Opiniões

Diretor do “Oito de Paus” responde Trianon e reafirma censura religiosa de Rosinha

O diretor do grupo teatral carioca “Oito de Paus”, Luís Felipe Perinei, enviou por e-mail ao blog uma resposta à nota divulgada só hoje, aqui, pelo superintendente do Teatro Trianon, João Vicente Alvarenga, em relação ao polêmico cancelamento da peça “Bonitinha, mas Ordinária”, de Nelson Rodrigues, por supostos motivos de ordem pessoal e religiosa da prefeita Rosinha (PR). Abaixo segue na íntegra a versão de Luís Felipe aos fatos que hoje ganharam aqui a mídia nacional…

Luís Felipe Perinei
Luís Felipe Perinei

Rio de Janeiro, 10 de julho de 2013, 14:45.

Vou começar essa nota em resposta a nota oficial da Prefeitura de Campos com o seguinte e-mail enviado a mim por Ademilde Pacheco, diretora artística da Fundação Trianon, no dia 01/07/13:

Olá Felipe,

A Prefeitura de Campos está vivendo um momento de muitas mudanças nas Secretarias e Fundações, com isso as agendas a partir de agosto foram para a equipe da prefeita para confirmações e / ou novos espetáculos.

O João Vicente pediu para que eu cancelasse tudo que estava pré agendado, e ficarmos no aguardo de novas orientações. Inclusive aqui era Fundação Teatro Municipal Trianon, agora perdeu a autonomia. É somente Teatro Municipal Trianon. Ficando tudo subordinado ao Gabinete da Prefeita.

Enfim, pedimos muitas desculpas e o seu material será devolvido por SEDEX. Vamos ver como será a nova agenda. Por enquanto está cancelado.

Um grande abraço e muito obrigada pelo seu empenho e profissionalismo. Desejo sucesso.

Ademilde Pacheco
Diretora Artística

Bom, em primeiro lugar, o e-mail é bem claro relatando o cancelamento e não há nenhuma justificativa referente a documentações que estejam erradas ou algo do tipo. Temos e-mails e registros de ligações, em junho, da Fundação Trianon para a nossa empresa produtora, confirmando o espetáculo e inclusive a Fundação nos ofereceu transporte e uma possibilidade de hospedagem na cidade. Se tinha algum problema na documentação, como que a Fundação nos liga confirmando o espetáculo e ainda nos oferece hospedagem e transporte? Mistério!

Em segundo lugar eu tenho os registros de ligações feitas para o Sr. João Vicente Alvarenga em que conversamos sobre este cancelamento e onde ele me relatou a justificativa dada pela Fundação Oswaldo Lima sobre a “imoralidade” de Nelson Rodrigues que poderia ofender a religião da prefeita de Campos.

Em terceiro lugar o e-mail diz claramente que a agenda do Teatro Trianon ficou submetida ao Gabinete da Prefeitura, ou seja, segundo o e-mail a prefeita ou os seus assessores de gabinete teriam acesso a agenda, existindo então, a possibilidade dela vetar a peça devido a motivos religiosos ou algo do tipo e creio eu que foi exatamente o que aconteceu.

Em quarto lugar, a nossa empresa produtora (A Garagem) é uma empresa extremamente correta em todas as suas funções jurídicas, tão correta que ela é responsável por projetos aqui na cidade do Rio de Janeiro e a peça “Bonitinha, mas ordinária” atualmente está em sua terceira temporada aqui pela cidade e nunca tivemos nenhuma espécie de problemas com as documentações. Acho que não são os nossos documentos que estão errados, talvez seja a Fundação Trianon ou a Prefeitura de Campos que esteja equivocada.

Em quinto lugar, é uma decepção para o Grupo, para mim, para classe artística e para a minha família (que mora em Campos) ver que o Sr. João Vicente Alvarenga diz que houve mentiras por parte do Grupo. Eu aprendi na minha graduação na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) no curso de Direção Teatral, que um homem de teatro tem que sempre honrar a sua palavra em favor da arte e fico decepcionado quando vejo que o homem de teatro que é o Sr. João Vicente nega o seu contato comigo pelo telefone, no dia 08/07/13, em que me informou as justificativas religiosas sobre o veto da peça “Bonitinha, mas ordinária”. Ainda bem que temos os registros de ligação que comprovam o contato e as conversas.

O Grupo de Teatro Oito de Paus declara formalmente a sua indignação e o seu repúdio ao desrespeito pelo trabalho profissional de artistas de teatro na cidade de Campos. Gostaríamos de informar para os políticos e funcionários da Prefeitura que os senhores estão lidando com profissionais e artistas que sabem o que estão fazendo e que procuram o máximo de honestidade, clareza e comprometimento com a arte neste país.

E discordando do Sr. João Vicente de Alvarenga, talvez o verdadeiro preconceito, intolerância e mentira esteja realmente do lado certo.

Luís Felipe Perinei – Diretor do Grupo de Teatro Oito de Paus

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem um comentário

  1. Agora, vem o silêncio sepulcral por parte da digníssima prefeita e seus asseclas sem cérebro….pois quando a “coisa pega” é melhor ficar caladinho e não se mexer para não feder mais.

    Campos, terra do chuvisco e das pessoas burras(segundo o IDEB).

Deixe uma resposta

Fechar Menu