Entre Castro e o pai, Wladimir não aparece com a família

 

Ex-vereador Thiago Virgilio discursa diante de Garotinho, Rosinha, Juninho Virg[ilio e Clarissa, mas sem Wladimir (Foto: Rodrigo Silveira/Folha da Manhã)

 

Coluna de opinião da Folha da Manhã, o Ponto Final da última quarta (1º), aunciou que, após as rusgas públicas dentro da família Garotinho, hoje os ex-governadores Anthony e Rosinha, a deputada federal Clarissa (os três, União) e o prefeito Wladimir (sem partido) voltariam a se reunir publicamente nem um ato político. Mas, diferente dos pais e da irmã, Wladimir não foi à prestação de contas do vereador Juninho Virgílio (União), realizada hoje à noite em um salão de festas da av. Arthur Bernardes.

Segundo apurou o repórter-fotográfico da Folha Rodrigo Silveira, a informação dada no evento foi que o prefeito não teria comparecido por motivos pessoais. A qualquer observador mais atento da política goitacá e fluminense, por “motivos pessoais”, entenda-se o governador Cláudio Castro (PL). Que é candidato à reeleição e lidera as pesquisas numa disputa em que Garotinho também se coloca como pré-candidato. Ainda que sem a certeza da vaga pelo seu partido.

 

Castro e Wladimir na reinauguração do Restaurante Popular, HGG em reforma e Parque Saraiva à espera de obras (Montagem: Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

Sem Castro, Wladimir colocaria em risco a manutenção do Restaurante Popular, a conclusão da reforma do Hospital Geral de Guarus (HGG) e a retomada das obras no Parque Saraiva. Até aqui, valem as palavras do prefeito no dia 19, à reportagem da Folha, sobre seu apoio a Castro ou ao pai a governador: “Vamos esperar as convenções partidárias”. Assim como ficam sem confirmação as palavras de Clarissa, reproduzidas no Ponto Final do último sábado (28): “Obviamente que minha família estará unida em torno da (pré-)candidatura de Garotinho”.

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Deixe um comentário