Chicão na frente — Largada oposta à que oposição esperava ter

Ponto final

Máquina e Arnaldo

Como dito logo na abertura da matéria da página 2, a nova pesquisa Pro4, feita em 6 de agosto e encomendada pela Folha da Manhã, ouvindo 620 eleitores das sete zonas eleitorais do município, reforça no contraste com a consulta anterior do mesmo instituto, realizada (aqui) entre 8 e 10 de junho, o que todo campista sabia há muito tempo: a força da máquina municipal e a do ex-prefeito Arnaldo Vianna (PEN) são protagonistas no eleitorado goitacá. Não por outro motivo, os candidatos da primeira, Dr. Chicão (PR), e do segundo, Geraldo Pudim (PMDB), exibiram os dois maiores crescimentos de intenções de voto nos últimos dois meses.

 

Garotinho dá voto de Tadeu a Chicão

O maior crescimento foi o de Chicão. Entre junho e agosto, ele passou de 8,4% para 17,6%, num impressionante crescimento de quase dois dígitos inteiros: 9,2 pontos percentuais. Isso mostra que o secretário municipal de governo Anthony Garotinho fez (aqui) uma jogada de mestre, primeiro ao colar sua imagem na TV (aqui e aqui) à do vereador e então pré-candidato a prefeito Tadeu Tô Contigo (PRB), que depois seria obrigado a desistir (aqui) da pretensão pelo senador Marcelo Crivella (PRB), em troca do apoio do PR na sua disputa à Prefeitura do Rio. Como era de se esperar, pelo perfil do eleitorado de Tadeu, sua mais generosa fatia coube ao candidato da máquina.

 

Pudim cresce, mas rejeição…

Quem também cresceu muito, mas menos, foi Pudim. Após ter recebido no final de julho (aqui, aqui e aqui) o apoio de Arnaldo, de quem foi vice-prefeito e depois figadal adversário, o deputado estadual passou 5% para 11,1% — evolução de 6,1 pontos percentuais na sua conhecida pretensão de ser prefeito. O problema do candidato do PMDB é que, apesar da subida substancial nas intenções de voto, ele continua liderando por larga margem o índice negativo da rejeição. E o fato de 28,1% dos campistas não votarem de jeito nenhum em Pudim a prefeito, dão teto ao seu crescimento e chances reais num eventual segundo turno.

 

Único a perder

Mas se ajudou a Pudim, Arnaldo parece ter causado danos à candidatura majoritária do seu único filho, cuja maturidade ao cargo questionou (aqui) publicamente. Entre todos os seis que ficaram na briga pela sucessão da prefeita Rosinha Garotinho (PR) — no contraste com a pesquisa induzida de junho, entre 11 pré-candidatos —, Caio Vianna foi o único que não herdou intenção de voto de ninguém e o único a perder. Ainda assim, dentro da margem de erro, seus atuais 13,7% mantiveram o jovem pedetista em empate técnico tanto com o governista Chicão, a quem cedeu a liderança, quanto com os oposicionistas Rafael Diniz (PPS), com 13,2%, e Pudim.

 

Ânimo e desânimo

Além do pequeno aumento de 1,9 ponto percentual na consulta estimulada, entre os 11,3% de junho e os 13,2% de intenção de voto atuais, Rafael pode também comemorar a expressiva segunda colocação na espontânea (4,5%) e a menor rejeição (3,2%) entre todos os seis candidatos. Parece um cenário mais animador do que o de Nildo Cardoso (DEM) e Rogério Matoso (PPL) que também registraram pequeno crescimento na estimulada, mas correm descolados do bloco da frente. Como desanimador para toda a oposição é o fato de que Chicão liderou também na espontânea, com 4,8%.

 

Oposto à oposição

Ainda falta definir a posição do PT — e seu cobiçado (aqui) tempo de propaganda — no pleito municipal, embora o indicativo seja (aqui) de que o partido vai manter o resultado da sua convenção municipal e apoiar Caio. Se conseguir, será a segunda derrota dessa pré-campanha estendida que o filho de Arnaldo terá imposto a Garotinho, após vencer (aqui) a queda de braço com este pelo apoio do PSB. Mas começar os 35 dias de uma campanha curta, entre 27 de agosto e 30 de setembro, com Chicão liderando já na estimulada e na espontânea, é um cenário oposto ao que a oposição esperava encontrar no tiro de largada.

Publicado na edição de hoje (11) da Folha da Manhã

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 9 comentários

  1. Roberto

    Coitado do Rogério Matoso.
    Um mico total!
    Não precisava passar por isso.

  2. Carlos

    Não sou Mãe Diná, mas Chicão ganha no primeiro turn9 e perde no segundo.
    os números mostram isso, é só somar os votos da oposição.
    Além disso, mostra tb aumento da rejeição do representante Rosa.

  3. sardinha

    Chicão cresceu 10% sem a máquina em campanha…

  4. Nhock

    FOOOOOOOOOOOOOOOOORA GAROTINHO COM ESSE CHICÃO E ESSE (trecho excluído pela moderação) DO MAURO SILVA!
    CAMPOS MERECE RESPEITO, NÃO DÁ MAIS PARA CONTINUAR COM ESSE GAROTINHO NO PODER, JÁ VAI PARA MAIS DE 30 ANOS E SÓ VEJO PROBLEMAS EM TODA CIDADE!

  5. N.Júnior

    Chicão cresceu sem a máquina em campanha caro Sardinha. E o que é essa distribuição de cheque cidadão, o que é essa festa de RPA e a revista que estão sendo destribuidas aos montes? Só vc e o TRE que não estão vendo que a máquina não está em campanha!

  6. Luis Carlos

    Os falsos opositores querem levar para o segundo turno,mas quem leva as Eleições será o jovem Rafael Diniz,oposição de verdade!!

  7. Leonardo

    Os votos de Chicão nada mais é a soma dos votos de todos os pré candidatos do grupo rosaceo,simples. Inventam muito.

  8. luciano domingues area

    Chicão já é o prefeito. Garotinho é foda..!!

  9. Maciel

    Sem a máquina em Campanha? Cheque Cidadão pra todo lado…

    Agora, dizer também que oposição não esperava por isso? Claro que esperava! Olha a quantidade de candidatos à oposição? Muita burrice… dividir os votos entre um monte de candidatos à oposição, enquanto o governo concentra todo em um só… se queríamos mudança, deveríamos ter somente um na oposição… Assim fica difícil mudar.

Deixe um comentário