Noé: Eis chegado o fim de toda criatura diante de Mim, pois eles encheram a terra de violência. Vou exterminá-los juntamente com a terra”.
    (Gn 6,5-9; 11-13).
    Portanto, estamos sob “trevas” e só sairemos dessa situação se nos livrarmos da “mentira” que o grupo político que governa a nossa cidade dá sustentação. Eles estão a serviço de (trecho excluído pela moderação) e para confundir os incautos, se travestem de “evangélicos”, posto que, quem segue a Palavra de Deus, não mente, não (trecho excluído pela moderação), não engana, não (trecho excluído pela moderação).
    Não podemos esperar até as eleições de 2016, para nos livrarmos dessa máquina (trecho excluído pela moderação), que ameça destruir a nossa cidade, através da dilapidação do erário municipal. Temos que ir para as ruas-já! E exigirmos o afastamento da prefeita Rosinha e do seu vice, Dr. Chicão, porque ele dará continuidade a obra dela, ou melhor, do seu consorte, Garotinho, que é o prefeito de-fato do nosso município.
    Se a prefeita não sabe do que acontece no seu governo, não está apta para o exercício do cargo que lhe foi delegado pelo povo e ela o transferiu ao seu marido, Garotinho, sem consultar os seus próprios eleitores, que em sua maioria, não concorda com o que ela está fazendo: Entregar o futuro da nossa cidade e das nossas futuras gerações, a um criminoso, com uma extensa ficha criminal e um várias condenações pela justiça estadual, inclusive, como chefe de quadrilha de policiais…

  4. Alexsandro

    Perfeito Texto !

    Bem explanado.. Só não entende se tiver levando algum pão velho pra casa… Pq dinheiro não se ganha com essa (trecho excluído pela moderação) !!!

    A tragédia campista, destruidor de coisas, destrói tudo pra se manter no poder…

  5. Sandra Machado

    Apaixonada por Ranulfo Vidigal.Eita homem inteligente e corajoso

Deixe um comentário