Cíntia Cristina — Da narração à opinião, a indignação

Não conheci Cíntia Cristina Ribeiro Alcino, 45 anos, professora e bacharel em Direito, que peregrinou 7 horas pela rede  de Sáude Pública, municipal e estadual, e privada de Campos, sem conseguir atendimento devido, até morrer na tarde do último domingo (15). E não preciso!

Aqui, na narração do jornalista da Folha Marcus Pinheiro, o fato. Aqui e abaixo, na opinião do jornalista e blogueiro Fernando Leite, a indignação que, em nome de uma humanidade comum, também tem de ser minha e sua, leitor:

 

 

Cíntia Cristina Ribeiro Alcino (reprodução)
Cíntia Cristina Ribeiro Alcino (reprodução)

 

Que a morte de Cíntia não seja em vão

Por Fernando Leite

 

Chorei enquanto colhia as informações sobre a morte de Cíntia Cristina Ribeiro Alcino, bacharel em Direito, integrante da Ong Orquestrando a Vida, uma pessoa do bem, daquelas que é fácil a gente gostar, amada por sua família e por seus amigos.

Não, não vou chafurdar na lama da demagogia. Ela não merece isso, sua família e seus amigos ainda a estão velando. Mas não posso me limitar ao texto frio, jornalístico, fático, porque nele não cabem o sonho e os planos de alguém que mantinha acesa a crença de uma vida longa e feliz.

Alguém que cumpriu um calvário, lutando pela vida, num Município com orçamento bilionário, encravado numa planície, matriz da maior bacia petrolífera do continente e a menos de 300 quilômetros da cidade maravilhosa, São Sebastião do Rio de Janeiro, capital de um dos estados mais importantes e desenvolvidos do País.

A morte gratuita de Cíntia nos adverte sobre uma verdade cruel: hoje, foi ela e amanhã, pode ser qualquer um de nós.

Sobre nossa fragilidade paira um modelo de atendimento de Saúde necrosado, seletivo, aviltado e que presta-se a dar números à estatísticas eleitorais.

Quando deveria ser universal, racional, detalhista, inclusivo e, sobretudo e sobre todos, MAIS HUMANO.

Mais não demora e assistiremos, pela TV, um Rio do primeiro mundo, com trens pontuais, segurança sob os blindados do Exército, tudo no padrão Olimpíadas. Quando eles querem, eles fazem.

Quanto a nós, bem, podemos continuar a chorar nossos mortos ou erguer a bandeira da indignação civil e construir uma nova forma de cuidar do que é nosso, do que é de todos, como uma Saúde pública decente.

Até, Cíntia.

 

Atualização à 0h48: Aqui, a jornalista Suzy Monteiro foi a primeira na blogosfera goitacá a denunciar o caso.

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 9 comentários

  1. Savio

    Enquanto isso a Prefeita gasta quase 180 mil reais com queima de fogos de artifício!

    As pessoas estão morrendo à míngua, mas a Prefeita canta como uma despreocupada cigarra, parece viver uma fantasia infantil a se ‘perpetuar” na Cidade da Criança.

    Enquanto continua apanhando empréstimos irresponsáveis e gastando sem se preocupar com coisas como fogos de artifício e outras coisas dispensáveis, as pessoas estão morrendo e ela não está nem aí!

    Que ela “não está nem aí”, todos nós sabemos, mas também sabemos “quem está aí”, e aí está a “luz do buraco”, que ainda é pior do que a “luz do fim do túnel”.

    Lastimamos a morte da simpática e atuante Professora.

  2. Marcia

    Inadmissível!
    Inconcebível!
    Inaceitável !
    Muinicipio de bilhões recebidos em cerca de 20,/25anos ,e
    que deveriam estar traduzidos em saúde de primeiríssima
    qualidade,modelo a ser visto no copiado em outras cidades
    e o que assistirmos a essa situação dantesca!
    Se perderam a sensibilidade senhores políticos ,outros
    a tem !
    Nos outros não.Nao perdemos a capacidade de sentir nem de nos
    INDIGNARMOS !!!!
    Se os senhores não conseguem ser GENTE na bela acepção do termo
    e não percebem o quanto poderiam ser veículos de uma séria e verdadeira
    transformação social ,que ao menos tenham a decência de pedirem
    para sair da vida pública e jamais voltar!
    Basta!
    Chega!

