Opiniões

Golpe de 1964: Meio século em versos de planície

drummond

 

Meu Deus, essência estranha

ao vaso que me sinto, ou forma vã,

pois que, eu essência, não habito

vossa arquitetura imerecida;

meu Deus e meu conflito,

nem vos dou conta de mim nem desafio

as garras inefáveis: eis que assisto

a meu desmonte palmo a palmo e não me aflijo

de me tornar planície em que já pisam

servos e bois e militares em serviço

da sombra, e uma criança

que o tempo novo me anuncia e nega.

 

(Do poema “Elegia”, de Carlos Drummond de Andrade)

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Deixe uma resposta

Fechar Menu