Opiniões

“Garotinhos manobraram na Câmara para vender o futuro de Campos”

 

Por Aluysio Abreu Barbosa e Alexandre Bastos

 

Onde foram aplicados os R$ 250 milhões recebidos na antecipação de R$ 300 milhões de receitas futuras de Campos, feita pelo governo Rosinha Garotinho (PR) junto ao Banco do Brasil (BB), no ano passado? E qual será o destino do R$ 1,2 bilhão que o mesmo governo quer também antecipar, vendendo o futuro do município? Segundo o vereador Gil Vianna (PR, de malas prontas para o PSB), todo o campista busca um resposta a essas perguntas, assim como para outra: “Quem quebrou Campos?”. Na dúvida, ele tem certeza ao afirmar que a manobra governista na Câmara Municipal para autorizar a “venda do futuro” foi o principal motivo para abandonar o barco rosáceo. Fora dele, seu destino é o PSB do senador Romário, pelo qual pretende disputar a sucessão de Rosinha, em 2016, como cabeça de chapa ou compondo-a ao lado de “grandes homens e políticos” da oposição.

 

 

Gil Vianna 1

 

 

Folha da Manhã – Você já adiantou (aqui) que, após dois mandatos consecutivos como vereador, não disputará a reeleição ao cargo ano que vem. E se não sair a janela para transferência de partido na reforma política, impossibilitando sua candidatura a prefeito pelo PSB?

Gil Vianna – No momento certo e no prazo legal, independente ou não da janela de transferência, estarei deixando a legenda do PR, migrando para a legenda do PSB, o que não me impossibilitará de me colocar à disposição do PSB para uma pré-candidatura nas próximas eleições pela nossa querida cidade.

 

Folha – Você também já garantiu que não vai ficar no PR. Caso a janela não saia em setembro, não teme ter que deixar o mandato de vereador com o partido?

Gil – Não tenho receio algum de deixar a legenda do PR, caso não venha a ser contemplado pela janela de transferência, tendo em vista que, no decorrer do meu mandato, me certifiquei de vários documentos, informações e pessoas, o que na seara jurídica constitui uma justa causa para minha desfiliação partidária.

 

Folha – Você foi eleito em 2014 primeiro suplente para deputado estadual na coligação PR/Pros. Como deputados devem se candidatar em 2016 a prefeito, caso algum deles se eleja, a cadeira fica vaga na Assembleia Legislativa. Fora do PR, não seria mais difícil ocupá-la?

Gil – Sim, sabemos que o TSE já teve a oportunidade de se manifestar a respeito do assunto, salientando que, no atual quadro jurídico, o mandato pertence ao partido. Estando eu fora do PR, ou seja, no PSB, seria ilógico eu assumir a vaga de suplência da Alerj. Mas, como fui diplomado suplente de deputado estadual pelo PR, caso haja vacância de uma vaga na Alerj, poderia eu regressar ao PR e assumir a vaga de deputado, o que claro, seria uma derrogação de meus planos junto ao PSB. É muito provável que isso não ocorra.

 

Folha – Qual foi o principal motivo da sua saída da bancada de Rosinha: a falta de apoio à sua campanha para deputado estadual, ou sua posição contrária à “venda do futuro” de Campos pelos Garotinho, aprovada numa manobra governista na Câmara Municipal, na polêmica sessão (aqui) de 10 de junho?

Gil – Diversos fatores contribuíram ao longo do meu mandato para minha saída da bancada de apoio à prefeita Rosinha, mas o fator culminante foi a manobra na Câmara Municipal para venda do futuro da nossa cidade.

 

Folha – Como você e os demais vereadores que votaram contra a “venda do futuro” enxergam sua esmagadora reprovação popular. Na pesquisa Pro4 feita entre 18 e 22 de junho, 88,7% dos campistas foram contra (aqui), rejeição muito próxima à registrada nas enquetes da Folha Online (84,8%) e da InterTV (90%). Quem votou a favor terá que pagar o preço nas urnas?

Gil – O sentimento não é só dos vereadores que votaram contra a “venda do futuro”, mas sim a população, que hoje está politizada demostrando a insatisfação nas pesquisas acima. Sobre quem votou a favor, o povo que vai decidir o que será melhor para nossa cidade.

 

Folha – Após aprovar um empenho de R$ 300 milhões de receitas futuras, no final do ano passado, junto ao Banco do Brasil, para receber apenas R$ 250 milhões, o governo Rosinha não disse em que gastou o dinheiro. A ausência de destinação, naquele empréstimo e nesse autorizado na sessão de 10 de junho, estimado em até R$ 1,2 bilhão, foi o motivo alegado por você e os demais vereadores independentes para votar contra. Afinal, para onde vai tanto dinheiro?

