Opiniões

Passeata fecha BR 101 e vai à Prefeitura. Artistas leem Nelson Rodrigues na praça

Artistas abraçam causa contra censura a Nelson Rodrigues na praça São Salvador (foto de Valmir Oliveira)
Artistas abraçam causa contra censura a Nelson Rodrigues na praça São Salvador (foto de Valmir Oliveira)
Contra a denúncia de censura no Trianon, por alegado motivo religiosa da prefeita, artistas leem Nelson no palco da praça (foto de Valmir Oliveira)
Contra a denúncia de censura no Trianon, por alegado motivo religiosa da prefeita, artistas leem Nelson no palco da praça (foto de Valmir Oliveira)
Da praça São Salvador, artistas de Campos saíram em passeata até o Trianon, onde a peça de Nelson teria sido censurada (foto de Valmir Oliveira)
Da praça São Salvador, artistas de Campos saíram em passeata até o Trianon, onde a peça de Nelson teria sido censurada (foto de Valmir Oliveira)

Na condição de poeta, vencedor duas vezes do FestCampos de Poesia Falada, mais que de jornalista ou blogueiro, acabei de voltar da praça São Salvador, por onde vi passar a passeata dos sindicalistas, “Cabruncos Livres”, ex-catadores de lixo da Codin e integrantes do MST, mas ficaram os artistas reunidos em protesto contra a denúncia de censura no Trianon à peça “Bonitinha, mas Ordinária”, de Nelson Rodrigues, por supostos motivos de ordem pessoal e religiosa da prefeita Rosinha (conheça o caso aqui e aqui, que ganhou a mídia nacional aqui e aqui). Enquanto a passeata, com cerca de 600 pessoas, seguiu pela avenida Alberto Torres, rumo a BR 101, com o intuito de interditá-la na altura do Shopping Boulevard, por cerca de 15 minutos, os cerca de 30 artistas preferiram ficar na praça símbolo da cidade, onde farão daqui a pouco a leitura de alguns trechos da obra de Nelson Rodrigues. Talvez poucos, fez bem à alma, no entanto, testemunhar velhos camaradas em armas, como Antonio Roberto Kapi, Fernando Rossi, Pedro Fagundes e Alexandre Ferram, entre outros, se fazendo acompanhar de uma rapaziada nova, como as irmãs Lívia e Júlia Bravo, o Victor Uno e a Juliana Souza, aos quais só fui conhecer através do grupo de discussão “Nelson Censurado”, na democracia irrefreável das redes sociais, e hoje pessoalmente, na democracia ancestral das praças.

Com informações também dos jornalistas da Folha Mário Sérgio Junior e Talita Barros.

Atualização às 18h24: Os manifestantes reunidos na passeata mudaram de ideia e, no lugar de se dispersarem, após fecharem a BR 101 na altura do Shopping Boulevard, estão seguindo neste momento a rodovia federal até a entrada da cidade.

Atualização às 18h48: Da entrada da cidade, na BR 101, os manifestantes da passeata decidiram neste momento caminhar pela avenida Nilo Peçanha para levar o protesto até as portas da Prefeitura.

Atualização às 19h23: Depois do protesto chegar à Prefeitura de Campos, diante da qual alguns manifestantes discursaram, a passeata acabou de se dispersar.

Atualização às 16h15 de 12/07 para ilustração do post com as fotos dos dois eventos nele narrados.

Sindicalistas, “Cabruncos”, ex-catadores de lixo da Codin e integrantes do MST fecharam a BR 101 (foto de Rodrigo Silveira)
Sindicalistas, “Cabruncos”, ex-catadores de lixo da Codin e integrantes do MST fecharam a BR 101 (foto de Rodrigo Silveira)
Após sairem da praça São Salvador e fecharem a BR 101, manifestantes encerraram o protesto na Prefeitura (foto de Rodrigo Silveira)
Após sairem da praça São Salvador e fecharem a BR 101, manifestantes encerraram o protesto na Prefeitura (foto de Rodrigo Silveira)
fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 4 comentários

  1. Caro Carlos,mnifestações , desde que ordeiras, é direito e não baderna .Precisamos saber conviver com as diferenças de modo maduro.

  2. Me surpreende a quantidade de ignorantes que ainda tem nessa cidade, Sr. Carlos, não são baderneiros. São corajosos! Os formadores de opiniões que ainda por um fio de esperança, se reúnem, organizam uma pauta de reivindicações, que tem como foco o interesse publico e o bem estar da população, como se não bastasse, vão as ruas para mostrar suas indignações, tudo visando o bem comum. É visível o desinteresse do poder público em criar ações que beneficiam a população. É uma administração RUIM. Quero parabenizar os Cabruncos Livres e os Artistas de Campos pela coragem, e por me fazer acreditar que juntos seremos fortes. “Caiau” neles.

  3. Parabéns aos manifestantes! O que prova que a Cultura e a Arte sempre sobreviverão às asnices! Nenhum regime no mundo conseguiu “vencer” à Arte e a Cultura, porque estas sempre subvertem, uma vez que por elas mesmas, são sempre revolucionárias!
    Pode ser que ao expressar-me com “Arte” e “Cultura” de um modo separado, esteja cometendo algum equívoco, já que “Arte” está inserida na “Cultura”. Não, não é equívoco, e apenas um destaque, pela força de expressão das duas palavras!
    Só reagirão de forma negativa a movimentos como este, os incultos, os ignorantes e aqueles que apoiam esta “sistemática” vigente na cidade, de “quanto pior, melhor”.
    Realmente, não adianta “atirar pérolas, aos porcos”!

Deixe uma resposta

Fechar Menu