  3. MARCOS GOMES

    GOVERNO SEM COMPETENCIA!

  4. MARCOS GOMES

    GOVERNO SEM COMPETENCIA!

  5. MARCOS GOMES

    GOVERNO SEM COMPETENCIA!

  6. OLINDA DE SOUZA

    O DITO POPULAR É; CHEGOU A HORA DELA, DEUS SABE O QUE FAZ! DEUS NÃO SE AGRADA COM SOFRIMENTO DE NINGUÉM. A FALTA DE AMOR AO PRÓXIMO ESTA DEMAIS DA CONTA. PÕE CULPA NA CRISE,QUANDO É NOSSO DIREITO EM TER UM ATENDIMENTO DIGNO E HUMANO,POIS PAGAMOS NOSSOS IMPOSTOS QUE NOS É COBRADO E A SAÚDE QUE TANTO PRECISAMOS,OS DIREITOS NOS SÃO NEGADOS. UMA CERTA VEZ LI EM UM JORNAL QUE ;NÃO HAVENDO VAGAS EM UMA UTI PÚBLICA O CIDADÃO TEM O DIREITO DE PROCURAR UM HOSPITAL PARTICULAR E ALI INTERNAR SEU PACIENTE,MAS,A INDIFERENÇA É TAMANHA,QUE TEMOS DE ACIONAR O MP,FAZER UM BO E ORAR PARA QUE NÃO PERCAMOS NOSSO SER AMADO COMO ACONTECEU COM A PROFESSORA.TÁ NA HORA DE REVER ESSA LEI. A SAÚDE ESTÁ VIRANDO UM COMÉRCIO. VAMOS REPENSAR!!

  7. OLINDA DE SOUZA

    O DITO POPULAR É; CHEGOU A HORA DELA, DEUS SABE O QUE FAZ! DEUS NÃO SE AGRADA COM SOFRIMENTO DE NINGUÉM. A FALTA DE AMOR AO PRÓXIMO ESTA DEMAIS DA CONTA. PÕE CULPA NA CRISE,QUANDO É NOSSO DIREITO EM TER UM ATENDIMENTO DIGNO E HUMANO,POIS PAGAMOS NOSSOS IMPOSTOS QUE NOS É COBRADO E A SAÚDE QUE TANTO PRECISAMOS,OS DIREITOS NOS SÃO NEGADOS. UMA CERTA VEZ LI EM UM JORNAL QUE ;NÃO HAVENDO VAGAS EM UMA UTI PÚBLICA O CIDADÃO TEM O DIREITO DE PROCURAR UM HOSPITAL PARTICULAR E ALI INTERNAR SEU PACIENTE,MAS,A INDIFERENÇA É TAMANHA,QUE TEMOS DE ACIONAR O MP,FAZER UM BO E ORAR PARA QUE NÃO PERCAMOS NOSSO SER AMADO COMO ACONTECEU COM A PROFESSORA.TÁ NA HORA DE REVER ESSA LEI. A SAÚDE ESTÁ VIRANDO UM COMÉRCIO. VAMOS REPENSAR!!

  8. Rosilene

    É lamentável que isso acontece numa cidade rica como a nossa mas que a população vive uma vida miserável , onde a educação é uma das piores do país, sem segurança, e a saúde pede socorro….Quantas outras Cíntias agonizam em corredores de hospitais da cidade sem atendimentos????Quando que esse povo vai acordar???

  9. Maria Aparecida Fagundes Lisboa de Oliveira

    Houve a mudança tão desejada por alguns,mas será que haverá mudança de fato.Será que nós pobres mortais,pobres, negros ou brancos,não nascidos em berço de ouro, continuaremos à mercê desta saúde precária e sem recursos.Para mim o dinheiro da saúde está nas clínicas particulares,pro-curem bem; isto se houver vontade de atender a nossa população, que dá duro e nada tem, principalmente um atendimento decente na saúde.

Deixe um comentário