Opiniões

Em todo resto do Brasil, Anthony é a favor dos protestos de rua

O Brasil volta às ruas hoje para mais protestos

Por Anthony Matheus, em 27-06-2013 – 10h55


Como podem ver estão programadas hoje manifestações em 18 cidades, entre elas, Rio de Janeiro, Rio das Ostras e Teresópolis, nesta última a revolta do povo contra Cabral e Pezão pelo desvio das verbas emergenciais é muito grande. E muita gente vai protestar contra a Globo, que é lobo, agora vestindo pele de cordeiro, para tentar enganar mais uma vez os brasileiros.

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 7 comentários

  1. Discordo.
    Em Campos ele esta muito incomodado com pedidos de transparencia. Se quem nao deve nao teme, por que o Dep. teme maninfestacao em Campos?
    Na camara de vereadores os paus mandados consegue atropelar todos pedidos de informacoes, mas com o povo na rua nao.
    Grande Dep. (trecho excluído pela moderação).

  2. GAROTINHO É (trecho excluído pela moderação), SERÁ QUE AS PESSOAS AINDA NÃO ENXERGOU ESSA SITUAÇÃO GENTE, ESSE CARA É DIGNO DE PENA É (trecho excluído pela moderação), FALA SERIO POVO ACORDA CAMPOS.

  3. kkkk, esse deputado é uma piada.

  4. Caro Claudio,

    Verissimo já escreveu: “Quando o leitor não entende o que o jornalista escreveu, a culpa é do jornalista”. Permita-me, pois, afirmar que estamos em absoluta concordância. Quando reproduzi a postagem do deputado, foi exatamente para ressaltar sua contradição em ser favorável às manifestações em todo o resto do Brasil no dia de hoje, enquanto ignora que neste exato momento, em Campos, uma idêntica manifestação ocorre pelas ruas de Campos, reunindo vários sindicatos e os “Cabruncos Livres”, para cobrar ações de participação popular e transparência no governo Rosinha, exercido de fato por Anthony Matheus, o Garotinho.

    Grato pela participação e abç!

    Aluysio

  5. Entao concordo com o nobre Jornalista. Rsrs
    Abç

  6. O município de Campos dos Goytacazes/RJ, infelizmente ostenta uma péssima fama em nível nacional.. É o maior produtor de petróleo do país e, por isso, aquele que recebe os mais altos valores de royalties e vive uma triste sina de uma instabilidade político institucional impressionante.
    E quanto a isso é de saltar os olhos que o último concurso para o cargo de Procurador Municipal aconteceu no século passado, mais precisamente no ano de 1996. Não precisa ser gênio da matemática para perceber que já fazem quase 20 anos do último certame. Como é público e notório no meio jurídico municipal a Procuradoria, Assistência Judiciária, PROCON, entre outras Secretarias, têm hoje vários advogados nomeados sem concurso público e assistentes jurídicos comissionados trabalhando na função de procurador municipal concursado.
    Isto fere frontalmente o que diz a Lei Orgânica do Município de Campos nos seu artigo 87:
    SEÇÃO V
    DA PROCURADORIA GERAL DO MUNICÍPIO
    Art. 87- A Procuradoria Geral do Município reger-se-á por lei própria,
    atendendo-se, com relação aos seus integrantes, o disposto nos artigos 37, XII, 39, §1º, e 135 da Constituição Federal.
    Parágrafo Único- O ingresso na classe inicial da carreira de Procurador Municipal dar-se-á mediante concurso de provas e títulos, na forma da lei.

    É prática reiterada essa modalidade de contratação em que a Empregadora- Administração Pública Municipal costuma deixar os servidores à míngua, fato este que já se tornou uma rotina perniciosa na cidade de Campos dos Goytacazes, em todos esses casos com a ação e omissão do referido ente público, que contrata de forma pouco acurada e, principalmente, durante a prestação de serviços inclusive de natureza jurídica, não adotando qualquer medida de caráter fiscalizador, um verdadeiro descaso com o servidor temporário, parte menos favorecida e que acaba suportando o ônus de uma Administração Pública relapsa, estando latente a RESPONSABILIDADE PRINCIPAL da municipalidade, seja por culpa in eligendo e, especialmente, in vigilando.
    Os Tribunais de Justiça dos Estados já contam com decisões no sentido de considerar inconstitucional o cargo de Procurador Municipal provido a partir de vínculo precário, fixando a necessidade de prover os membros da carreira observando os ditames constitucionais:
    “AÇÃO CIVIL PÚBLICA Criação de cargos comissionados para exercer função de Procurador Jurídico Municipal Ilegalidade reconhecida em primeiro grau Recurso de apelação interposto pela Municipalidade-ré, alegando a ausência de interesse do Ministério Público e violação ao princípio da separação de poderes Inocorrência Criação de cargos comissionados para exercer função de procurador municipal, que viola a regra do sistema constitucional do concurso público, cujas características não revelam natureza de assessoramento, chefia e direção, medida que afronta aos princípios constitucionais da Administração, ilegalidade esta que autoriza seja realizado o controle do ato pelo Poder Judiciário – Sentença mantida Recurso desprovido. (TJ/SP – Apelação nº. 0004883-11.2009.8.26.0572. Relator Desembargador WANDERLEY JOSÉ FEDERIGHI)´.”
    Por tudo isso, objetiva-se provimentos da Prefeitura, da Câmara dos Vereadores ( função de fiscalizar atos da Prefeitura) e do MP/RJ ( fiscal da lei) e que A Municipalidade tenha a obrigação de regularizar o provimento de cargos de Procurador Jurídico do Município, os quais atualmente são providos, irregularmente, por livre nomeação, como cargos em comissão. Aduz que há cargos exercidos, dentro da Administração Municipal, de procurador jurídico com provimento em comissão, sendo que tal não se coaduna com a natureza do referido cargo.

  7. O povo campista é boníssimo e por ser inocente,crédulo e sem maldade acredita nesta família.Mas a verdade sempre aparece e como os jovens sempre estão mais antenados que seus pais ,enxergam mais longe.

Deixe uma resposta para Renato Aveiro Cancelar resposta

Fechar Menu