Ricardo André esclarece os esclarecimentos da presidente da FCJOL

CARAPUÇA VESTIDA

Por Ricardo André Vasconcelos, em 26-08-13 – 18h04

Ainda sobre a entrevista da presidente da Fundação Cultural, o Blog veste a carapuça e, antes de comentar, destaca uma resposta de Patrícia Cordeiro:

“Tem coisas que quando eu leio vejo que a pessoa está totalmente desinformada. Tem gente que lê, por exemplo, o Diário Oficial, não interpreta o que está escrito e, mesmo assim, omite opinião. E, aí, claro, de forma equivocada. Vou dar um exemplo: Publicação de licitação na modalidade de registro de preço, que é interpretado como se fosse para um único evento e que não é. E quem entende desse mecanismo, sabe como funciona”.

Este blogueiro tem por hábito antigo ler o Diário Oficial e, com o advento da Internet e suas facilidades, acha importante multiplicar as informações ali contidas como forma de dar aos leitores elementos para formação de juízo de valores. E assim o faz: Acho fundamental que o morador de  Morro do Coco, por exemplo, que tem dificuldade de acesso aos serviços de saúde, saiba quanto custa o aluguel do palco para a realização da festa de sua comunidade. Assim como qualquer munícipe precisa ser informado sobre quanto custo o calçamento da sua rua, a reforma da escola da comunidade e por aí vai. Assim, quem sabe um dia, o cidadão possa escolher entre gastar R$ 53.108,00 num show de Neguinho da Beija Flor (aqui), R$ 158 mil num show de Michel Teló (aqui), ou R$ 501 mil para aluguel de palco (aqui) ou ter remédio no Posto de Saúde, gaze e esparadrapo nos Postos de Urgência e quem sabe até professores bem formados e bem pagos na rede pública.

E nenhuma das citações acima são referentes a “registro de preço” e sim despesas efetivamente realizadas, no caso dos shows, e referente ao aluguel dos palcos trata-se de extrato do contrato 098/2013 para ser executado em 60 dias por R$ 501.215,00 pela empresa WORKING EMPREEDIMENTOS E SERVIÇOS LTDA, a mesma que aluga banheiros químicos para as festas, reforma escolas e até fornece abrigos de passageiros.

Portanto, este Blog pode até equivocar-se, mas não neste caso e não “omite” opinião. Pode até emitir, mas fundamentalmente divulga informação que é pública, mas inacessível à maioria. E, quanto à possibilidade de equívoco quando se interpreta como um único evento, que tal dar transparência e discriminar todos os eventos atendidos pelo aluguel de equipamentos de todos os contratos? A transparência não é só vacina contra interpretações mal feitas mas também evita eventuais desvios de funcionalidade dos recursos públicos.

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 5 comentários

  1. Carlos

    André
    Esta senhora não tem capacidade de administrar nada.
    Ela enrola não explica nada e acaba se enrolando. Acredito que será a bola da vez, que d. rosinha vai limar.
    Até a próxima.

  2. HUGO ALMEIDA

    Ora, ela “aprendeu” na cartilha da Prefeita!Aliás, todos da “situação” insistem na intransparência!

    Infelizmente os movimentos de rua enfraqueceram! Era mais ou menos esperado que isto ocorresse, pois os jovens tendem ao imediatismo. Apesar de haver sido uma oportunidade de conscientização, a mesma se deu, neste momento, mais como uma ‘iniciação à cidadania’.

    É uma pena, porque começava a incomodar e parecia que ia dar certo, pelo menos, na questão da “intransparência”.

    É claro que na “Inteligentzia” da Câmara, esperava-se que o movimento enfraquecesse e parece que tinham razão. Nada como velhas “hienas” nestas questões.

    Esta senhora, presidente da FCJOL não teria como explicar o inexplicável, daí, as respostas vazias e desprovidas de sentido. Como eu disse acima, aprendeu na ‘cartilha’ da Prefeita, ou seja, o “oba-oba” vai continuar!

  3. JOSE GERALDO

    Por mais esses desmandos, eu estou representando na Promotoria de Investigações Penais sobre prováveis crimes de lesa-cofres praticados lá, com mais de R$3.000.000,00 de contratos desse tipo. Já corre um ICP sobre parte disso na Promotoria de Tutela Coletiva, cujos documentos irão certamente ajudar à Promotoria de Investigação Penal.

  4. alexsandro

    Esta bem claro e nitido o que realmente acontece… aonde a falta de transparencia, devido aos desvios das verbas publicas que sao jogadas no ralo, atraves de privilegios ao parceiro, traduz exatamente as diretrizes de GOVERNINHO, pequeno e mediocre como seu lider quadrilheiro condenado, de firma a traduzir toda sua obsessao e egoismo desse (trecho excluído pela moderação) campista, essa doenca que impede todo potencial dessa cidade, mantendo toda a cidade debaixo de seus pes com o medo de perder o poder…

  5. Savio

    Tudo isso chega às raias do absurdo! Se é um “nonsense” é de tremendo mau gosto.
    O que me deixa perplexo é a franca impunidade, o desleixo das instituições que representam a Justiça ou sua aparente vocação em nada apurar, mesmo com tantos indícios de coisas suspeitas!
    Ano após ano temos visto este tipo de coisa em nossa cidade e em todo o país! Acredito que toda a Política brasileira chegou ao limite absoluto do fracasso, e atribuo aos políticos a responsabilidade por manter este nefasto estado de coisas.

    O pior disto tudo, é que e esta gigantesca máquina transformou-se na cabeça de um monstro! Completamente maquiavélico, consegue ter a eficácia de manter o “sistema”. A parte mais perversa dele é a manipulação, principalmente das camadas mais humildes, através do falso assistencialismo e todos os meios possíveis de manipulação e cooptação.
    Adicione-se a isso uma Educação precária e com isso é possível manter por prazo indeterminado qualquer situação de miséria. Tudo o mais, como a situação precária da Saúde, a falta de empregos, a insegurança com uma violência cada vez mais crescente, e temos assim o “cenário”, completamente apropriado para que todo “sistema” permaneça ativo e eficaz.

    No mais, o anestésico “pão e circo” como parte do “remédio”.
    Finalmente, o espanto que nos causa ao vermos pessoas capazes, mas vencidas pela vaidade do “status”, sendo compradas pelo sistema e tornando-se cúmplices dele.

Deixe um comentário para JOSE GERALDO Cancelar resposta