Intensivista do CCC sobre morto sem suspeita de Covid-19: “não transferimos porque não pudemos”

 

Centro de Controle e Combate ao Coronavírus (CCC) de Campos, no dia de sua abertura, em 30 de março (Foto: Divulgação)

 

Vitor Carneiro, médico intensivista e cirurgião cardíaco, um dos idealizadores do CCC, onde atua na UTI (Foto: arquivo pessoal)

“O jovem chegou ao CCC (Centro de Controle e Combate ao Coronavírus) direto para o setor vermelho (reservado aos casos graves), transferido da UPA de Guarus na quinta (09). Após fazer tomografia, subiu e foi logo entubado (na UTI), pela gravidade do quadro apresentado. Na sexta (10), mesmo sem tempo para fazer o teste rápido (recomendado só após o 7º dia da manifestação dos sintomas), a suspeita de Covid-19 foi descartada. Mas não pôde ser transferido porque, apesar de todos os esforços, não foi possível estabilizá-lo. E assim seguiu até infelizmente vir a óbito na segunda (13)”.  Foi o que esclareceu na manhã de hoje (14) o médico intensivista e cirurgião cardíaco Vitor Carneiro, um dos idealizadores do CCC, onde atua no setor vermelho da UTI. O caso do jovem campista de 28 anos, morto ontem, foi noticiado no mesmo dia (confira aqui) pelo blog.

Vitor teve contato direto com o paciente a partir da manhã de sexta (10), assumindo o caso do colega plantonista da noite anterior. Ele deu detalhes do caso após a coordenação clínica do CCC ter se manifestado sobre o ocorrido por WhatsApp, junto ao blogueiro e ao promotor de Justiça Marcelo Lessa, durante o programa Folha no Ar (confira aqui) no início da manhã de hoje, na Folha FM 98,3. O intensivista do CCC lamentou, sobretudo, pela família do jovem morto, cujo diagnóstico real da doença teve que ser mantido sob sigilo médico:

— A gente fica chateado porque montamos o CCC (que iniciou suas atividades aqui, em 30 de março) para preparar Campos e região ao pior da pandemia da Covid-19, que ainda virá, a partir do final deste mês (e, segundo o ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta revelou ao Fantástico no último domingo, se manterá nos meses de maio e junho). E agora temos nosso trabalho questionado. Não transferimos o paciente porque não pudemos. Ele já chegou ao CCC em estado muito grave da UPA. E foi piorando, a despeito de todos nossos esforços, até vir a óbito. Mas ficamos ainda mais chateados pela família do jovem. Que não pode ter o velório normal do ente querido perdido, pelo protocolo de afastamento exigido por conta da pandemia — disse Vitor.

O médico intensivista do CCC também ressaltou que, como o blog já havia noticiado ontem, o material do rapaz morto foi colhido e enviado ao Laboratório Central Noel Nutels (Lacen), credenciado pela secretaria estadual de Saúde para confirmação oficial dos casos de Covid-19. Apesar do caso ter sido descartado como suspeito da doença pela clínica, epidemiologia, laboratório e exame de imagem.

Vitor Carneiro será o convidado desta quinta (16) do Folha no Ar, sempre ao vivo a partir das 7h da manhã, na Folha FM 98,3. Que recebe amanhã (15) a secretária de Saúde de Campos, Cintia Ferrini. O programa da rádio mais ouvida de Campos e região fecha sua semana na sexta (17) com o presidente do Sindicato dos Médicos de Campos (Simec), José Roberto Crespo.

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Deixe um comentário