Denúncias de manipulação e ilegalidades na Conferência de Cultura

Aqui, no grupo de discussão “Nelson Censurado”, criado na democracia irrefreável das redes sociais em protesto à condução da política cultural de Campos, a estilista Lívia Amorim denunciou manipulação, arbitrariedades e ilegalidades que teriam sido praticadas pelo poder público municipal na Conferência de Cultura do Município, realizado no último sábado, dia 20. Por extremamente graves, o blog pede a licença devida a Lívia, que acompanhou pessoalmente a Conferência, para reproduzir abaixo seus questionamentos…

III Conferência Municipal de Cultura, realizada no último sábado, no Museu Histórico de Campos (foto de Helen Souza)
III Conferência Municipal de Cultura, realizada no último sábado, no Museu Histórico de Campos (foto de Helen Souza)
Lívia Amorim, estilista
Lívia Amorim, estilista

Dia 20 de julho, último sábado a Prefeitura Municipal de Campos realizou no Museu Histórico de Campos dos Goytacazes, em cumprimento a portaria 33, de 16 de abril de 2013 do Ministério da Cultura a etapa Municipal de seleção dos delegados para as Conferências Regional e Nacional de Cultura. E o que se viu por lá foi uma seção de atos arbitrários que devem ser contestados de forma incisiva por todos nós tamanha gravidade, descaso e desacato a classe artística e movimentos culturais do Município.
A Conferência Municipal de Cultura em Campos dos Goytacazes:
1- O representante do Ministério da Cultura, Sr. Professor Flavio Aniceto não compareceu ao evento conforme constava na programação do evento no Diário Oficial. Sequer ligou ou comunicou formalmente sua ausência;
2- A Presidente da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima, Sra. Patrícia Cordeiro, não compareceu ao evento; Sua equipe não justificou a sua ausência;
3- A Secretária Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer não compareceu ao evento. A equipe não justificou a ausência da mesma;
4- A maioria dos inscritos não comprovou vínculo documental com as instituições que representavam. Não enviaram ofícios de comprovação.
5- As inscrições encerraram-se as 8h30m do dia 20/07 conforme consta no Diário Oficial, mas houveram inscritos após este horário;
6- Representantes do poder público, que também atuam como representantes do ONGs e Institutos, Grupos de Teatro, Associações Culturais inscreveram-se como representantes da Sociedade Civil negando suas participações no governo. Prática comum no Conselho de Cultura também;
7- O Grupo ORI, inscrito como sociedade civil é um Projeto Governamental da Fundação Zumbi dos Palmares; e isto é do conhecimento de toda classe artística local;
8- Menores de idade, representantes do projeto Municipal ORI, participaram como representantes da sociedade civil e votaram sem documentação de RG ou CPF. Os alunos não possuem sequer documentos.
9- O Funcionário Público Municipal Rossini Reis, eleito como delegado para representar a sociedade civil na Conferencia Estadual é funcionário do Museu Histórico de Campos e inscreveu-se como representante da sociedade civil. Na conferência inclusive, ele trabalhava como um dos organizadores do evento com a equipe do Museu. Como negar seu vínculo público?
10- O representante do Grupo ORI, Josimarson Ramos da Silva, eleito como delegado para representar a sociedade civil na Conferencia estadual Inscreveu-se como representante da sociedade civil, sendo que este representava um Projeto Público criado e mantido pela Fundação Zumbi dos Palmares. Sugiro que se verifique a idade do representante, pois até o final deste não havia sido encontrada.

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 9 comentários

  1. Savio

    Ou seja, mais um “oba-oba”, mais um ‘faz-de-conta-que-estamos-fazendo-algo”. Mais uma “cena” cor-de-rosa!

    Puxa, nada mais “teatral” no pior dos sentidos, claro, deste famigerado (des)governo! Só a plebe ignara para aplaudir esta gente!

  2. Ricardo

    Se tudo isso que Lívia está relatando for verdade, é caso de polícia. O que podemos esperar de uma conferência de cultura, em que os maiores interessados não comparecem. O não comparecimento dos artistas eu até entendo, mas, a falta da presidente da FCJOL e da secretária de EDUCAÇÂO mostra exatamente o que eles pensam da cultura em nossa cidade. Ganhando quase 10 mil reais por mês (salários pagos pelos contribuintes)eles deveriam ter um pouco mais de consideração ao povo.

  3. Franco

    Nada muito diferente acontece no conselho municipal de educação física, onde alguns DAS e inclusive o seu presidente, que também é da Fundação deEsporte o que está mais pra Afundação, pois não vemos esportes nesta cidade, são pessoas que possuem projetos que recebem verba pública e tem votos majoritários nas decisões. Um verdadeiro caso de polícia também.

  4. Leo

    Quando digo que os burros mansos não se mobilizam nem pela educação e saúde desta terra sem lei, quem dirá pela cultura as pessoas me chamam de pessimista.

    Agora analise bem quais foram as pessoas presentes e quais os interesses que elas tinham em continuar com o controle da situação.

    Eu não diria para chamar a polícia, diria para chamar logo o BOPE e mandar invadir, e de preferência fazer uso da máxima do filme: “bandido bom é bandido morto”.

  5. jocemar rangel

    tenho nojo de campos em varias areas,,são (trecho excluído pela moderação) em forma de elite,,descaso total..e ninguem faz nada,,isso não é cidade é um alojamento para covardes pucha sacos com medo do futuro e ficar na merda ou falencias..e a cultura que descaso com os artistas em geral..patricia cordeiro cospe na gente e diz ser responsavel pela secretaria de alguma coisa, mas o dinheiro ta na conta e o povo que sonha em artes e musicas que se explodam…~é nojento campos minha cidade meu terror..e o farol…????existe ou é um bairro??sabado passeata no farol urgente,apoio da petrobras.

  6. Gildo Henrique

    Poxa…

    “houveram inscritos após este horário?”

  7. Rose David

    Mais relevante que um “escorregão” ortográfico (acontece com qualquer simples mortal) é a denúncia das ilegalidades apontadas por Lívia Amorim e que, espero, sejam apuradas com rigor.

  8. Carlos

    Boa Noite
    Eu gostaria de saber onde se encontra as autoridades como MPF, Juízes e PF, que fizeram aquelas prisões no governo Mocaiber, e nada fazem contra estas aberrações neste GOVERNO ATUAL.
    São pedidos de aditivos em obras paradas, GAP,Expoente etc.
    O que esperar de uma Presidenta FCJOL , que não sabe nada de CULTURA… a ausência dela já diz tudo.

  9. JOSE GERALDO

    ë mesmo caso de polícia, a ser representado imediatamente por quem participou da reunião.

Deixe um comentário