Opiniões

Uma semana depois, Lacen confirma: Hudisson foi 1º morto da Covid-19 em Campos

 

Hudisson e o caminhão que dirigia para sustentar sua família (Foto: Arquivo Pessoal)

 

Após uma semana da sua morte por Covid-19, Hudisson teve sua morte confirmada por Covid-19

O Laboratório Central Noel Nutels (Lacen), credenciado pela secretaria estadual de Saúde, hoje confirmou oficialmente o que o blog foi noticiou (relembre aqui) há exatos sete dias: o caminhoneiro Hudisson dos Santos, de 39 anos, foi o primeiro morto pela Covid-19 em Campos. Casado e pai de dois filhos pequenos, morador do bairro da Penha, ele veio a óbito no último sábado (11), na UTI do Centro de Controle e Combate ao Coronavírus (CCC) de Campos, onde havia sido internado no dia 6.

Desde sua morte, Hudisson vinha sendo contabilizado pela Folha como caso confirmado do novo coronavírus no município, que até ontem (confira aqui) somavam 30. Embora a Vigilância em Saúde do município, por questão de protocolo, o contasse como caso suspeito. Médico intensivista do CCC e um dos seus idealizadores, Vitor Carneiro cuidou de Hudisson. Em entrevista ao Folha no Ar da última quinta (16), na Folha FM 98,3, ele detalhou (confira aqui) como todos os esforços foram feitos para salvar o paciente, inclusive com a cloroquina, remédio anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) como cura para a doença.

Segundo relatos de amigos, Hudisson era uma pessoa quieta e reservada, que vivia para a família e o trabalho. Era muito querido no bairro da Penha, onde residia, não fumava, não bebia e sua obesidade não passava de um excesso de peso, como se pôde constatar em suas fotos. Ele trabalhou por cerca de 4 anos como taxista em Campos, até conseguir o emprego como caminhoneiro em uma transportadora de Vitória (ES). Fez a opção para ter carteira de trabalho assinada e benefícios, buscando dar mais segurança à sua família.

No dia da morte de Hudisson o blog falou com Ivaneide, sua viúva. Ela informou que os dois eram evangélicos e frequentavam a Igreja Batista do Parque Bela Vista. Muito abalada, testemunhou com a voz embargada, em meio ao choro: “Ele era um homem muito bom!”

 

Este post tem um comentário

  1. Gostaria de saber se teremos testes rapidos aqui em campos,afim de testar a população
    De saber onde estão os médicos do munincipio,há rumores que muitos se esconderam atrás de atestados para não trabalhar.

Deixe uma resposta

Fechar Menu