Porta bandeira e mestre sala

“O Brasil não existe. Nosso carnaval virou uma indústria, uma plataforma para gerar celebrizações. Vivemos num mundo em que as pessoas se tornaram celebridades antes dos feitos. A Beija-Flor vendeu seu prestígio para um ditador africano”

(Roberto da Matta, antropólogo)

 

Em 2008, Lula estendeu a mão para receber o ditador da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Nguema. Segundo Fran Ségio, carnavalesco da Beija-Flor, os R$ 10 milhões para patrocinar  carnaval campeão da escola de Nilópolis, tendo a Guiné Equatorial como tema, vieram de empreiteiras brasileiras que atuam junto à ditadura africana, como Odebrecht e Quieroz Galvão, envolvidas até a medula no Petrolão. Obiang, que tem seu filho como vice-presidente, está há 35 anos no poder
Em 2008, Lula estendeu a mão para receber o ditador da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Nguema. Segundo Fran Ségio, carnavalesco da Beija-Flor, os R$ 10 milhões que patrocinaram o desfile da escola de Nilópolis em 2015, campeão com a Guiné Equatorial como tema, vieram de empreiteiras brasileiras que atuam junto à ditadura africana, como Odebrecht e Queiroz Galvão, envolvidas até à medula no Petrolão. Obiang, que tem seu filho como vice-presidente, está há 35 anos no poder

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem um comentário

  1. André

    Próximo enredo da Beija Flor:
    “Estado Islâmico: do levante a vitória, do deserto a glória: decapitando os inimigos e queimando os infiéis”
    E o povo ainda comemora…

Deixe um comentário