O filme queimado de Garotinho

cara de pau“Mas é engraçado que (…) tenta jogar todos os governadores e prefeitos no mesmo saco, porque todos estão enfrentando crises. Ora, uma coisa é a crise econômica do país e a queda do preço do petróleo, que afetou os royalties. Porém, no (…) a pior crise é a do governo pelo caos nas contas públicas, pela dívida contraída antes da crise econômica, pela irresponsabilidade fiscal de (…) e (…), pela improbidade nos contratos e isenções fiscais, pela farra de mordomias com o dinheiro público. (…) ainda vai ficar pior na foto, mas não pode culpar ninguém a não ser ele(a) próprio(a) e (…), que arrasaram com as contas do (…)”

Para o campista, que vê um governo municipal de orçamento bilionário, mas aparentemente falido, tentando vender na Bolsa de Nova York as receitas futuras da cidade, seria muito fácil completar com os nomes da prefeita Rosinha Garotinho (PR), do seu marido e secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR), e do governo municipal de Campos dos Goytacazes, aquilo que foi suprimido entre parênteses no texto acima. No entanto, o texto foi escrito, ou pelo menos assinado pelo próprio Garotinho, e publicado aqui em seu blog, para tratar do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), do ex Sérgio Cabral (PMDB) e do Estado do Rio de Janeiro.

Como exemplificou recentemente o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), quando a presidente Dilma Rousseff (PT) quis jogar para antes da ascensão do PT ao poder, em 2002, a origem da corrupção federal trazida a furo pelo Petrolão, quando se contrapõem os atos administrativos e financeiros do governo Rosinha ao texto de Garotinho sobre Pezão, não é difícil se chegar por analogia à mesma cara de pau do punguista da anedota, que bate sua carteira, enquanto sai gritando “pega ladrão!”.

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem um comentário

  1. Sandra Machado

    Se gritar pega ladrão não fica um meu irmão …”

Deixe um comentário