Censura a Nelson Rodrigues por suposto evangelismo de Rosinha cai nas redes sociais

Censura a Nelson Rodrigues em Campos?

Por Lívia Nunes, em 09-07-2013 – 16h12

A censura às peças e livros de Nelson Rodrigues sempre foram atribuídas à “indução ao sexo e à violência” contida em seus trabalhos, mas ele mesmo disse: “Não inventei nenhum dos dois. O sexo e a violência existem e aí estão para quem quiser confirmar. Se tomarmos ao pé da letra esta afirmação dos egrégios censores, tudo poderá ser proibido; assim, Branca de Neve poderia induzir à dissolução da família e à violência, o Pequeno Polegar poderia induzir ao homicídio ou à violência dos menores contra os maiores”.

Mas, quem imaginaria, que em 2013, um ano após o centenário do maior dramaturgo brasileiro, a censura a uma de suas obras viria da prefeitura de Campos? É isso que afirma o Grupo de Teatro Oito de Paus, do Rio de Janeiro. A página do Grupo no Facebook traz um desabafo em denúncia à prefeitura de Campos, que teria censurado a apresentação da peça “Bonitinha, mas Ordinária” em Campos. Os motivos seriam baseados em fundamentalismo evangélico. O assunto foi abordado no Blog do Cláudio Andrade e em Opiniões, de Aluysio Abreu Barbosa, com a reprodução de um e-mail do diretor do Grupo, Luís Felipe Perinei.

Segue o texto postado no Facebook, ontem (8 de julho) às 14h26 e assinado por Rodrigo Vahia, que é membro do Grupo de Teatro Oito de Paus.

“Liberdade? Que liberdade? De expressão, então…

Não costumo postar textos de desabafo por aqui, porque particularmente acho que os problemas de cada um devem ser resolvidos na sua intimidade. Mas o ocorrido está além da minha, ou da intimidade de um grupo de artistas, do qual eu faço parte. Mas de todo um coletivo que acredita na livre troca de informação, produção de ideias e reflexões. Que acredita, mais do que na liberdade de escolha, no direito a escolha. Que acredita na liberdade de expressão.

O fato que vou relatar aqui é GRAVE. Não pelo aspecto financeiro ou pelo descomprometimento. Mas pelo coronelismo e pelo cerceamento ao direito individual de liberdade. Além de, grosseiramente falando, ainda termos pessoas despreparadas e imbecis opinando e interferindo sobre políticas culturais, quando na verdade não deveriam nem estar varrendo rua, que é para não ofender os garis. Mas o fato é que o meu grupo de teatro teve a peça “Bonitinha, mas Ordinária” CENSURADA em Campos, pela Fundação Trianon, após a troca da sua presidência que resolveu rever os projetos já contratados. Simplesmente porque a peça de Nelson Rodrigues poderia ofender a prefeita Rosinha Garotinho, que é evangélica. Em pleno século XXI? Roubo, corrupção, lavagem de dinheiro através de ONGs, isso não ofende a atual prefeita, não é… Coitada, ela não deve saber dessas coisas… Ou deve rezar bastante e seu Deus a perdoa. Afinal, dinheiro não falta para pagar a própria redenção. Mas aí já não cabe a ninguém… Já que trata da individualidade dela. A questão é quando a individualidade de um governante interfere nas escolhas referentes ao coletivo. E é na minha opinião, a menos que eu esteja realmente ficando louco, INADMISSÍVEL, uma peça ser censurada porque pode desagradar esse ou aquele político!!! SE ALGUÉM CONCORDA COMIGO, POR FAVOR, COMPARTILHE ESSA MENSAGEM ATÉ QUE ELA CHEGUE À FUNDAÇÃO TRIANON EM CAMPOS. Não porque eu queira fazer a peça lá agora, porque sinceramente perdi a vontade. Mas porque acho digno mostrar também a essas pessoas que não vivemos mais em um regime absolutista e que não se faz política, nem muito menos arte, com a opinião ou aprovação de quem quer que seja. Nem de Deus. Quiçá de uma rosa.

Rodrigo Vahia – Membro do Grupo de Teatro Oito de Paus”

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 4 comentários

  1. maria

    Gente ainda existe isso?Meu Deus,eu não acredito nisso.CENSURA numa peça de Nelson Rodrigues em 2013?Brincadeira, ela é pior do que eu pensava.HIPOCRISIA pura.

  2. Savio

    Ignorância! Só pode ser isto! Despreparo. Não sei e nem quero saber quem vetou a peça, seja quem for, tem todo o meu desprezo.

    Eu só tenho um preconceito: Rejeito completamente a burrice, a ignorância. Posso compreender a ignorância daqueles que não tiveram oportunidade, ou que foram mal atendidos de alguma forma, mas acho intolerável a ignorância de quem quer que seja que ocupa cargo público, em qualquer nível, seja por mandato, seja por proteção de quem o detém.

    NOTA ZERO PARA QUEM IMPEDE QUALQUER PROCESSO OU ATIVIDADE CULTURAL, SOBRETUDO, PORQUE O ESTADO É LAICO!

  3. Edivaldo Vieira de Azevedo

    A Folha da Manha é um jornal sem credibilidade e que vive em meios a mentiras, calunia e difamação no intuito de tentar prejudicar o governo.
    Tenho certeza que Rosinha Garotinho não teve ciência disto e tudo que uma coordenação, diretoria, secretario faz sem pensar, acaba acarretando na prefeita que tanto tem feito pelo povo de Campos.
    Rosinha Garotinho é a melhor prefeita que Campos ja teve!!!!!

  4. Edney Paiva

    Prezado Sr. Edivaldo!

    Sou iluminador do Espetáculo “Bonitinha, mas Ordinária” e também graduando em Direção Teatral pela UFRJ.
    Tenho como colegas de curso alguns que são oriundos desta maravilhosa cidade. Me perdoe, mas o que ouço dizer sobre a referida prefeita, a qual tenho preferência não citar o nome para não ofender a uma das mais belas flores, não é nem de longe elogios à sua administração pública.
    Quando essa família esteve no poder no Governo do Estado, a Cidade do Rio de Janeiro praticamente foi devastada pela negligência dos serviços do Estado, sofremos com a mais completa falta de segurança, hospitais estaduais totalmente sucateados, sendo passada a sua administração para os governos municipais ou federais, escolas e centros educacionais depredados e com falta de professores, ou seja, essa família só não conseguiu ser pior que o governo Brizola, mas por pouco não se igualou.
    Se esta mídia não tem credibilidade como diz, porque gastou seu tempo para dizer que ela “vive em meios de mentiras, calúnias e difamação no intuito de prejudicar o governo”? (Suas palavras)
    Um governo que age dentro da legalidade não precisa de alguém que o difame, pois sua credibilidade e respeitabilidade são aferidos pela população, o que não é o caso do governo de Campos, muito menos desta família.
    Pode até ser que a “coordenação, Diretoria, ou Secretário” tenha agido sem pensar, mas daí dizer que a Prefeita não tem ciência destes atos, é o mesmo que dizer que o Papa não sabe rezar missa! O engraçado é que você mesmo a chamou de alienada e burra!
    É impossível e inadmissível, que um governante abstenha-se de se pronunciar sobre um assunto de tamanha relevância.
    Portanto, se alguém está sendo tendencioso, este alguém é o senhor.

    Sem mais no momento.

    Grato.

Deixe um comentário