Opiniões

Ocupa TB: em reunião curta e sem diálogo, impasse entre Garotinho e artistas

Garotinho e seu estafe ouvem do representante do movimento que, enquanto os 11 itens da pauta não forem atendidos e publicaos em Diário Oficial, ocupação do Teatro de Bolso permanecerá (foto de Rodrigo Silveira - Folha da Manhã)
Garotinho e seu estafe ouvem do representante do movimento que, enquanto os 11 itens da pauta não forem atendidos e publicados em Diário Oficial, a ocupação do Teatro de Bolso permanecerá (foto de Rodrigo Silveira – Folha da Manhã)

 

Uma reunião curta e sem diálogo. Assim foi aquela que, iniciada alguns minutos antes, se encerrou pouco depois das 11h da noite de ontem, entre o secretário de governo de Campos, Anthony Garotinho (PR), e os artistas de Campos que ocupam o Teatro de Bolso Procópio Ferreira desde o último dia 9 (relembre aqui).

Mais uma vez acompanhado do líder rosáceo na Câmara Municipal, vereador Mauro Silva (PSDB), e do vice-prefeito Dr. Chicão (PR), além de todo o estafe da cultura do governo Rosinha Garotinho (PR) — à exceção da presidente da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima (FCJOL), Patrícia Cordeiro, mais uma vez ausente —, Garotinho perguntou aos artistas qual era a pauta. Foi respondido pelo advogado Alexis Sardinha (PT), que a pauta era aquela protocolada na Prefeitura de Campos, divulgada pelo blog aqui.

Garotinho propôs, então, que se discutisse a pauta. Alexis respondeu que não estava autorizado a lê-la, mas que a ocupação do Teatro permaneceria enquanto seus 11 itens não fossem atendidos integralmente, com a publicação de cada um em Diário Oficial (DO). O secretário de Governo disse que, se era assim, não tinha porque estar ali para o debate, levantando-se e se retirando com seus acompanhantes.

Por telefone, após a reunião, o vereador Mauro Silva lamentou ao blog que, “por intransigência, se tenha perdido uma chance ao debate e chegado ao impasse”.

 

Com informações do jornalista Celso Cordeiro Filho

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 9 comentários

  1. Lamentável que a reivindicação e as pautas dos artistas tenha cido defendida por um militante PT.

  2. Atitude …

  3. Dessa vez Garotinho teve toda razão!
    Como não ler a pauta de reivindicações? Poderiam ter avisado que não precisava ir então!
    Outra coisa, estão misturando política ao movimento. Alexis Sardinha é ligado a partido de oposição e não esconde isso.
    Na verdade os artistas não conseguiram formular a pauta e Alicis fez de acordo com interesse dele. O movimento totalmente descaracterizado por influência diversa .

  4. Juro que não queria postar nada sobre o noticiário. Mas não dá. De todos os mimimis dos últimos dias – meus amigos artistas vão me desculpar – mas o mais insuportável está sendo sobre a fusão do Ministério da Cultura ao da Educação (quem diria, o MEC volta a ser MEC), como era antes. Gente, PELO AMOR DE DEUS! O povo tá DESEMPREGADO!!! O povo tá sem dinheiro pra fazer SUPERMERCADO!! O povo tá na M***!!!! E aí a classe artística faz um escândalo para ter um status de MINISTÉRIO? Entrei no site pra ver quanto foi que esse Ministério gastou ano passado… Tá lá ( http://bit.ly/1Nwjrg2 ), pode acessar e conferir como eu fiz, você sabe quanto? 1,7 BI (BIIIII!!!! BILHÕES!!!) e uns quebrados MILHÕÕÕÕES! Isso mesmo… Visualiza!?? Foi mais do que o gasto em Habitação (82 milhões), mais do que foi gasto em saneamento (1,2 BI), mais do que foi gasto em Comunicações ( 1,3 BI), mais do que foi gasto em Direito e Cidadania!!! Como pode? Com assistência a criança e ao adolescente o governo gastou “só” 50 milhões… Mas com a CULTURA 1,7 BILHÕÕÕÕES!!!!!!! GENTE!!!! E o povo sem EMPREGO!!!!!! Loja, fábrica fechando… Todo mundo suando pra pagar conta!!! O que que é mais importante??? Porque eu juro que eu quero entender, PORQUE uma Secretaria não pode cuidar da Cultura enquanto estamos em recessão? PORQUEEEEE? O que é que está se passando pela cabeça da Renata Sorrah e da Marieta Severo nesse choro desenfreado?? Medo de faltar dinheiro pro seu teatro Poeira? (Deve ser, pode entrar lá no site do teatro, sabe quem banca o Poeira? Petrobrás (há!) e Governo Federal), tá explicado! E será mesmo que o povo vai ficar sem cultura? Em pleno século 21 com tanta criatividade? As rodas de samba vão acabar? O funk? As festas juninas? Parintins? O carnaval de Salvador vai desaparecer? E a Sapucaí?? O stand up? As novelas? PELAMOOOOR! Em que mundo vivem? O POVO TÁ SEM DINHEIRO, GENTE!!!!!! O povo tá sem trabalhooooo!!!! Tá sem SAÚDE! É zika, dengue, chikungunha e os velhos aposentados sem receber!!! O Rio de Janeiro e um monte de Estado FALIDOOOOOOOOOO!!!!!!! Mas ó… a CULTURA…. A CULTURA PRECISA de um status de Ministério! Não pode ser Secretaria! Ela precisa gastar mais uns bilhõezinhos…
    Ahhhh faça-me o favor…

