Fogo amigo: defesa de Auxiliadora com ataque à educação e cultura

Chicão, favorito nas pesquisas como candidato governista a prefeito, Rosinha e sua amiga Patrícia Cordeiro (foto: divulgação)
Chicão, favorito nas pesquisas como candidato governista a prefeito, Rosinha e sua amiga Patrícia Cordeiro (foto: divulgação)

 

 

Não é só a oposição que anda se estranhando (aqui) com a oposição em Campos. Dentro de um governo municipal com 10 pré-candidatos anunciados, as divisões internas são ainda mais intestinas. Algumas foram evisceradas nos comentários da matéria publicada aqui, sobre a pesquisa do instituto Pro4 que deu larga margem de vantagem ao vice-prefeito Chicão Oliveira (PR) na disputa governista tentar suceder a prefeita Rosinha Garotinho (PR).

O mais curioso é que, na defesa dos seus candidatos, com a radicalidade típica do garotismo, alguns militantes acabam revelando não só as cisões presentes em relação à eleição do próximo governo, mas aquelas fizeram a diferença — em alguns casos para pior — nos oito últimos anos da administração Rosinha.

Senão, vejamos o comentário feito aqui por Walker Pessanha, defensor a pré-candidatura a prefeita da vereadora Auxiliadora Freitas (PHS):

— (…) Qdo o senhor diz do desgaste da professora Auxiliadora em relação à educação ao meu ver é um grande equívoco. Penso que o senhor não deve ter acompanhado o mandato e a vida pública da professora. Pelo contrário ele teve maus desgaste com o governo justamente por defender as idéias dela pela educação. Teve que lutar para ter seus projetos colocados em pauta na câmara e atendidos. Se houve algum avanço e conquista para a categoria foram as leis e indicações que ela fez e lutou. A lei orgânica do município da educação e cultura avançaram por ela. Foi a melhor secretaria de educação. Ela fez política de educação e não eventos. Ela representa o segmento por causa. Infelizmente ela não e executivo senão a educação e cultura estariam com muito mais conquistas (…)

Aos olhos do leitor um pouco mais perspicaz e informado, na defesa de Auxiliadora, secretária municipal de Educação (2009) e presidente da Fundação Trianon (2010/12) durante o primeiro governo Rosinha, fica clara a crítica do seu defensor à situação atual da educação — avaliada aqui como a antepenúltima entre os 92 municípios do Estado do Rio — e à cultura públicas de Campos. Esta última, entregue pessoalmente por Rosinha ao questionado comando da presidente da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima (FCJOL), Patrícia Cordeiro.

Não por outro motivo, o “Ponto final”, coluna de opinião da Folha, afirmou aqui, na edição do último dia 7 de junho:

Patrícia não tem intenção ou substância para romper com a política dos shows de pouca qualidade e altos cachês, na prioridade “cultural” dos oito anos de gestão da prefeita Rosinha Garotinho (PR). Por tragicômico que possa parecer, ter Patrícia ali, para manter as coisas como estão, é uma das poucas coisas que restou a Rosinha dentro do governo Rosinha.

E, no mesmo dia 7, a afirmação foi confirmada aqui, em publicação no próprio Diário Oficial (DO) do município, no qual Rosinha liberou R$ 450 mil, mesmo em tempo de crise, para “eventos culturais” sob responsabilidade de Patrícia Cordeiro. Tanto pior que foram recursos oriundos da terceira “venda do futuro” feita pelos Garotinho, para ser paga até 2026, pelas três próximas gestões municipais. Se não bastasse, hoje a presidente da FCJOL foi aquinhoada com mais R$ 33,5 mil,  segundo publicação de hoje (aqui) do DO.

Destinado sempre ao mesmo fim, de Rosinha à amiga Patrícia, os cofres públicos do município já sangraram em quase R$ 1 milhão só neste ano.  Sempre segundo dados do DO, foram mais R$ 149 mil (aqui) em 23 de março, R$ 55,9 mil (aqui) em 18 de maio, R$ 52 mil (aqui) em 24 de maio e R$ 204,6 mil (aqui), no dia 31 do mesmo mês.

E tudo isso sob reprovação severa de quem defende a vereadora governista para suceder Rosinha: “Ela (Auxiliadora) fez política de educação e não eventos”. Isso quer dizer que hoje se faz?

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 7 comentários

  1. Juarez

    Muito bem Auxiliadora
    Fique do lado povo e contra esse governo.
    Parabéns por estar contra esses garotinho.

    1. Aluysio

      Cara Juarez,

      Como a postagem deixa claro, o questionamento à educação e cultura rosáceas não foram de Auxiliadora, mas de um seu aparente defensor.

      Abç e grato pela chance de colocar as coisas em seus lugares!

      Aluysio

  2. Amrro

    O gasto da prefeitura vai para o ralo a educação de mal para pior é os aprovados para professores continua chupando dedo que pouca vergonha cadê o ministério público.Cheio de vagas e nada de chamada.

  3. Amaro

    Alô ministério público a prefeitura foi multada e a multa é colocar os aprovados do concurso. Alo ministério público acorda.

  4. julio

    E a expoente? O que fez a sra Auxiliadora?Ainda sonha em ser prefeita, faça me o favor.

  5. Savio

    450 mil? Hi… mais shows bregas! Que horror!

  6. Leila

    É muito cara de pau esse defensor dessa vereadora Auxiliadora debochada, que nada mais foi capacho dos garotinhos. Por acaso “professora”.Um grupo (trecho excluído pela moderação) de capachos, marionetes. Prefeita,,, faz me rir.

Deixe um comentário