Gil – É verdade. O primeiro empréstimo de R$ 300 milhões de receitas futuras vai ser pago dentro do atual governo, e o outro empréstimo estimado em até R$ 1,2 bilhão, aprovado pelos vereadores da base do governo, será pago pelos futuros prefeitos de nossa cidade. Quanto ao destino de todo esse dinheiro, é uma pergunta que todos nós campistas queremos saber.

 

Folha – Num ato público de desagravo por conta de mais uma decisão judicial desfavorável ao seu governo, Rosinha disse (aqui) no último dia 20: “Não fui eu quem quebrou a Prefeitura”. Campos está quebrada? E se não foi Rosinha, quem seria o responsável?

Gil – Boa pergunta. Nos últimos sete anos a Prefeitura recebeu aproximadamente R$ 12 bilhões. E agora ela disse que a cidade está quebrada? Quem será o responsável? Eu também gostaria de saber.

 

Folha – Já correm boatos de que há vereador independente arrependido, querendo voltar à base governista. Vê algum sinal disso em você, Jorge Magal (PR), Albertinho (Pros), Genásio (PTC), Dayvison (PRB) ou Alexandre Tadeu (PRB)? E do lado de quem ficou, há quem queira seguir os passos de vocês?

Gil – Como já falei nas primeiras perguntas, não ficarei no PR. Estou criando novas perspectivas de futuro na política e chega num certo momento na vida pública que temos de escolher caminhos diferentes. Quanto aos demais vereadores independentes não vejo arrependimento por parte de nenhum dos companheiros. Já do lado de quem ficou, a decisão de ficar ou sair vai na consciência de cada um, mas quem quiser se unir ao bloco dos independentes será muito bem vindo.

 

Folha – Inegável o carisma do senador Romário (PSB), que lhe fez o convite para entrar no PSB e concorrer pela legenda a prefeito de Campos em 2016. Mas, como deve estar ocupado com sua própria candidatura a prefeito do Rio, que tipo de ajuda real o “Baixinho” e sua legenda poderiam lhe dar?

Gil – Queria primeiro agradecer ao senador Romário pelo convite de fazer parte do próximo pleito eleitoral nas eleições majoritárias pelo PSB. É inegável seu carisma, fazendo quase 5 milhões de votos no Estado do RJ e, em Campos, aproximadamente 110 mil votos. Isso demostra a força do apoio que teremos em 2016.

 

Folha – Se sua meta em 2016 é o Executivo, qual a possibilidade de você vir a compor chapa com, por exemplo, o vereador Rafael Diniz (PPS) ou o ex-prefeito Arnaldo Vianna (PDT)? E com o deputado estadual João Peixoto (PSDC), ao lado de quem começou sua carreira política?

Gil – Ainda é muito cedo para definir as posições, mas se por ventura isso vier a acontecer, será uma honra participar ao lado de grandes homens e políticos de nossa cidade.

 

Folha – Recentemente, você disse que acreditava na sinceridade do rompimento do deputado estadual Geraldo Pudim (PR, de malas prontas ao PMDB) com Garotinho, mas que faltava a população acreditar. O que ele, assim como você, terão que fazer até 2016 para o eleitor não considerar um e outro como um plano B (e C) do garotismo?

Gil – Quanto ao deputado Geraldo Pudim, eu acredito no rompimento, sim. Mas ele terá que realmente provar nas ruas. Quanto a mim, quem me conhece sabe do meu histórico como pessoa e como político. Sempre fui firme em minhas decisões e palavras, estou muito tranquilo com minha consciência.

 

Folha – Farol é conhecida como seu reduto eleitoral. No último domingo, numa rádio comunitária de lá, Garotinho disse que ele e Josias Quintal (PSB), ex-secretário estadual de Segurança e hoje prefeito de Pádua, teriam interferido para evitar uma punição a você, quando era policial militar. Do que ele poderia estar falando?

Gil – Não sei a que esse senhor se refere, porque isso nunca aconteceu. Ele continua dissimulado e mentindo o tempo todo, tentando denegrir a imagem das pessoas no âmbito pessoal. Sou e sempre fui uma pessoa do bem e nada disso me abala.

 

Folha – O secretário de Governo e esposo da prefeita também disse que sua maior obra no Farol, enquanto vereador, teria sido a reforma da sua casa. Se os ataques já estão nesse nível a 15 meses da eleição, o que esperar até lá?

Gil – Primeiro, que quem faz obra pública não é vereador, é o prefeito ou a prefeita. E quanto a minha casa no Farol, não foi reforma, foi construção. Afinal, não tenho nada a esconder. Fiz minha casa na única praia campista, onde tenho laços familiares, de amizade e políticos. Pior é seu tivesse construído em outros balneários famosos, como muitos por aí.

