Quem exonerou César Dias no IFF pode falar em desligar alguém por motivo político?

Maior atrativo na lida blogueira, pelo menos àqueles que a mantém não apenas para ecoar o “eu existo, eu existo” de Roberto Carlos, a interatividade com os leitores, não raro, gera alguns comentários tão ou mais instigantes do que as postagens que os motivaram. Não por outro motivo, segue abaixo, na forma mais relevante de post, o comentário feito aqui pelo leitor Arlindo Manhães, de memória sempre viva nas questões da maior instituição de ensino de Campos e, sobretudo, na aplicabilidade possível e necessária dos seus exemplos, sobretudo quando não se deseja vê-los repetidos, também fora dos muros do Instituto Federal Fluminense (IFF)…

(Como os estudantes do 29 de Maio que recentemente fotografaram material didático empilhado no laboratório de informática da escola, os estudantes do IFF ocuparam a reitoria, em 15 dezembro de 2011, para não permitir que uma manobra escusa invalidasse os votos de quase dois mil deles, pela alegação de irregularidade em apenas sete, depois revelados válidos)
(Como os estudantes do 29 de Maio que recentemente fotografaram material didático empilhado no laboratório de informática da escola, os estudantes do IFF ocuparam a reitoria, em 15 dezembro de 2011, para não permitir que uma manobra sórdida invalidasse os votos de quase dois mil deles, pela alegação de irregularidade em apenas sete, depois revelados válidos)
  • Arlindo Manhães

    Como um petista, mesmo banido ao ostracismo no seu partido, que não tinha publicado nem uma linha sobre as denúncias do vereador petista Marcão, agora possa querer se refastelar nos farelos midiáticos das consequências dessas mesmas denúncias? Como alguém que mandou exonerar o professor César Dias da direção do campus do IFF de Cabo Frio, só porque este não se aceitou a imposição de um nome do grupo da reitoria na eleição do Conselho Superior da escola, agora quer acusar a InterTV ou quem quer que seja de desligar um profissional por motivos políticos escusos? A única diferença das práticas políticas e pessoais dessa figura decadente, que seria escorraçado pelo voto do poder na escola que queria fazer de feudo e trampolim, com as práticas de Garotinho, é que este pelo menos tem talento.

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 6 comentários

  1. Maria

    Os alunos geralmente são jovens e jovens por índole são inconformados,graças a Deus, e por isso espero que a força de suas vozes ecoa em todos os seguimentos da nossa Sociedade e mudem esta situaçãoem que Campos se encontra, de TOTAL desgoverno,de TOTAL descaso .

  2. Arlindo Manhães

    “Rachou o PT para tentar ser deputado estadual e perdeu. Tentou ser candidato a prefeito de Campos e perdeu. Tentou se meter na política do Goytacaz e perdeu. Tentou apoiar candidato na OAB local e perdeu. Tentou montar padaria com dinheiro público e perdeu. Tentou fazer o movimento pela BR 101 de trampolim político e perdeu. Tentou todos os meios possíveis e imagináveis para perpetuar o IFF como seu feudo particular e perdeu feio, feio demais. Só não perde a arrogância, mas, até por caridade cristã, devemos permitir que a mantenha. Após tantos fracassos, talvez seja a única coisa que lhe restou.” Escrevi isso num comentário lá atrás, em 16 de dezembro de 2011, um pouco depois da eleição que libertou o IFF do jugo dessa recalcada figura, e um pouco antes dela enfim receber, também fora da escola, num surto quase suicida de coragem ébria, aquilo que tanto procurou. Deveria ter escutado o conselho dos filhos que se cansaram das suas humilhações públicas e imploraram em prantos, em plena semana do natal, para que saísse para sempre de Campos. Quem acha que deixaria alguma saudade, que experimente perguntar aleatoriamente a qualquer um no IFF que tenha sido obrigado a conviver com sua soberba ditatorial e suas práticas nefastas. Agora, além de tentar pegar carona nas denúncias de Marcão e acusar uma emissora de TV daquilo que fez com César Dias e vários outros no IFF, ainda quer ditar regras para o Observatório, idôneo até por livre da sua influência putrefata? Imoral, é como Midas ao avesso: tudo que toca, apodrece!

  3. Laila

    O problema de Campos, além do desgoverno e do descaso é o autoritarismo! Estamos numa ditadura e poucos são os que têm essa visão! Vivemos sob o medo de nos expressar, de dizer o que não está correto aos nossos olhos e entendimento, como a transparência na aplicação do royalties! Queremos saber onde é gasto o “NOSSO” dinheiro e não podemos saber, embora até desconfiemos do seu uso…talvez em fazendas, imóveis, jazidas de mármore na Bahia…funcionários da prefeitura tendo que praticar atos de vandalismo, de participar de comícios e atos outros! o que é isso? alguém pode dizer que não é medo? e não estou falando dos que enriqueceram nas gestões que se sucedem…esses querem dinheiro, e por ele são capazes de tudo e mais alguma coisa, mas os funcionários querem emprego…infelizmente não podemos dizer que queiram trabalho, mas…fazer o quê, né?Nos submetemos aos caprichos de um governo que se julga acima do bem e do mal e que está repleto de olhos atentos contra nós que não compactuamos com a corrupção que nos degrada dia após dia…olhem nossa cidade como está. Fico muito triste, por que a única coisa que me anima é saber que ainda há um órgão da imprensa que não está comprada…ainda…mas até quando? Não sei e tenho medo de saber…

  4. Odracir Satierf

    Quem exonerou o tal de Cesr Dias? Fiquei perdido e acho ue outros leitores também.

  5. maria

    Laila nao tenha medo isto nao acontecera.Pessoas com DNA de integridade jamais,reafirmo jamais se corrompem.

  6. Aluysio

    Caro Odracir,

    É só pesquisar no blog…

    Abç e grato pela colaboração!

    Aluysio

Deixe um comentário para Maria Cancelar resposta