Se Caio preteri-lo por Gil para vice, João diz que sai sozinho a prefeito

Deputado João Peixoto (foto: Folha da Manhã)
Deputado João Peixoto (foto: Folha da Manhã)

 

 

“Não vou atrapalhar Caio (PDT) e Gil Vianna (PSB). Se for bom para os dois formarem uma dobradinha, que assim seja. Só que, então, eu serei candidato a prefeito de Campos. Não tenho como recuar mais”. Foi o que o deputado estadual João Peixoto (PSDC) afirmou à reportagem da Folha, após saber do acordo costurado entre os diretórios estaduais do PDT e PSB para formar uma chapa com Caio Vianna candidato a prefeito com o vereador Gil de vice — como foi revelado (aqui) na sexta pelo blog Opiniões, hospedado na Folha Online, e ontem (aqui) na coluna “Ponto Final”.

Como a coluna também lembrou ontem, embora não fosse segredo para ninguém que acompanha os bastidores da política goitacá, havia um acordo prévio entre João e Caio para que quem ficasse atrás nas pesquisas fosse vice do outro. E na última pesquisa registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sob número 00696/2016, feita pelo instituto Pro4 entre 8 e 10 de junho, ouvindo 620 pessoas nas sete zonas eleitorais do município, ecomendada e divulgada (aqui, aqui e aqui) pela Folha, o filho do ex-prefeito Arnaldo Vianna ficou bem na frente do deputado estadual.

Na consulta espontânea do Pro4, Caio ficou com 4,4%, contra 1,3% de João. Já em cenário estimulado, com o vice-prefeito Dr. Chicão (8,4%) como candidato do PR, o pedetista bateu 15,2%, contra 5,6% do parlamentar do PSDC. Essa ampla vantagem foi só um pouco reduzida, de 15,5% a 6,3% pró-Caio, quando o candidato do PR apresentado na consulta foi o vereador Paulo Hirano — que apesar do pífio 1,1% nas intenções de voto, tudo indica, será mesmo o nome governista à sucessão da prefeita Rosinha Garotinho (PR). Não bastasse, também na rejeição, os números foram piores para Peixoto, em quem 6,9% dos campistas não votariam de jeito nenhum, número reduzido para 4,8%, quando se trata do filho de Arnaldo.

Ocorre que, à parte as pesquisas e os acordos firmados nos seus números, um integrante da executiva estadual do PSB, partido de Gil, que por enquanto preferiu não se identificar, garantiu na sexta pelo telefone, ao lado do senador Romário de Souza Faria: “Se o vice na chapa de Caio Vianna (PDT) for Gil Vianna (PSB) o acordo está feito. Não é nem nome de dupla, mas de uma só candidatura a prefeito de Campos: Caio Gil Vianna”. O dirigente do PSB confirmou os contatos há uma semana com seus pares do PDT, tendo à frente o ex-ministro do Trabalho Brizola Neto, sobre a aliança entre os dois partidos na eleição a prefeito de Campos.

— Não vou jogar a toalha. Se Arnaldo pudesse ser candidato, eu o apoiaria, como sempre fiz. Como ele não pode, fiz o acordo com o filho dele. Sou deputado estadual eleito cinco vezes. Não posso ser cabo eleitoral de uma chapa da qual fui dispensado, até porque, nessa mesma pesquisa do Pro4, eu fiquei na frente de Gil na espontânea (1,3% a 1,1%) e nas estimuladas (5,6% a 3,4%, com Chicão; e 6,3% a 4,0%, com Hirano). Se não puder compor chapa com Caio, não tem problema: concorremos separados. E que o eleitor decida. Só espero que, com tanta divisão na oposição, o governo não leve essa eleição no primeiro turno — advertiu Peixoto.

 

Página 2 da edição de hoje (10) da Folha
Página 2 da edição de hoje (10) da Folha

 

Publicado hoje (10) na Folha da Manhã

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 2 comentários

  1. NEILTON

    será que ele seria presidente do grupo itaú,acho que não ,mas prefeito pode né?

  2. Savio

    __Nada contra este senhor, mas ele não tem a mínima chance. Como candidato a Prefeito, não tem não.

Deixe um comentário