Na dúvida do que seria, se Chicão vencesse, a dúvida do que será

Ponto final

 

 

O que seria?

O que seria de Campos se Anthony Garotinho (PR) ganhasse mais um mandato para brincar de títere na Prefeitura que dominou por 28 anos? Por mais que seu candidato derrotado a prefeito, Dr. Chicão Oliveira (PR), seja um pediatra com carreira brilhante e homem de bem, custa a crer que teria força ou temperamento para conter não só os desmandos do primo, como a herança maldita que este, após governar por oito anos em nome da esposa Rosinha (PR), deixou à cidade que um dia chegou a projetá-lo à política nacional.

 

Como é

Assim, enquanto o secretário municipal de Saúde Geraldo Venâncio declarou ontem à Folha que vai hoje ao Rio, tentar uma audiência com Rosinha, para saber como pagar mais de R$ 1,1 milhão a Clínica Pró-Rim, ninguém em Campos tem dúvida que, se aceitar tratar do assunto, quem vai fazer a mágica de aparecer o dinheiro, ou não, será o próprio Garotinho. Por mais que Geraldo, assim como Chicão, também seja um médico de carreira exemplar e homem correto, dizer que vai tratar de questões de governo com Rosinha, para falar na verdade com Garotinho, já se tornou um eufemismo. Talvez tragicômico, mas, por sorte, a 10 dias do fim.

 

O que será?

O que chegou ao fim foi a paciência da Pró-Rim em receber as quatro parcelas que o governo Rosinha prometeu pagar em setembro, acertando uma única em novembro, pelo serviço prestado entre outubro de 2015 e julho deste ano. Sem o dinheiro, as cerca de 500 hemodiálises/mês dos pacientes nas UTIs dos dois hospitais públicos e quatro conveniados da rede municipal de Campos, deixarão de ser feitas a partir da próxima segunda (26). No dia seguinte ao Natal, são cerca de 50 doentes que correrão risco de morte, em mais um presente de Garotinho à cidade da qual foi degredado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

 

Pagou, mas…

O prefeito Neco (PMDB) pagou ontem a primeira parcela do 13º salário dos servidores do município. Na região, municípios como Campos, São Francisco de Itabapoana e Macaé já pagaram a segunda parcela, como previsto na lei trabalhista que limita o dia 20 de dezembro para quitação. É claro que existe a crise no país e no Estado, como o governo sanjoanense tanto enfatiza, mas as receitas do Porto do Açu não seriam um diferencial para SJB? Campos “vendeu o futuro” três vezes, SJB não conseguiu nenhuma. E Neco ainda diz que se conseguisse o empréstimo, tudo poderia ser diferente. O que não se sabe é se é para melhor ou pior.

 

Ceia ainda salgada

O Procon elaborou a 2º pesquisa de preços com os produtos da ceia de Natal em Campos. Se comparados com valores levantados entre 07 e 08 de dezembro, os preços diminuíram 5%. Rosangela Tavares, superintendente do órgão, observa que os preços ainda estão altos. Quem deixar para compra mais perto do Natal pode encontrar preços mais baixos. Contudo, a oferta não é tão grande e os produtos podem não ter a mesma qualidade. Foram encontradas diferenças de preços de mais de 100% entre um mesmo produto, portanto o consumidor deve pesquisar bem antes de finalizar sua compra.

 

Morre Carlinhos Manhães

O rádio de Campos está de luto. Morreu ontem, no Prontocárdio, aos 74 anos, vítima de infarto fulminante, Carlinhos Manhães. Seu corpo está sendo velado numa das capelas mortuárias do Cemitério do Caju, onde será sepultado hoje. Carlinhos atuou nas principais emissoras de rádio de Campos, notabilizando-se nos plantões esportivos, na apresentação de programas de samba e carnaval. Era profundo conhecedor da parte técnica do rádio. Irreverente e bem humorado, teve como último trabalho no rádio a co-apresentação do “Programa Nilson Maria”, na Rádio Absoluta (AM 1470), sendo inclusive participante fixo do “Frente a Frente”, o mais tradicional espaço de debates do rádio campista.

 

Com a colaboração dos jornalistas Arnaldo Neto e Antunis Clayton

 

Publicado hoje (21) na Folha da Manhã

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 4 comentários

  1. Rone Souza

    Cada povo têm o que merece.kkkk

  2. Antonio Bernardes

    Antes que mal acontece seria oportuno alguém acionar o MP para conseguir liminar, para obrigar o estabelecimento continuar atendendo aos pacientes!!!! Quanto ao débito da prefeitura existe os meios juridicos para recebê-los….. quando fizeram a opção de fornecer serviços para prefeitura, com certeza tinham conhecimentos que um dia poderia haver falha no recebimento dos serviços prestados!!!

  3. Antonio Bernardes

    Estranho alguém ter ir a outro municipio, onde prefeita, montou o gabinete itinerante!!!

Deixe um comentário