Opiniões

Qual Lula é o verdadeiro? O educado da propaganda ou o moleque de rua dos comícios?

Lula2

 

 

Jornalista Ricardo Noblat
Jornalista Ricardo Noblat

Uma tremenda molecagem

Por Ricardo Noblat

 

Qual Lula é o verdadeiro?

O bem educado que aparece no programa de propaganda eleitoral de Dilma na televisão, defende os 12 anos de governos do PT e, ao cabo, sorridente, pede votos para reeleger sua sucessora?

Ou o moleque de rua que pontifica em comícios país a fora, sugerindo, sem ter coragem de afirmar diretamente, que Aécio é capaz, sim, de dirigir embriagado, agredir mulheres e se drogar?

O segundo é o mais próximo do verdadeiro Lula. Digo por que o conheço desde quando era líder sindical. Lula é uma metamorfose ambulante. Não foi ninguém quem o disse, foi ele quem se rotulou assim.

A esquerda tudo perdoaria a Lula desde que chegasse ao poder. Chegou, cavalgando-o. Uma vez lá, se corrompeu. Quanto a ele… Não sabia de nada. Nunca soube.

Justiça seja feita a Lula: por desconhecimento de causa e preguiça, ele jamais compartilhou as ideias da esquerda. Assim como ela se aproveitou dele, Lula se aproveitou dela. Um casamento não por amor, mas por interesse.

Na primeira reunião ministerial do seu governo em 2003, Lula se irritou com um ministro e desabafou: “Toda vez que me guiei pela esquerda me dei mal”.

Retifico: ele não disse que se deu mal. Usou um palavrão. Nada demais para o sujeito desbocado que nunca pesou o que diz. Grossura nada tem a ver com infância pobre.

Lula é um sucesso do jeito que é. Mudar, por quê? Todos admiram sua astúcia. Muitos se curvam à sua sabedoria. E outros tantos temem ser apontados como desafetos do retirante nordestino que se deu bem.

Uma das chaves do sucesso de Lula é a coragem de dizer o que lhe apetece — às favas a verdade.

No último sábado, em comício em Belo Horizonte, Lula disse que nunca foi grosseiro com adversários.

Textualmente: “Não tive coragem de ser grosseiro contra Collor, Serra, Alckmin, Fernando Henrique. Pega uma palavra minha chamando candidato de mentiroso e leviano”. É fácil.

Lula chamou Sarney de ladrão. E Itamar Franco de filho da puta.

Resposta de Itamar em maio de 2003: “Gostaria de saber o que aconteceria se a situação fosse inversa, ou seja, se esse indivíduo arrogante e elitista fosse o presidente da República e alguém lhe chamasse disso. (…) Minha mãe se chamava Itália Franco. Mas fosse um filho da p., certamente teria por ela o mesmo amor filial”.

Você pensa que Lula ficou constrangido com a resposta de Itamar? Foi ao velório dele. Assim como foi ao velório de Ruth Cardoso, mulher de Fernando Henrique. Chorando, lançou-se aos braços do ex-presidente.

Pouco antes da morte de Ruth, a Casa Civil da então ministra Dilma montara um dossiê sobre despesas com cartão de crédito do casal FH. Depois, a ministra se desculpou.

Lula não é homem de se desculpar. Nem mesmo quando trata um assessor a pontapés. Como governador de Minas Gerais, no auge do escândalo do mensalão, Aécio lutou para que o PSDB não pedisse o impeachment de Lula. Conseguiu.

Mais tarde, Lula tentou convencê-lo a aderir ao PMDB para disputar a presidência com o seu apoio. Aécio não quis.

De volta ao comício de Belo Horizonte.

Antes de Lula falar, foi lida a carta de uma psicóloga acusando Aécio de espancar mulheres e de ser megalomaníaco. Ele ainda foi chamado de “coisa ruim”, “cafajeste” e “playboy mimado”.

Por fim, a plateia foi ao delírio ao ouvir Lula dizer sobre o comportamento de Aécio em debates: “A tática dele é a seguinte: vou partir para a agressão. Meu negócio com mulher é partir para cima agredindo”.

 

Publicado aqui, no Blog do Noblat

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 5 comentários

  1. O ATOLEIRO MORAL DE LULA
    Por Nilson Borges Filho (*)

    Belo Horizonte acompanhou uma das cenas mais repugnantes de toda a campanha presidencial. O protagonista? Luiz Inácio Lula da Silva. Fora de si, avermelhado, camisa ensopada de suor, andando de um lado para outro feito um destemperado, sob a corte de desqualificados que o aplaudiram no final da verborragia, Lula agrediu, da pior forma possível, o senador Aécio Neves. O pecado de Aécio? Estar na frente de Dilma Rousseff nas pesquisas de intenção de voto e com larga possibilidade de ser o próximo presidente da República.

