Desejo de mudança em 2016 cresce e chega à periferia

(Infográfico de Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)
(Infográfico de Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

Por Suzy Monteiro, Aluysio Abreu Barbosa e Alexandre Bastos 

Com o governo Rosinha Garotinho (PR) considerado ruim (17,6%) ou péssimo (35,7%) para mais da metade (53,3%) da população campista, na qual 75,2% não aprovam a maneira como o município vem sendo gerido e 77,2% não confiam na prefeita, não é preciso ser especialista em pesquisas para concluir que o eleitor está ávido de mudanças em Campos. Mas como medir esse desejo de ruptura com o mesmo modelo que governa a cidade há 26 anos, desperdiçando no período os bilhões recebidos em royalties, mas ainda assim autorizado numa sessão tumultuada da Câmara a avançar também sobre as receitas futuras, num empréstimo defendido a ferro e fogo pelo secretário de Governo Anthony Garotinho (PR), mesmo condenado por 86,5% do eleitorado — quase nove entre cada 10 campistas? Segundo a mesma pesquisa do instituto Pro4 que revelou todos os números anteriores, através de entrevistas detalhadas com 426 pessoas, entre 18 a 22 de junho, nada menos do que 93,3% dos eleitores querem mudança. E 82% deles exigem que o próximo prefeito mude tudo (45,1%) ou muita coisa (36,9%) em relação ao que os Garotinhos fazem hoje em (ou com) Campos.

Se 11,5% dos campistas disseram querer poucas mudanças do seu próximo governante, enquanto o volume morto de 4,7% expressou desejo pela total continuidade, o que mais marca na nova consulta do Pro4, sobretudo na comparação com a anterior, feita em abril, é a velocidade no desgaste do governo Rosinha Garotinho. Nesse período de apenas dois meses, os que cobram mudança total do sucessor da prefeita avançaram impressionantes 11,3 pontos percentuais: de 33,8%, aos 45,1% atuais.

No mesmo curto espaço de tempo, aumentou também aqueles que querem muitas mudanças do próximo governo municipal: de 32,9% para 36,9%. Revelando o processo de erosão acelerado dos Garotinhos, de abril a junho só diminuíram os campistas que desejam poucas mudanças (de 18,3% para 11,5%) ou a total continuidade (de 11,3% aos minguados 4,7% de hoje) entre Rosinha e quem sucedê-la no cargo.

Pormenorizada em todas as sete Zonas Eleitorais (ZEs) do município, a pesquisa mais uma vez mostra que o desgaste aos Garotinhos não é mais exclusividade da classe média instalada nos bairros centrais de Campos, que historicamente sempre foi refratária ao casal e sua política. Bem verdade que as duas ZEs da chamada de “pedra” apresentam os maiores percentuais dos eleitores que almejam mudança total do governo Rosinha: 67,2% na 98ª (área urbana da Beira Valão em direção a São Fidélis) e 47,8% da 99ª (do Centro em direção à Lapa e ao Turfe Clube).

Entretanto, nas ZEs cujos eleitores lideram os que querem mudar muita coisa do atual modelo político e administrativo instalado na cidade, lideram os 47,4% da 249ª (Turfe em direção ao Jockey Club, Penha, Paeque Aurora e IPS), seguidos pelos 40,8% da 76ª (Guarus do Jardim Carioca ao Parque Prazeres). Na ponta oposta, mas a endossar o mesmo raciocínio, o menor índice entre quem deseja a total continuidade das práticas do governo Rosinha foi registrado no volume morto de 1,3% na 129ª ZE (parte de Guarus em direção a Serrinha, lagoa de Cima e Outeiro). Reduto dos Garotinhos desde sua ascensão ao poder, em 1989, a periferia de Campos hoje é palco do seu desgaste.

