Opiniões

Ponto final — Chumbo grosso no segundo turno para presidente e governador

Ponto final

 

Os petistas de Crivella

Passado o pacto anunciado desde antes do primeiro turno (aqui), entre Marcelo Crivella (PRB) e Anthony Garotinho (PR), o dia ontem foi cheio de novidades verdadeiras nas alianças ao segundo turno, seja na disputa ao governo do Estado do Rio ou da República. Na primeira, o sobrinho de Edir Macedo recebeu o apoio do ex-candidato a governador Lindberg Farias e do presidente regional do PT, Washington Quaquá, prefeito de Maricá. Aos dois coube o leme no naufrágio estadual do partido em 5 de outubro, seguindo o mapa impreciso traçado pelo ex-presidente Lula.

 

O PT com Pezão

Enquanto isso, a grande maioria dos petistas fluminenses que tem mandato, manteve ou conquistou o seu nas urnas do último domingo, preferiu optar (aqui) pelo apoio ao governador Luiz Fernando Pezão (PMDB). Além de todos os nove prefeitos do partido no Estado, à exceção décima e única de Quaquá, sete dos 11 deputados federais e estaduais eleitos, e 20 vereadores embarcaram na barca Niterói/Rio capitaneada pelo prefeito Rodrigo Neves, desde quando alguém ainda acreditava na candidatura de Lindberg.

 

NF também

Com o vereador Marcão e a ex-prefeita Carla Machado, PT campista e sanjoanense também se fizeram representar ontem no Rio, no ato de adesão em massa da legenda a Pezão. Um dos coordenadores da sua campanha em Campos, o também vereador Nildo Cardoso (PMDB) bateu ponto no evento. Pouco depois, na sede do PT goitacá, Makhoul Moussallem, ex-candidato a deputado federal e a prefeito pelo partido, ecoou na noite o apoio ao candidato pemedebista a governador.

 

Crivellinho x Pinóquio

Em um lado da disputa e no outro também, tudo isso foi depois do debate acirrado entre Pezão e Crivella (aqui), primeiro do segundo turno fluminense, promovido no início da tarde pela revista Veja. Enquanto o primeiro mandou o segundo “tomar cuidado ao defender Garotinho”, batizando a nova dupla político-evangélica de “Crivellinho”, o candidato do PRB comparou Pezão a Pinóquio, com a distinção de que este cresceria o pé, no lugar do nariz, a cada nova mentira.

 

Reciprocidade

No ato de adesão do PT estadual à sua candidatura, Pezão deu a contrapartida federal, garantindo que votou em Dilma Rousseff no primeiro turno e a apoiará no segundo. Pelo sim, pelo não, os deputados pit bulls do PMDB fluminense Eduardo Cunha (federal) e Jorge Picciani (estadual) não deram as caras no evento. Ficam ambos de sobreaviso, tanto para rosnar e morder, caso a presidente se engrace muito com Crivella, quanto para guiar nas trilhas da mata tucana, caso se abra clareira à vitória de Aécio Neves (PSDB).

 

Apoios de Aécio

Foi Aécio que ontem saiu na frente (aqui) na busca dos reforços necessários para conquistar a vitória no segundo tempo do jogo mais disputado à presidência desde 1989. O sobrinho de Tancredo Neves (1910/85) conseguiu o apoio do progressista Eduardo Jorge e seu PV, assim como do conservador Pastor Everaldo e seu PSC. Isso sem contar o PSB do falecido Eduardo Campos, enquanto Marina Silva ficou hoje de dar vida à sua posição.

 

Chumbo grosso

Em contrapartida, apesar da neutralidade do Psol, a ex-presidenciável Luciana Genro deu aos seus eleitores dois caminhos, o do voto nulo ou em Dilma, rumo ao mesmo destino em 26 de outubro: “Aécio, não!”. Tudo isso somado ao fato de que a primeira consulta popular do segundo turno presidencial, encomendada pela conhecida revista Época ao obscuro instituto Paraná Pesquisas, também divulgada ontem, deu (aqui) o tucano na frente com 54% contra 46% dos votos úteis contra Dilma, só dá uma certeza: vem chumbo grosso por aí!

 

 

Publicado hoje na Folha

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 5 comentários

  1. E a deputada estadual futura” deputada federal”,não se manifesta?

  2. No 1. turno votei em Marcelo Crivela, mais devido ele ter se sujado com o sujo do menininho, eu é minha família não iremos mais votar nele vou agora para pesão.infelizmente.

  3. Edir Macedo NÃO!!! Pezão Neles!!!
    Fora Garotinho de uma vez por todas!
    A próxima será sua digníssima…

  4. quer dizer que pezao estar aliado a cabral é um grande negócio, faça me um favor. Quanta hipocrisia.

  5. Para mim Garotinho perdeu as eleições por varias razões 1 ponto é pela arrogancia dele, 2 os guardas municipais contratados que ele fez de tudo para a justiça não nos dar o nossos direitos só ai ele perdeu uns 3000 votos, 3 ponto os funcionários do ccz que ele fez de tudo para mandar embora e abriu um concurso fajuto e mesmo assim não chamou quase ninguém ai também perdeu muitos votos, 4 ponto os funcionários do PSF, que ele também mandou embora e não chamou os concursados. Fica ai um recado Garotinho aproveita esse momento e reflita onde você errou, pois não estou aqui para julgar, mais o servo de DEUS ele deve ser manso e humilde de coração, e não devemos usar a palavra de DEUS em vão pois isso é abominação, e pode ter certeza que DEUS rejeita tudo isso.

Deixe uma resposta

Fechar Menu