Opiniões

Feijó à reeleição com Garotinho por prioridade e Rosinha como melhor prefeita

A parceria com Garotinho rendeu a Paulo Feijó o melhor dos seus quatro mandatos como deputado federal, na qual para Campos e região “nunca foram liberados tantos recursos como agora”. Como reconhecimento a esse trabalho, à sua capacidade de andarilho pelo Norte e Noroeste Fluminense e à capacidade de puxadora de voto de Clarissa, Feijó aposta em sua reeleição em outubro, pleito no qual aponta como prioridade a vitória do líder na disputa a governador. Ao afirmar também que Rosinha é a prefeita de melhores resultados na história de Campos, ele admitiu tê-la ajudado a se eleger em 2008, ainda que na época tenha negado ter concorrido como candidatura auxiliar. Sem ansiedades, acha que 2016 só se discute em 2016, e que “política é igual a futebol, tem catimba”.

 

Feijó

 

Folha da Manhã – Reconhecido como andarilho pelos municípios do Norte e Noroeste Fluminense, como está preparando sua campanha à reeleição a deputado federal pelo PR?

Paulo Feijó – Continuo andando muito, e mantendo todas as minhas características, destacando credibilidade, grupo político forte, liderado pelo deputado Garotinho, e serviços prestados em todos os municípios das regiões Norte e Noroeste do Estado do Rio, sem exceção. A nossa base está montada. Teremos o apoio de cerca de 12 prefeitos da região, dezenas de vereadores e lideranças, e até nos municípios onde não temos prefeitos, seremos muito bem votados pelo reconhecimento, como por exemplo em São Fidélis, São João da Barra, Bom Jesus, entre outros.

 

Folha – Inegavelmente, a puxadora de votos do PR à Câmara Federal será a hoje deputada estadual Clarissa Garotinho. Ela já declarou que não aceitará ser vista em Campos e região como candidata de fora. Como uma coisa o ajuda e a outra pode atrapalhar?

Feijó – Novamente o PR elegerá uma grande bancada em função da expressiva votação da deputada Clarissa à Câmara Federal. Isso ajuda muito a todos nós. Minha candidatura e a de Clarissa, como as duas únicas do nosso grupo nas regiões Norte e Noroeste, não só praticamente consolida Clarissa como uma das mais votadas do Estado, como também cria para mim uma excelente perspectiva de eleição com excelente votação.

 

Folha – Em seu blog, o jornalista Ricardo André Vasconcelos publicou recentemente (aqui) uma edição do extinto jornal A Cidade, de 23 de agosto de 1989, cuja manchete foi sua afirmação de que o então prefeito Anthony Garotinho seria um “vira-lata”. O que mudou de lá para cá? Como e por quê?

Feijó – Com todo respeito ao jornalista Ricardo André, mas ele foi desenterrar um defunto de 25 anos atrás. Isso já acabou. Há praticamente seis anos faço parte do grupo político de Garotinho, sem nenhum arranhão, com uma excelente relação de amizade com Garotinho e com todo grupo político. E essa ótima relação tem sido traduzida em benefícios para Campos e região. Vejam só os resultados. Nunca foram liberados tantos recursos como agora, em todas as áreas, graças a esta parceria. Por exemplo: Complexo Logístico Farol/Barra do Furado, aeromóvel para Campos, R$ 10,5 milhões para a construção do novo hemocentro regional, mais recurso para saúde, educação, infraestrutura das cidades, esportes, etc. Isso não pode ser ignorado, nem pelos adversários mais radicais.

 

Folha – O Blog do Bastos repercutiu recentemente (aqui) a afirmação de Garotinho de que poderia ter o apoio de Luiz Fernando Pezão (PMDB) em outubro. Segundo Garotinho, o vice-governador teria aventado essa possibilidade numa conversa com você. Pezão negou e ameaçou o inquirir judicialmente. O que há de fato nisso tudo?

Feijó – Realmente tive uma conversa com Pezão no Palácio Guanabara, num momento que Pezão estava muito preocupado com um possível processo de fritagem de sua candidatura pelo rolo compressor do PT. Ele desabafou comigo. E política é igual a futebol, tem catimba!

 

Folha – Você já tem uma dobrada planejada com algum pré-candidato a deputado estadual? Como sua base eleitoral é pulverizada na região, há possibilidade de dobrar com mais de um?

Feijó – Vou trabalhar muito para me reeleger com uma belíssima votação, consolidando a minha superação no meu recomeço político. Portanto, sou obrigado a dobrar com todos os candidatos a deputado estadual da região que estejam apoiando a candidatura de Garotinho a governador do Estado.