 

Folha – Depois da enquadrada que levou (aqui) do deputado federal Ronaldo Caiado (DEM) em pelo Congresso Nacional, ficou notório que Garotinho afina quando confrontado diretamente, sem a distância segura do blog ou do microfone de rádio. Falta na política de Campos quem desempenhe esse papel, como fez em passado recente o ex-vereador Marcos Bacellar (SD)?

Gil – Falta diálogo entre os representantes do Executivo para com a sociedade campista. A sociedade roga para interagir com os representantes do Executivo, sem lograr êxito. Um bom administrador deve ser aquele que presa a honestidade, a ética. Mas estes atributos devem ser de todo ser humano. Sendo assim, cada um tem seu perfil político. Precisamos ter mais compromisso, pois compromisso é fundamental. Temos que ter vontade de mudar, ser humanizado e trabalhar junto e para o povo. Sobretudo, não se pode mais simplesmente perseguir os que não concordam com seu governo. Enfim, ter uma vida firmada em valores éticos e morais e possuir competência para tomar decisões em favor do próximo, da coletividade e do povo.

 

Publicado hoje na Folha da Manhã

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 11 comentários

  1. Postura irresponsável e temerosa do BB antecipar recursos em forma de empréstimo como garantia Royalties a receber… duvidoso esse tipo de receita, até porque a Ministra Carmen Lucia, do STF estar sentado sob processo que busca cancelar determinação do Legislativo que propus nova destruição aos estados e municípios!!!!

  2. Mas, este não foi aliado da base governista???
    Não consigo acreditar em ninguém.

  3. GAROTINHOS VOCÊS VÃO FALIR A NOSSA CIDADE, O SEUS DIAS ESTÃO ACABANDO NA POLÍTICA, O POVO JÁ VIU QUE VOCÊS QUEREM É ENCHER OS BOLSOS.

  4. Este é outro que não dá pra confiar! Eu não confio em ninguém que andou colado no “secretário & Cia.”.

  5. Vereador Gil, o senhor deveria ter mais humildade e reconhecer que teve projeção nos últimos anos na políticas , justamente por conta de estar no governo e ter apoio da prefeitura.
    Em relação a homestidade, nos poupe, ou então explique melhor suas atuações no BPRV da região dos lagos, de sua casa em Rio das Ostras , da sua nova casa no Farol, de seus patrocinadores,” Os Pereiras”…. Etc…. Ponha-se no seu lugar, por favor!!!

  6. Não perdendo embalo ref. Imóvel façam pesquisas quem tem o que entre eles mesmos e façam o dever transparência no meio político!!!!!

  7. Durante os 100 anos a frente, todos os campistas que aqui nesta cidade de Campos dos Goytacazes, nascerem, já terão os seus CPFs comprometidos com dívidas. Em resumo: todos os campistas já vão nascer devendo. Isso é uma loucura! Quel é o loucoque está com esse pensamentp de vender Campos dos Goytacazes?

  8. Durante os 100 anos a frente, todos os campistas que aqui nesta cidade de Campos dos Goytacazes, nascerem, já terão os seus CPFs comprometidos com dívidas. Em resumo: todos os campistas já vão nascer devendo. Isso é uma loucura! Quel é o louco que está com esse pensamento de vender o futuro de Campos dos Goytacazes?

  9. CAMPOS DOS GOYTACAZES, esta cidade esta se encaminhado para um poço sem fim, primeiro os eventos em farol superfaturados, segundo os hospitais abandonados, terceiro show particular em um lugar que se diz se do povo ai a população não tem condições de ir, e pra fechar a novela que não tem fim sobre esse impasse dos royalties digo que esse casal não tem mais aonde pegar dinheiro, vergonha esta festa um evento que se comemora o dia do padroeiro da cidade um dia antes faz um show com HENRIQUE E JULIANO, hum… como sempre a prefeitura tem participação nesse show, e na praça nada……..

  10. Gil acha que é bom de votos mais vamos ver que na verdade tem grande dificuldade de se eleger sem a maquina
    Gil foi eleito duas vezes Vereador graças a maquina do Governo e mesmo com a maquina não conseguiu se eleger Deputado mesmo fazendo dobradinha com o tambem Vereador Magal
    Vamos pensar um pouco Gil dominou 90% dos Cargos de Confiança da Baixada Campista sem contar que o mesmo empregou varias pessoas como motorista de Ambulância e outras coisas mais e somado isso tambem temos os DAS do Vereador Magal que somados dobral e mesmo a sim não conseguiu se eleger pegando apenas 22mil votos Gil é FRACO de Votos.

  11. Eu acho que o vereador Gil Vianna tem o direito de largar a base ! Pois a Rosinha não ta fazendo nada e ai tem continuar mentido para o povo !

Deixe uma resposta

Fechar Menu