Opiniões

Outro mico da Copa — França e Honduras sem hinos em jogo com auxílio eletrônico

Mesmo perfilada, seleção da França ficou sem hino (foto: EFE)
Mesmo perfilada, seleção da França ficou sem hino (foto: EFE)

 

Tão sangrento em sua letra, quanto belo, a Marselhesa, hino nacional da França, é um dos mais conhecidos e admirados no mundo. Já quanto o hino de Honduras, admito não sem algum constrangimento, nunca ouvi falar. O fato é que nenhum dos dois pôde ser executado hoje, antes do confronto entre as seleções nacionais dos dois países, válida pelo Grupo E da Copa do Mundo, na nova Arena do Beira-Rio, em Porto Alegre (RS). O motivo? Por enquanto, ninguém sabe!

Revoltados com mais esse mico ridiculamente desnecessário por parte da organização do país da Copa, os franceses presentes ao estádio, que neste exato momento vêem seu time voltar para o segundo tempo com o placar de 1 a 0, um pouco antes haviam entoado das arquibancadas, no gogó, o hino criado por Claude Joseph Rouget de Lisle, em 1792, para simbolizar a Revolução Francesa.

Para provar como seria ridiculamente fácil resolver a situação, contando apenas com um laptop conectado por modem, que poderia ser linkado em segundos a qualquer sistema de som, o blog disponibiliza abaixo os dois hinos. Serve para que se ouça mais uma vez a revolucionária Marselhesa, assim como para finalmente se conhecer a música da pátria hondurenha. Confira:

 

 


Atualização às 17h52: O árbitro brasileiro Sandro Meira Ricci acabou de soprar o apito final do França 3 x 0 Honduras. Mais do que pela arbitragem correta, ele entrará para a história como o primeiro juiz a ter a decisão contraposta pelo tira teima eletrônico da Fifa, exposto num telão para todo o estádio. No caso, felizmente, o brasileiro acertou a difícil decisão, numa bola que o atacante francês Karin Benzema cabeceou numa trave e foi de encontro à outra, quando o goleiro hondurenho Valladares tirou a bola que já tinha cruzado por poucos centímetros a linha do gol. Irônico que justamente no primeiro jogo com a interferência do tão desejado auxílio do recurso eletrônico, tenha se iniciado com uma falha tão rudimentar e desrespeitosa quanto a ausência dos hinos das duas seleções visitantes. Autor dos três gols da partida, Benzema, que não tem nada a ver com isso, é agora o artilheiro da Copa.

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 2 comentários

  1. O que se esperar de um estádio remendado por ordem da dona Dilma? Nem sistema de som funciona, como tudo no Brasil, infelizmente

  2. Nossa gente, quanto drama! Erros assim acontecem direto em todos os eventos. Nas olimpíadas de Londres, por exemplo, houve aquele jogo do futebol feminino em que a Coréia do Norte jogava, e o telão exibiu a bandeira da Coréia do Sul! Isso sim é algo muito mais grave do que esse erro que ocorreu no Beira-Rio, tanto que as coreanas fizeram um barraco e por minutos se negaram a entrar em campo.
    Que baita chatice essa que o povo brasileiro tem. O erro aconteceu e deve ser criticado, mas daí ficar com esse chororô de “Tudo no Brasil é assim” e bla bla bla é um dramalhão de extrema ignorância.

Deixe uma resposta

Fechar Menu