 

Folha – Consta que Geraldo Pudim (PR) foi um dos principais artífices, a partir da eleição municipal suplementar de 2006, da sua aproximação com o grupo de Garotinho. Isso garantiria seu apoio a ele agora, em 2014?

Feijó – Pudim é meu amigo, como todos os outros candidatos também são. Vou procurar trabalhar com todos, objetivando sempre a nossa grande prioridade, que é a eleição de Garotinho novamente governador do Estado.

 

Folha – Como vê a pré-candidatura de Bruno Dauaire (PR), costurada pelo presidente do PR em Campos, Wladimir Garotinho?

Feijó – Wladimir é hoje uma das mais importantes lideranças do nosso grupo político, tem muito a ajudar a todos nós candidatos. Ele quer contribuir também focando na importante e necessária renovação em nosso grupo. Bruno Dauaire é uma excelente renovação, principalmente no município de São João da Barra.

 

Folha – Um dos vereadores cujo apoio Wladimir teria conseguido para Bruno (leia aqui) é Neném (PTB). Como ele também já fechou seu apoio a você, isso formaria uma ponte natural entre sua pré-candidatura e a do jovem Dauaire?

Feijó – Neném é um vereador atuante que espontaneamente confirmou seu apoio à minha candidatura. Se também vai apoiar Bruno Dauaire é natural que essa dobrada se consolide.

 

Folha – Além de Neném, o outro edil do PTB, o presidente da Câmara Edson Batista, também caminhará com você em outubro. Que peso esse apoio terá? Está fechando com mais algum vereador de Campos ou liderança de outros municípios?

Feijó – O apoio do presidente da Câmara, Dr. Edson Batista, também aconteceu espontaneamente. Ele que me deu a notícia de que iria me apoiar. Isso aumenta muito a minha responsabilidade de reciprocidade. Dr. Edson é um político de excelente conceito em nosso município, muitos serviços prestados, e com certeza fortalece minha candidatura nesse período de início de articulações política. Me honra e me valoriza muito contar com apoio dos dois vereadores do PTB no nosso município. Esse processo de quem apoia quem, está só começando. Não se pode ter ansiedade. Com certeza, em Campos e nos outros municípios da região, tanto eu quanto Clarissa teremos excelentes apoios.

 

Folha – Você foi eleito na última quarta (19) à presidência da Comissão de Agricultura da Câmara Federal (confira aqui). Como a questão agrária ainda é fundamental à maioria dos municípios da região, o que poderá fazer por eles em Brasília?

Feijó – A Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural é uma das mais importantes da Câmara dos Deputados, muitíssimo disputada pelos partidos políticos. Coube ao PR esta única comissão, também muito disputada dentro do nosso partido. Tive o apoio do atual líder da bancada, o deputado Garotinho, e do futuro líder, deputado Bernardo Santana (PR/MG). No momento, para eles, o meu nome era o mais consensual, e isso me deixou muito honrado. Na Comissão de Agricultura mediaremos interesses de governo e oposição, de ruralistas e ambientalistas, de latifundiários e sem terra, discutiremos toda problemática da questão agrária no nosso país, valendo ressaltar que estaremos sempre atentos aos interesses de Campos e região. Essa oportunidade, sem dúvida, me fortalece, principalmente junto ao Governo Federal, e daremos conta desta importante responsabilidade.

 

Folha – Como o deputado estadual João Peixoto (PSDC) também preside a Comissão de Agricultura na Alerj, vocês vão trabalhar juntos pela economia da região, apesar de caminharem separados politicamente em outubro?

Feijó – Em toda minha trajetória política sempre prevaleceu o interesse público, e com o deputado João Peixoto não será diferente. Tenho com ele uma excelente relação de amizade. Vamos trabalhar juntos.

 

Folha – O que Paulo Feijó fez e ainda pretende fazer em seu atual mandato que o credenciará a buscar a reeleição junto ao eleitor?

Feijó – Nos três mandatos anteriores tenho minha consciência tranquila de que fiz muito por Campos e região. Liberamos recursos para aos hospitais filantrópicos, Santa Casa de Misericórdia de Campos, Beneficência Portuguesa e Álvaro Alvim, como ninguém nunca liberou. Ajudamos a tirar estas instituições de saúde praticamente da falência. Atuei como ninguém, principalmente na Saúde, em todos os municípios da região. No atual mandato, começamos com muitas conturbações. Fui vítima de uma decisão liminar injusta do TSE, que me tirou seis meses e 12 dias de mandato, mas superamos. Com tudo isso, através da excelente parceria que faço com o deputado Garotinho, tenho certeza que este seja o meu melhor mandato em resultados para Campos e região, como já foi dito nesta entrevista. Vamos continuar o nosso trabalho, e agora como presidente da Comissão de Agricultura surge uma excelente perspectiva de bons resultados para este ano. Estou muito seguro da minha posição política. Os resultados nas urnas virão pelo reconhecimento, em consequência deste trabalho.

