Opiniões

Crescimento da Covid deve esperar eleição para medidas de restrição

 

 

“A volta da fase Verde para a Amarela em Campos, com adoção do lockdown parcial, é inevitável, vai acontecer”. Foi o que alertou (confira aqui), na quarta (18), o médico infectologista Nélio Artiles, quando os casos de Covid-19 voltaram a crescer na procura e internação pela doença na rede privada, no Hospital Dr. Beda, e na conveniada, na Santa Casa. “Medidas restritivas vão ter que voltar a ser tomadas com o aumento nos casos de Covid em Campos. Nós vamos nos sentar com o prefeito Rafael (Diniz, Cidadania) e o comércio da cidade, para evitar prejudicá-lo. Mas aquela projeção inicial de definirmos se sairíamos ou não da fase Verde, não existe mais. Tudo indica que nós vamos ter que voltar à fase Amarela”, foi o que afirmou (confira aqui), no sábado (21) a médica infectologista Andreya Moreira, chefe da Vigilância em Saúde, comandante do enfrentamento à pandemia no município. Ela admitiu que o aumento de casos foi registrado também na rede pública, na quinta anterior (19), no Centro de Controle e Combate ao Coronavírus (CCC).

 

Médicos infectologistas Nelio Artiles e Andreya Moreira (Montagem: Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

A reunião aconteceu na tarde de hoje, com Andreya, Rafael e outros membros do gabinete de crise para combater a pandemia. E nenhuma medida concreta foi tomada. A despeito da certeza de que Campos terá que retroagir à fase Amarela, isso só deve ser oficializado nesta quarta (25), com novas medidas de restrição anunciadas só na quinta (26). Além da politização da questão de Saúde Pública, com o negacionismo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) — como seu “mito” e ainda presidente dos EUA, Donald Trump, no que custou sua reeleição no último dia 3, no pleito vencido por Joe Biden —, pesa contra a volta ao lockdown parcial a campanha do segundo turno a prefeito de Campos, que será definida nas urnas do domingo (29). Especialistas apontam o corpo a corpo inevitável à campanha das eleições municipais brasileiras, como o principal motivo para a volta do crescimento da doença no país. E Campos não é exceção.

Hoje, dos 24 leitos do CCC, 17 estavam ocupados com doentes em quadro grave de Covid, mesmo número do sábado. Dos 40 leitos clínicos do CCC, reservados aos doentes em quadro moderado, hoje 28 estavam ocupados — eram 30 no sábado. Passando a funcionar em 30 de março (relembre aqui), em parceria do governo Rafael e a Beneficência Portuguesa que salvou vidas humanas em Campos e de municípios vizinhos aqui atendidos, o CCC é a linha de frente da cidade e região no enfrentamento ao novo coronavírus. Em opinião unânime entre os profissionais das redes pública, privada e conveniada, se o CCC colapsar, todo o sistema de saúde de Campos colapsa junto. Como aconteceu na Itália, na Espanha em cidades brasileiras como Manaus, Belém, Fortaleza e Recife, e até em Nova York.

Na repercussão da postagem nas redes sociais, a servidora federal Sandra Viana deu seu testemunho: “Perdemos um familiar ontem (22) com 60 anos, a população só acredita qdo a doença chega na sua família”.

Confira abaixo o comunicado oficial do gabinete de crise criado em Campos para combater à Covid:

 

Abertura do CCC em 30 de março, fruto da parceria do governo Rafael Diniz com a Beneficência Portuguesa (Foto: Divulgação)

 

COMUNICADO

O Gabinete de Crise de enfrentamento ao Coronavírus esclarece que os índices demonstram que o município caminha para um momento crítico quanto a ocupação de leitos aptos ao tratamento da Covid-19, tanto os públicos quanto os da rede privada de saúde.

A partir de avaliação técnica criteriosa e da análise da Vigilância em Saúde sobre o cenário epidemiológico da semana, o departamento alerta para a necessidade de a população estar atenta às medidas e orientações para evitar a propagação da doença no município.

O gabinete tem se reunido diariamente para avaliações quanto a decisão de mudança ou permanência de fase e algumas medidas já começam a ser divulgadas a partir desta terca-feira (24) — na verdade, só devem ser anunciadas dois dias depois.

Cabe ressaltar que o modelo matemático e estatístico para avaliação da pandemia no município considera os números da última semana no que tange a propagação da Covid-19 e a capacidade do sistema de saúde, além de outros dados, incluindo a ocupação de leitos.

Nesta segunda (23), a ocupação dos leitos públicos de UTI é de 70%. Já a clínica médica está com 46% ocupada.

O Gabinete de Crise lembra que é importantíssimo que a população entenda a responsabilidade de permanecer atenta às medidas de enfrentamento à Covid-19 e siga as orientações de uso de máscara, álcool gel, distanciamento social, além de evitar aglomeração.

O momento é difícil, seguimos juntos nesta luta e ao lado dos pacientes e das famílias que perderam entes querido. Pedimos que cada um faça a sua parte.

 

Atualizado às 20h21.

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Deixe uma resposta

Fechar Menu