Opiniões

Vitória de Dilma na análise do Belido

Por e-mail, recebi aviso da nova postagem do jornalista Guilherme Belido, que fui conferir em seu site Opinião (aqui). Na verdade, se tratam de dois textos que, embora com títulos diferentes, se completam. De tudo que pude ver no horizonte virtual da planície, foi o que achei de mais sensato neste dia seguinte à vitória de Dilma. Não por motivo diverso, o blog toma a liberdade de republicar abaixo…

 

PT saudações

Confirmando o que todos os institutos de pesquisa apontavam, Dilma Rousseff venceu a eleição e acançou 56% dos votos, cerca de 12 milhões de vantagem sobre o tucano José Serra.

Não convém seguir o que fazem alguns ‘analisólogos’ que sem a menor cerimônia explicam o óbvio e ‘ensinam’ que Dilma venceu porque fez isso, assim, assado e Serra perdeu por ter feito assado, assim e isso…

Dilma Rousseff, se não fosse uma mala tão sem alça, teria vencido no 1º turno. Não venceu, mas colocou 14,5 milhões de vantagem — diferença que dificilmente se tira em um mês a mais de campanha.

Eleitoralmente falando, contudo, Dilma não é a candidata dos sonhos de partido algum. Pesa toneladas e venceu por circunstâncias que passam longe dela própria. Venceu porque Lula venceu. Da mesma forma que o presidente venceu há quatro anos quando conseguiu escorregar do “Mensalão” — o maior esquema de propina da história do Brasil, mas que ele, Lula, não tinha a menor idéia que existia. Não sabia, não viu nem ouviu. O esquemão se passara ali, na Casa Civil, e ali, no PT. Mas, enfim, Lula não sabia de nada e reelegeu-se.

 

Atitude

Mas, voltando ao pleito de ontem, já não interessa se Dilma ganhou ou se “ganharam para ela”. Tampouco se é pesada ou leve.  O que conta a partir de agora é que a presidente eleita tenha capacidade, força política e determinação para fazer o governo que o Brasil espera. E para isso ela não precisa ser boa de palanque ou de televisão. Precisa, sim, ter o propósito e a atitude de querer fazer.

Aliás, fazer acontecer, na prática, o que o PT diz ter feito na propaganda.

Quanto a José Serra, ele fez o que pôde. Fez o que sabia e foi mais longe do que a maioria imaginava. Vai continuar na política e disputar outros cargos. Talvez a própria Presidência.

Agora, dizer que com Aécio seria diferente… E que se fosse Aécio a Dilma não ganhava… é entrar nas “profundezas” dos “ses”, com a científica descoberta que se vovó fosse homem seria vovô.

Cada eleição é uma eleição e certamente que para Aécio Neves, cuja trajetória política tem sido excepcional, chegará a vez. O ex-governador e senador é um nome em potencial para disputar a sucessão de 2014.

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 3 comentários

  1. mau acabou a eleição e já se falar em aécio neves ‘cuja a trajetória política tem sido excepicional’para a sucessão de Dilma, me parece um tanto precipitado, já que em um dia muitas coisa acontecem imaginem em quatro anos.
    Dilma que venceu o carismático Aécio em seu estado natal Minas gerais tem experiencia administrativa e um partido forte forjado nas lutas a apoia-la, tem a maioria dos governadores,deputados e senadores ao seu lado, e aí sim a experiencia do presidente Lula, para apoia-la e der suporte politico a sua gestão.
    ter um presidente operério e uma mulher eleita pelo voto popular, mais que criar espanto, parece ofender setores da mídia.
    quanto ao Serra que propagou o terrorismo via internet, é preciso que torçamos para que faça um grande governo em São paulo, que livre o seu povo do PCC e sobretudo das enchentes que ele prometeu resolver e torcemos que resolva. minha sogra mora na capital paulista e me relata tristezas das enchentes e da violencia lá. quanto ao mensalão ser o maior esquema de propinas do país primeiro é preciso que eu diga que sou a favor de punições severas aos que usam deste expediente para manutenção do poder seja ele de que partido for, agora é preciso que sem hipocresia, façamos uma reflexão:
    1)se ouve p´ropina para que deputados votassem no governo e não paralisasem o país a currupção ativa partiu deles, e segundo que quando um presidente desestatiza grandes empresas como a vale do Rio doce, o sistema telebrás entre outros como fez FHC, imagino que propinas rolem, ou algum idiota romantico acredita que se privatiza degraça? com certesa não foram só trinta mil que Serra e FHC receberam nestas ocorrencias. cada um defende aquilo que lhe convem.
    sem experiencia eleitoral, mais já eleita presidente e com uma experiencia administrativa ‘extraordinária’ como diria Lula, torçamos pelo sucesso da Dilma, e do crescimento do Brasil, que ‘segue mudando’.

  2. aluysio,
    parabens pela cobertura que a folha deu as eleições desde ano,desde o primeiro turno, com a relação dos votados pelos campistas e etc. a folha mais uma vez saiu na frente. obrigado tambem pelo espaço democratico para criticas e auto criticas aos comentários.
    forte abraço,
    andre cruz
    executiva do partido dos trabalhadores

  3. Aluysio: não diria um ‘hobby’, mas algo perto disso, que ‘a gente’ começa e, quado se dá conta, o velho princípio de respeito ao leitor – único e antigo patrão – está de volta em forma de ofício…E tudo vira uma agradável obrigação.
    Considerações da importância da sua – generosa, é bem verdade – trazem entusiasmo e indicam que se deve seguir em frente.

    Abraços, Guilherme

Deixe uma resposta

Fechar Menu