 

Folha – Caso consiga se reeleger, seu nome passa a entrar na disputa governista para ser o nome do grupo a tentar suceder Rosinha Garotinho (PR) na Prefeitura, em 2016?

Feijó – Minha grande prioridade no momento é ajudar Garotinho a ser eleito novamente governador e ajudar a eleger boas bancadas de deputados federais e estaduais do nosso grupo político, para defender os interesses de Campos e nossa região. Para o bem de Campos, o projeto de 2016 deverá ser discutido somente em 2016. Ainda está muito longe, não se pode ter ansiedade.

 

Folha – Como alguém que foi por anos o principal opositor de Garotinho em Campos, passando depois a caminhar junto dele, o que acha que falta a oposição local para um dia se equiparar a quem, desde 1989, é o maior quadro político da cidade?

Feijó – Fui oposição a Garotinho durante 20 anos. Neste período praticamente ganhei todas as eleições que disputei, ocupando o espaço oposicionista. Esse espaço foi diminuindo com a fragmentação da oposição. No momento político e pessoal mais difícil da minha trajetória, fiz aliança com Garotinho, em 2008, ajudando a eleger Rosinha prefeita, e hoje considero Rosinha a prefeita de melhores resultados na história do município de Campos. Atualmente, essa parceria de seis anos, traduzida em bons resultados, como já falamos, me fez conhecer melhor a pessoa e o homem público que Garotinho é. Político de muito trabalho, dedicação integral, muito preparado, experiente, de muitos serviços prestados e de relacionamento no mundo político, jurídico e empresarial. É um excelente amigo. Política é assim que se faz, e o político que quiser se consolidar tem que seguir este caminho. Poucos sãos os políticos de vida longa no município de Campos e no Brasil. A oposição em Campos está começando, isso requer dedicação, tempo, competência, bom conceito e serviços prestados. Essa oposição não vai se consolidar em curto prazo.

 

Publicado hoje na edição impressa da Folha.

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 16 comentários

  1. Rosinha,prefeita de melhor resultado de Campos?,das duas uma,ou você esta desesperado com teu fracasso politico,ou tuas palavras não se escreve

  2. Estava morto do outro lado do rio, o Garotinho o arrebatou para o bando de cá.

  3. Até jabor que era ferrenho “amigo” do mrs bean ae nem comenta mais… Politico zero a a esquerda… E deve estar chateado que o patrão só conseguiu a comissão Comissão de Agricultura, se conseguisse da saúde desencalhava as ambulâncias restantes… eeee Campos, que fase com estes políticos (trecho excluído pela moderação)

  4. Parabéns Feijó, o verdadeiro político prioriza os interesses da sua terra independente das falácias daqueles que estão no tabuleiro político objetivando os seus próprios interesses.
    Quando os meus (Campos) e’ prioridade, reavalio meus posicionamentos para o bem da coletividade, este e’ o seu posicionamento pelo que pude avaliar, a vaidade e a soberba leva o homem a destruição, e você foi humilde em reconhecer que com o passar dos anos pode observar que Campos tem um político que muitos municípios de nosso Estado gostaria que fosse de “sua” terra.
    Parabéns, porque independente do que os outros pensem ( meia dúzia) você não parou e nem deu ouvidos aos pessimistas e criadores de contendas, os campistas ganharam quando apostaram em você novamente, siga em frente, seja elegante como foi nesta entrevista mostrando pleno equilíbrio ao não cair nas pegadinhas capciosas. rsrsrs.

  5. E olha que eu tenho grande respeito pelo Aluysio Abreu!!!

  6. Santo Deus!!! Este Sr. está precisando urgente de um oftalmologista! Rosinha a melhor prefeita? No máximo, pode-se dizer que foi a primeira mulher Prefeita de Campos, mas a “melhor”? Francamente, Deputado!

    Que o Sr. depois de 20 anos contra, mude de lado, deve ter lá os seus motivos, alguns bem “pessoais”, pois certamente só o Sr. e o seu travesseiro sabem. De uma coisa eu tenho certeza, eu não voto no Sr. e muito menos no Garotinho.

