Lava Jato em Campos gera pedido de busca e apreensão

Antigo local de funcionamento da Obebrecht em Campos, às margens da BR 101 (foto de Tércio Teixeira - Folha da Manhã)
No antigo local de funcionamento da Obebrecht em Campos, às margens da BR 101, há uma placa do suposto endereço novo (foto de Tércio Teixeira – Folha da Manhã)

 

Mas no suposto endereço novo da Odebrecht só há um galpão de madeira sem ninguém, ao lado das obras do “Morar Feliz” inacabadas em Ururaí, que teriam sido abandonadas por falta de pagamento da Prefeitura (foto de Tércio Teixeira - Folha da Manhã)
Mas no suposto endereço novo da Odebrecht em Campos, só há um galpão de madeira sem ninguém, ao lado das obras inacabadas do “Morar Feliz” em Ururaí, que teriam sido abandonadas por falta de pagamento (foto de Tércio Teixeira – Folha da Manhã)

 

 

Por Aluysio Abreu Barbosa

 

Não é só na Câmara Municipal de Campos que a Operação Lava Jato chegou (aqui). Ela também já aterrissou na Justiça do município. A partir dos documentos divulgados na maior operação contra a corrupção na história do país, evidenciando o envolvimento da empreiteira Odebrecht em fraude de licitações e pagamento de propina, o Ministério Público Estadual (MPE) ajuizou ação no Fórum de Campos, contra pessoas físicas e jurídicas, pedindo medidas cautelares, como busca e apreensão e bloqueio de bens. O processo corre em segredo de justiça na 4ª Vara Cível de Campos, onde a juíza Elizabeth Franco Longobardi teria negado os pedidos do MPE. Nas duas etapas do “Morar Feliz”, assinadas nos dois governos Rosinha Garotinho (PR), mais os aditivos, a Odebrecht  levou no total R$ 996.434. 912,43 dos cofres públicos de Campos.

Na 23ª fase da Lava Jato, batizada de “Acarajé” e deflagrada em 22 de fevereiro, a Polícia Federal (PF) apreendeu planilhas com doações da Odebrecht para cerca de 300 políticos, de 22 partidos, entre eles (aqui) a prefeita Rosinha, seu secretário de Governo Anthony Garotinho (PR) e a filha do casal e deputada federal, Clarissa Garotinho (PR), além de outros políticos da região, como o prefeito de Macaé, Dr. Aluízio (PMDB), e o de Rio das Ostras, Alcebíades Sabino (PSC). Todos negaram ter recebido qualquer repasse ilegal da major empreiteira do país.

Como vários dos citados têm foro privilegiado, o juiz Sérgio Moro encaminhou as listas apreendidas ao Supremo Tribunal Federal (STF), que na semana passada devolveu os casos de primeira instância à Vara Federal de Curitiba, encaminhando os demais à Procuradoria Geral da República, para analisar a abertura de inquérito caso a caso. Essas planilhas estavam na residência de Benedicto Barbosa da Silva Júnior, diretor-presidente da Odebrecht Infraestrutura, que assinou (aqui) o contrato da primeira fase do “Morar Feliz”, em 1º de outubro de 2010, junto com Rosinha.

No inquérito assinado (aqui) pelo delegado da PF Filipe Hille Pace, fica claro o papel de Benedicto como elo do dinheiro que circula entre a Odebrecht e os políticos: “É possível verificar que Benedicto é pessoa acionada por Marcelo (Bahia Odebrecht, ex-presidente da empreiteira, detido desde 19 de junho de 2015 e condenado a 19 anos e quatro meses de prisão) para tratar de assuntos referentes ao meio político, inclusive a obtenção de apoio financeiro”. Após a apreensão das planilhas em sua casa, Benedicto cumpriu os cinco dias de prisão temporária em Curitiba, sendo liberado ao final por Moro, em 26 de fevereiro, com a condição de não deixar o país ou mudar de endereço.

Na Câmara de Campos, a sessão começa às 10 da manhã de hoje. Nela será apresentado o pedido de CPI da Lava Jato, contendo o mínimo necessário de nove assinaturas: vereadores Marcão (Rede), Rafael Diniz (PPS), Nildo Cardoso (DEM), Gil Vianna (PSB), Alexandre Tô Contigo (PRB), Fred Machado (PPS), Zé Carlos (PSDC), Dayvison Miranda (PSDC) e Genásio (PTC). Os governistas tentarão esvaziar a sessão ou alegar a existência de outras CPIs, das quais ninguém sabe nada, para tentar empurrar a da Lava Jato ao fim da fila.

 

Página 2 da edição de hoje (26/04) da Folha
Página 2 da edição de hoje (26/04) da Folha

 

Publicado hoje (26/04) na Folha da Manhã

 

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 5 comentários

  1. TIO CACAU

    Não dá pra entender a atuação passiva da imprensa campista em fatos como este. Se o processo corre SEM SEGREDO DE JUSTIÇA por que a Folha da Manhã não corre atrás e apura os fatos revelando o nome dos envolvidos? Não deixem que O Globo venha pra cá e faça furos que poderiam ser da imprensa local.

    1. Aluysio

      Caro Cacau,

      O processo corre EM SEGREDO DE JUSTIÇA, não “sem”, como chegou a ser publicado num erro de digitação que já havia sido corrigido na postagem anterior, que anunciou a matéria, mas acabou reproduzido nesta por desatenção. Agradeço pelo alerta e peço desculpas a vc e aos demais leitores pelo erro já corrigido.

      Abç!

      Aluysio

  2. roberto

    A JUSTIÇA EM CAMPOS DOS GOYTACAZES ESTA TODA (trecho excluído pela moderação).

  3. Leniéverson

    Só sujeira!

  4. onilson

    ESTA CAMPOS COMANDADA POR ESTES POLÍTICOS SUJOS É UMA VERGONHA NACIONAL.

Deixe um comentário