    O motivo? A perda do poder e de suas benesses e o medo de ver que seus oito anos de governo e os quatro de Dilma não passaram de uma fraude. Lula em campanha em Manaus já havia insinuado que Aécio dirige bêbado e que isso não faz bem a um presidente. Logo Lula, conhecido no Brasil inteiro pelo seu gosto excessivo pela cachaça nos tempos de sindicalista e pelo uísque nos tempos em que habitava o palácio Alvorada.

    Como melhorou de vida, deixou a marvada e se encantou com o bom e velho escocês. Lula bebe e quase sempre perde a compostura quando se excede. Em Belo Horizonte um Lula ensandecido, cuja única explicação é que a mudança está se consolidando além do que dizem os institutos Datafolha e o Ibope, desceu ao nível do submundo da política rasteira.

    Lula é amoral e baixo.

    Os ataques em Belo Horizonte foram de uma sordidez inimaginável, chegando a insinuar que o candidato Aécio tem o costume de agredir mulheres. Vejam: esse é o mesmo Lula daquele que preso em São Paulo tentou sodomizar um rapaz do MEP, que dividia a cela com ele. A justificativa de Lula para se ato abjeto era a de que não podia viver sem mulher. Perguntado sobre o ocorrido, o rapaz do MEP, hoje um senhor de meia idade, disse que não ia responder porque sendo evangélico não poderia mentir. Pois então que falasse a verdade.

    A rigor, o ex-presidente é um “exemplo” de homem que respeitoso com as mulheres, mormente com a sua. Quando presidente e em viagens ao exterior em missão oficial, Lula deixava a esposa, Dona Marisa Letícia , em casa e se esbaldava com a madame Rosemary Noronha pelos bons hotéis mundo afora. No avião presidencial madame Rose – como era chamada pelos íntimos – era sempre contemplada com os melhores assentos. Rosemary Noronha é amiga íntima de Lula desde os tempos de sindicato. À medida que Lula subia os degraus do poder, madame Rose ascendia na carreira de servidora pública.

    Com a chegada de Lula à presidência, madame Rosemary Noronha foi nomeada Chefe do Escritório da Presidência da República, onde mandava e desmandava. Tinha por costume humilhar funcionários e emparedar políticos com a alegação de que era muito próxima do PR.

    Exato, era assim “PR” que madame se referia a Lula com terceiros. Transformou as instalações da presidência da República em São Paulo em um lupanar e o gabinete em um espaço de saliência. É esse senhor, Luiz Inácio Lula da Silva, que em público elogiava dona Marisa Letícia – a galega, como gostava de chama-la para se exibir – e no privado dividia os lençóis com a madame Rose. É esse senhor, cheio de amor para dar, que hoje ataca o senador Aécio Neves com calúnias abjetas.

    Ao lado de Lula, todo faceiro, o governador eleito Fernando Pimentel aplaudia as barbaridades ditas pelo ex-presidente, sem expressar uma ponta de incômodo. Lula e Dilma – por sugestão do Goebbels em compota – foram treinados para descontruir o candidato Aécio Neves, mesmo que para obter seus resultados valesse até ofender a honra do adversário.

    Afinal, a Veja desta semana escancara a bandalheira na Petrobras com matéria sobre a delação do doleiro Alberto Youssef. O roubo na Petrobras azeitou o caixa de campanha de Dilma Rousseff em 2010, revelou o doleiro. O que leva a concluir que o atual mandato de Dilma Rousseff está sob suspeita por vício de forma e conteúdo.

    (*) Nilson Borges Filho é mestre, doutor e pós-doutor em direito e articulista colaborador deste blog.

    http://aluizioamorim.blogspot.com.br/2014/10/o-atoleiro-moral-de-lula.html

  2. Até hoje não entendo como elegeram esse ignóbil para o mais alto cargo do Brasil. Como imaginar que um analfabeto funcional seria capaz de administrar uma nação ? Como endeusar um energúmeno ? Seus discursos são rasos! Ele finge que sabe sobre o que está falando e um monte de seguidores dessa seita celebram… Eu o considero um moleque, desprezível, corruptível e (trecho excluído pela moderação)! Desde quando um dedo mínimo decepado (trecho excluído pela moderação) impede um homem de trabalhar? Pronto falei…

  3. Qual FERNANDO HENRIQUE CARDOSO é o verdadeiro? O educado da propaganda do máécio ou o pilantra que foi ao FMI com o PIRES NA MÃO?
    ANTÔNIMO

  4. grato pela sua ética jornalistica!!!!

  5. Qual. FHC foi de pires na mão ao FMI? Essa é a tal mentira repetida várias vezes que vira verdade somada à ignorância do povo! Parabéns pela sua ética, jornalística, já que a ética do ” anônimo” é petista!

Deixe uma resposta

Fechar Menu