    Para uma reflexão de todos.

  5. Esse tal de Garotinho é uma figura… se acha todo poderoso, vamos dar a resposta pra ele nessa eleição.

  6. O fim dos garotinhos está próximo.

  7. Estava demorando! Observem a linguagem corporal do “secretário” e do “líder na Câmara”, absolutamente fechados ao diálogo!

    E quem esperaria que pudesse ser diferente?

    É muito blá-blá-blá deste pessoal “rosa”. São capazes de gastar quase 200 mil reais em fogos de artifício, mas não são capazes de devolver ao público campista o Teatro de Bolso!

    A verdadeira vocação deste “secretário” e seus asseclas, é mesmo o de gastar os recursos públicos de modo irresponsável. São rápidos em negociar o futuro do município, mas são lerdos para atender a Cultura de qualidade. Sabem que quem frequenta o TB não vota neles, são pessoas esclarecidas!

    Por último, porque o pessoal rosa está blindando a tal da Patrícia Não-Sei-Das-Quantas?

  8. Num comentário anterior em matéria no Blog do Bastos (http://www.blogs3.fmanha.com.br/bastos/2016/05/09/precisa-acontecer-alguma-coisa/#comments) falei sobre o risco da infiltração de políticos marxistas nos movimentos sociais. Agora, com a participação do inábil rapaz militante vermelho, os artistas talvez tenham posto a perder oportunidade de ouro para reativação do teatro e, talvez o mais importante, com gestão compartilhada. Interesses outros que não os sociais e coletivos permeiam a atuação em “tudo quanto é coisa” de agentes da política e estes, interessados em aparecer, não se enrubescem quando põe abaixo os sonhos dos que dizem representar.

  9. Li os comentários acima e percebi umas coisas: sectarismo e preconceito e vamos aos fatos, críticas pela filiação partidária de um dos interlocutores, no caso o advogado Alexis Sardinha e me pergunto, os outros interlocutores não possuem filiação partidária? O edil Mauro Silva, pré-candidato ao executivo, por acaso é filiado ao PSDB, o próprio prefeito é filiado ao PR e creio eu que muitos dos que ali estão, possuem suas opções partidárias, pois não caio na esparrela, naquele discurso vazio do apartidarismo, isso é conversa mole para oi dormir, TODOS, repito, todos somos em essência políticos, pois nossos atos são a essência da política, do viver política. em sendo assim, e quem quiser que vista a carapuça, meu caro Aluysio Abreu Barbosa, que vista a carapuça, pois esse tipo de crítica é sectarismo mesmo. Mas, entendo e comungo de que a pauta poderia ter sido lida, até para esvaziar o discurso do poder, que só queria uma desculpa para o não-diálogo e isso foi dado de mão beijada, era tudo que o prefeito queria, faltou habilidade, já que a reunião era para isso, discutir a pauta e se nada de concreto dali saísse, as máscaras – e de máscaras quem é do teatro entende – cairiam da cara-de-pau dos dirigentes. Em comentários ocasionais aqui nesse Opiniões, vaticinei que nada iria acontecer, mas que queria queimar minha língua e pelo visto eu não estava equivocado, gostaria de ter estado, mas infelizmente não estava. Fiz até umas ponderações acerca da pauta apresentada, onde coloquei algumas questões de ordem pontual, já prevendo que nada iria de concreto acontecer, mas repito, “precisa acontecer alguma coisa”.

Deixe uma resposta

Fechar Menu