Opiniões

“Cabruncos” lutam não por si, mas por toda Campos

Do impresso ao blog: Uma só marcha

Por Gustavo Matheus, em 07-07-2013 – 16h18

Artigo publicado, hoje, na edição impressa da Folha.

Médicos, catadores e estudantes, unidos em uma só marcha. Se as diferenças são enormes, com quilômetros abismais entre as classes sociais que habitam, e ideologias bem distintas, os mesmos mostraram que, de fato, o povo é um só, assim como seu desejo; ter sua voz ouvida por quem a ignora.

A classe médica caminhou até a Praça São Salvador, onde se uniu ao grupo jovem “Cabruncos Livres”, assim como os catadores da Codin, para depois seguirem, como um só corpo, não por eles, mas pela própria população que vive nesta planície, até a Câmara de vereadores.

Os fanfarrões de plantão, do alto de seu comodismo financeiro, bem egocêntrico, daqueles que nunca se viram sem a mamadeira regada com leitinho do Executivo, seja rosa ou vermelho, não interessa a cor, tentam, novamente, diminuir o movimento. Obviamente, o número de manifestantes decresceu bastante. Mas por outro lado, o grupo ganhou em qualidade. O momento modinha dos protestos está acabando, aqueles que haviam despertado voltam a pregar os olhos, só quem nunca dormiu segue lutando. Os grandes ativistas de Facebook voltam aos tópicos mundanos, recheados em futilidade, ditados por quem, até pouco, criticavam e expulsavam dos manifestos.

Quem disse que o movimento perdeu força não soube avaliar bem os fatos. Um grupo, com cerca de 500 pessoas, não coagidas ou manipuladas, foi às ruas. Dentre os manifestantes estavam diversos estudantes de medicina, médicos renomados e recém-formados, os “Cabruncos Livres”, basicamente formado por estudantes da UFF (Universidade Federal Fluminense), além dos catadores e simpatizantes das causas em gerais. Uma mescla única! Pode-se dizer, até, inédita. E outra; o grupo conseguiu marcar uma reunião com o presidente do Legislativo campista, o vereador Edson Batista.

Apesar de todos estes méritos já citados, certos anciões, peritos no caminhar com a batuta, o poder, insistem com seus discursos grisalhos, na tentativa vil e baixa de desmoralizar um movimento de âmago nobre, que vem, dia após dia, conquistando seu espaço, além, é claro, dos corações que habitam nesta planície. Os “Cabruncos”, “Lamparões” e “Garrotilhos” devem seguir lutando, não por eles, mas por toda Campos.

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 2 comentários

  1. Certo Gustavo,emocionada fiquei em participar ju.to com estes rapazes e moças.Está claro que o governo ficou incomodado,a luta do pessoal da saúde,que é única,funcionários burocratas enfermeiros fisioterapeutas psicólogos ,odontólogos,aux de enfermagem enfim todos temos que buscar a união e partirmos com tudo,já que alguns representantes (vereadores da situação)não o fazem.A passagem a 1,00 real talvez tenha diminuido a força do movimento , O SUS filosòficamente é perfeito,temos que colocá-lo para funcionar e fiscalizá-lo.

  2. Que adianta passagem a 1,00 real se a qualidade do transporte é péssima? População campista se tá bom fica.

Deixe uma resposta

Fechar Menu