Opiniões

Após Léo Santos e “Cabruncos Livres”, eleja os “lamparões” da cidade

Com sua estreia já anunciada aqui, pelo “Ponto de Vista” do Cristiano Abreu Barbosa, outro jornalista da Folha, além da Lívia Nunes reproduzida abaixo, também estreou recentemente seu blog na versão virtual do jornal: o Fernandinho Gomes. Titular há 35 anos da coluna “Mistura Fina”, Fernandinho é, junto com o professor Aristides Soffiati, a pessoa a escrever há mais tempo no jornal, o que atesta sua pluralidade desde sua fundação, em janeiro 1978. E o mais legal de ver o primeiro fazendo sua passagem do impresso ao virtual, é ler seu blog bem transado para constatar que ele mergulhou mesmo de cabeça na pós-modernidade das mídias.

Abaixo, no vácuo da vitória de Léo “Lamparão” Santos nos octógonos do TUF-Brasil 2 (relembre aqui) e do bom combate dos “Cabruncos Livres” pelas ruas de Campos, Fernandinho promove uma eleição para conhecer quem mais tem feito jus, de maneira positiva, aos neologismos da Baixada da Égua, imortalizados na obra imortal do escritor José Cândido de Carvalho (1914/89). Vale a conferida…

Vamos eleger os “Cabruncos Lamparões” da planície!

Por Fernandinho Gomes, em 26-06-2013 – 9h14

Bom dia! Continuamos a comentar alguns assuntos que foram destaque este mês.

“Cabrunco lamparão!” Vindo à tona pelo lutador campista, campeão Léo Santos de MMA. Pois é, Cabrunco vem de carbúnculo, que mudou o seu sentido e forma original com o tempo. É uma doença dada em boi, uma ferida preta. Mas não é exclusividade nossa.  No norte também é usada ou melhor, em região de cana de açúcar. A coisa não parou só por ai. Centenas de jovens foram às ruas sob o título de “Cabruncos Livres” fazendo suas reivindicações. Palavras exclusivas de nosso uso são: lambreta que significa sandálias, pocar, enxugador e a exclamação no ponto de ônibus. “e vem” e também “e veio”, que é quando o ônibus chegou e já foi… Fernandinho Gomes também é cultura! Eta lamparão! Não é só o aumentativo para a palavra lamparina é também doença dada em boi. Nossa língua é a “Cara da Riqueza”. Tem um “tisgo” (que vem ser primo do cabrunco e do lamparão) estão me chamando de miquira. Eu sei que emagreci e que ando com as “calças na mão”. Acho melhor para por aí e recomendar a leitura do nosso blog para os ingiados (gente de temperamento difícil), para começar o dia com humor!

Eu ia terminar por aqui, mas pintou uma ideia. Vamos criar um concurso para eleger quem são “Os cabruncos lamparão da cidade”. Envie o seu e-mail para o [email protected] A sua identidade não será revelada, apenas a sua sugestão. Fui!

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem um comentário

  1. Fernandinho faz parte do nosso folclore.Folha da Manhã sem Fernandinho Gomes,não é Folha da Manhã.

Deixe uma resposta

Fechar Menu