Opiniões

Porco: ser que aconselha o que ignora

Sim, farinha demais mata, sobretudo quando o porco (como os maus policiais são alcunhados na gíria de rua dos EUA) não ouve os conselhos de voltar para casa e tentar dormir, insistindo em mendigar mais uns trocados e seguir sua peregrinação, madrugada adentro, por todas as bocas de fumo da cidade, a bordo de seu pig-móvel travestido de Corsa, com arma e distintivo pagos pelo Estado, só para continuar a fuçar…

Como porco, quando o é de corpo e de alma, geralmente não se importa de assumir a carapuça e ser observado enquanto chafurda na lama, o que não faltam são as testemunhas.

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 2 comentários

  1. Caro “Filinto Müller”, das 18h11, 18h33 e 18h59, IPs: 187.118.176.19 e 187.118.31.134,

    Nenhum dos blogs hospedados na Folha Online pode publicar comentários anônimos. Se quiser repetir seus comentários, bem como fazer quaisquer outros, sobre este ou qualquer outro post, solicitamos que utilize seu nome verdadeiro.
    Liberdade, pelo menos nos blogs da Folha, tem que rimar com responsabilidade.

    Grato pela colaboração!

    Aluysio

  2. Caro “Filinto Müller”, das 20h26, IP: 187.89.194.96,

    A única resposta às suas reiteradas tentativas de participação no blog, chegando a utilizar IPs diferentes para tanto, continua a mesma: nenhum dos blogs hospedados na Folha Online pode publicar comentários anônimos.
    Se almeja publicação, ou qualquer outra resposta, busque a mesma coragem dos centenas de outros comentaristas ortônimos, exercitada diariamente, em todos os blogs hospedados na Folha Online.

    Grato pela colaboração!

    Aluysio

Deixe uma resposta

Fechar Menu