 

Vereadores Mauro Silva (PT do B), Nildo Cardoso (PMDB) e Jorge Magal (PR)
Vereadores Mauro Silva (PT do B), Nildo Cardoso (PMDB) e Jorge Magal (PR)

 

Vereadores falam sobre “venda do futuro”

Pesquisa do Instituto Pro4, feita entre os dias 18 e 22 de junho, com 426 pessoas de todas as sete Zonas Eleitorais (ZEs) do município, mostra que 88,5% dos campistas acha que o governo Rosinha Garotinho está errado ao fazer o empréstimo. Apenas 9,6% acreditam que a prefeita está certa, enquanto 1,9% não souberam ou quiseram responder. Os resultados do levantamento sobre a “venda do futuro” foram publicados na edição de ontem da Folha e comentado por vereadores. A “venda do futuro”, como está sendo chamada a autorização à prefeitura para tomar empréstimos dando como garantia os royalties, foi aprovada dia 10.

Líder da bancada governista, o vereador Mauro Silva (PT do B) ressaltou que não conhece os métodos da pesquisa, mas acredita que a população pode não ter sido explicada corretamente sobre a importância da operação.

— Desconheço a metodologia, mas, partindo do princípio que ela esteja certa ou errada, pode ser que tenha faltado à Câmara se expressar da importância dessa operação. Se a gente não equacionar o presente não chegaremos ao futuro. Todos os municípios produtores e 13 estados já estão se movimentando para antecipar os royalties. Ninguém viu outra alternativa. E, talvez, em curto prazo, a população não esteja entendendo — disse.

Líder da oposição, Nildo Cardoso (PMDB) afirmou que os 88,5% refletem o que realmente pensa a população de Campos: “Eles não concordam com essa lei que reflete o desespero do governo em tentar concluir as obras em andamento e as executadas e não pagas. E pior, o governo não vai conseguir banco no Brasil para fazer. Está aparecendo um banco dos Estados Unidos e um europeu para negociar com a Prefeitura. Lá na frente quem vai pagar a conta é o povo”, afirmou.

O independente Jorge Magal (PR) disse: “A pesquisa mostra o retrato do momento. A classe política, de uma forma geral, está muito desgastada. Mas em relação a Campos, podemos dizer que o povão começou a demonstrar a sua insatisfação. Se antes a rejeição era maior na classe média, agora podemos notar que as classes mais populares começam a revelar a insatisfação. Como ando pelos ruas e escuto o povo, posso dizer que essa mudança ocorreu muito rápido”, disse.

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 4 comentários

  1. Murilo Saviano

    Inventaram o (trecho excluído pela moderação) a longo prazo! Não bastasse a (trecho excluído pela moderação) atual! Não dá mais para aguentar este politicozinho que está com a caneta da esposa na mão!

  2. ENOQUE TELES

    ROSINHA E GAROTINHOH AINDA IRÃO TERMINAR NA MISÉRIA, TENHO CERTEZA DISSO!!!
    CAMPOS NÃO MERECE O QUE ESTE CASAL VEM FAZENDO!
    CAMPOS É UMA CIDADE QUE DEVERIA DE SER A MAIS MODERNA DO BRASIL, NÃO FOSSE ESSE CASAL, QUE CORREU TUDO QUE A PREFETURA TINHA PARA MUDAR NOSSA CIDADE!
    MAS UM DIA ELES IRÃO PAGAR, SEJA NA TERRA, SEJA NO CÉU, POR TUDO QUE ESTÃO FAZENDO EM NOSSA CIDADE.

  3. Marcos Bicudo

    Que a dita mudança não venha ser acompanhada das velhas raposas da política Campista, mudança do tipo que se tenha que votar num FDP para não eleger outro, não é nada de novo.

  4. Zanza

    ” Que a dita mudança não venha ser acompanhada das velhas raposas da política Campista, mudança do tipo que se tenha que votar num (trecho excluído pela moderação) para não eleger outro, não é nada de novo.!

Deixe um comentário