    Os motivos de não votar em um e em outro? O mesmo! No Sr. porque é capaz de se aliar, depois de combater o Deputado durante 20 anos, e nele, porque foi capaz de aceitá-lo.

    A principal coisa que eu espero num bom candidato é caráter, e isto significa coerência e consistência.

  7. Como bem disse Feijó, política é assim que se faz: virando casaca o tempo todo, sempre procurando o melhor puxador de voto!

    Ou seja, importante é garantir reeleições sucessivas, e não o bem-estar da população. Mesmo que os aliados mereçam mais estar atrás de grades!

  8. Nobre colega Marcos Paulo, minha amizade com o Deputado Feijó é genuína, nada tem com a politica. A respeito da entrevista do Deputado nós vemos o amadurecimento politico do mesmo, parabéns nobre Deputado e conte comigo para o que der e vier.

  9. É UMA VERGONHA DIZER QUE ROSINHA É A PREFEITA DE MELHORES RESULTADOS EM CAMPOS.ENTÃO VEJA VOCÊ MESMO,FAÇA SUAS CONCLUSÕES:ONDE FORAM PARAR OS R$1.600.000.000,00(UM BILHÃO E SEISSENTOS MILHÕES DE REAIS)DE ROYALTIES QUE A PREFEITURA RECEBEU NO ANO PASSADO?É MUUUUUUUUUUITO DINHEIRO E NADA DE MUDANÇA NA CIDADE.ENQUANTO ISSO,POBRE QUE PRECISA MARCAR CONSULTA NO MÉDICO,PRECISA FICAR NA FILA DESDE 3:00 DA MADRUGADA.QUEM QUER TRABALHAR,VAI PARA MACAÉ,ETC…E ESSES BANDOS DE POLÍTICOS NÃO ESTÃO NEM AÍ PARA NÓS, SÓ PENSAM EM SE REELEGER, UM APOIANDO O OUTRO. É GANÂNCIA POR PODER, ETC…
    ESTOU FAZENDO UMA CAMPANHA,PARA UM GRANDE PROTESTO,NO QUAL VOU CONVOCAR OS ELEITORES A ANULAR SEUS VOTOS ESTE ANO,SERÁ UM PROTESTO PARA MEXER COM A MÍDIA, MEXER COM OS PRÓPRIOS POLÍTICOS,MOSTRAR PARA ELES QUE NÃO AGUENTAMOS MAIS TODA ESTA SITUAÇÃO.
    VAMOS ANULAR NOSSOS VOTOS, SE ALCANÇARMOS 50% OU MAIS DOS VOTOS NULOS, A ELEIÇÃO DEVERÁ SER CANCELADA E OS MESMOS CANDIDATOS NÃO PODERÃO PARTICIPAR DE NOVA ELEIÇÃO (SÓ DAQUI 4 ANOS), DEVERÁ TER OUTROS CANDIDATOS. ISSO NÃO IRRITARIA ELES? (OS POLÍTICOS).
    EU AMO MEU BRASIL, EU AMO MINHA CIDADE (CAMPOS), EU AMO A VIDA E RESPEITO O MEU PRÓXIMO!

  10. Valeu jabor, pensei que estava brigado com o seu amigo mrs bean. Porque no blog painel do saulo pessanha, sai uma matéria toda semana do seu amigo, e nem você estava comentando… foi mal… rs

  11. Caro Siqueira,

    Ressalvado o respeito que tenho por vc, como leitor e comentarista, discordo da capciosidade e das “pegadinhas” que enxergou nas perguntas. Talvez seja o caso de se estar acostumado às indagações amigas, quase laudatórias, tipo “rolo para vc chutar”, de outros entrevistas, feitas e publicadas por outros veículos de comunicação. Certamente não é o meu caso, ou da Folha.

    Abç e grato pela chance de esclarecer as devidas distinções!

    Aluysio

  12. E uma vergonha esses candidatos de Campos RJ.
    Eu não voto esses candidatos, tenho vergonha de morar e Campos RJ

  13. O que tem feito de prático o senhor engenheiro Paulo?

  14. Vejam só que balaio de gato se forma SE juntarmos GAROTINHO e FEIJO, esta dupla nos faz lembrar; ALVARO LINS, CORONEL CAÓ e S AN G U E S S U G A, que maravilha.

  15. Um político envolvido uma vez em maracutaia podemos acreditar que houve “armação”, quando se envolve com a “Operação Sanguessuga” e sai ileso e logo depois se une ao coronel Garotinho, vislumbramos uma (trecho excluído pela moderação) à vista. Povo BURRO de Campos deixem de ser ALIENADOS.

Deixe uma resposta

Fechar Menu