PT de Anomal deve ceder seu tempo de propaganda para Caio

 

Ponto final

 

 

PT de Anomal mais para Caio

Ou candidatura própria, ou aliança com a chapa encabeçada por Caio Vianna (PDT) e Gil Vianna (PSB) de vice. Foi isso que o pré-candidato petista a prefeito de Campos, Hélio Anomal, garantiu à coluna que será um dos caminhos do partido do ex-presidente Lula (e da quase ex Dilma Rousseff) na sucessão da prefeita Rosinha Garotinho (PR). A 70 dias do pleito, os bastidores dão como quase certo: o PT cederá seu generoso tempo de propaganda eleitoral ao filho do ex-prefeito Arnaldo Vianna (PEN), de quem Helinho foi candidato a vice em 2008.

 

Apesar do “golpe”

Ainda assim, além de Caio, os também pré-candidatos a prefeito Rafael Diniz (PPS) e Rogério Matoso (PPL) participaram de sabatinas junto à executiva municipal do PT de Campos. Matoso, inclusive, chegou a oferecer a vice em sua chapa. Quem atraiu mais simpatia pessoal, no entanto, foi Rafael, cujo encontro foi aceito a despeito do seu PPS sempre ter estado à vanguarda do impeachment de Dilma, ainda chamado de “golpe”, entre risos alheios, pelos petistas quem nunca viram tanques na rua, como no golpe sem aspas fracassado na Turquia.

 

Rafael, mas dentro dos limites

Tido como um dos principais simpatizantes de Rafael, o Professor Alexandre Lourenço é uma das apostas de renovação local no PT, que deve sofrer uma nova grande debandada nacional em novembro, tão logo acabem as eleições municipais. Todavia, apesar da identificação com as propostas de renovação no modo de se fazer política do jovem vereador do PPS, Alexandre garantiu que não vai demonstrar isso na campanha além das determinações impostas por seu próprio partido.

 

Transporte coletivo (I)

Um dos muitos problemas apresentados pelo transporte coletivo de Campos é a última saída dos ônibus do Terminal Rodoviário Luis Carlos Prestes. Muitos usuários que chegam ao local quando o relógio ainda sinaliza faltar alguns minutos para a meia-noite são surpreendidos pela informação e que o ônibus que atende seu bairro já deixou o terminal. A solução é seguir caminhando para casa ou ser obrigado a pagar uma corrida de taxi.

 

Transporte coletivo (II)

O próprio terminal rodoviário de Campos precisa ter sua estrutura física revista, no sentido de dar maior conforto ao usuário, em qualquer período do dia. Posicionado às margens do rio Paraíba do Sul, deixa aqueles que esperam as chegadas e partidas dos ônibus muito expostos ao vento forte e até mesmo às chuvas. O terminal possui uma cobertura muito alta, ineficiente, sobretudo no caso de chuva.

 

Com a colaboração do jornalista Antunis Clayton

 

Publicado hoje (20) na Folha da Manhã

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Deixe um comentário