Prefeita Rosinha coordena manifestação em prol dos royalties no Rio de Janeiro

Uma grande manifestação em defesa dos royalties do petróleo será realizada no Rio de Janeiro, no dia 17 de outubro, às 16h, na Cinelândia, com a coordenação da prefeita Rosinha Garotinho e da bancada federal fluminense, com apoio da sociedade civil organizada.

O secretário de Governo, Geraldo Pudim, cita que a prefeita Rosinha, os deputados federais Anthony Garotinho e Paulo Feijó discutiram amobilização nesta quarta-feira, em Brasília, com os senadores fluminenses Lindberg Farias, Francisco Dornelles e Marcelo Crivella,entre outros membros da bancada federal.

A intenção é deixar a região mobilizada, porque o adiamento da análise do veto presidencial à emenda Ibsen Pinheiro não assegura benefícios aos municípios e estados produtores.

“A prefeita Rosinha está muito preocupada, porque o adiamento davotação não é nenhuma vitória para a região, porque não houve até agora a apresentação de proposta favorável aos municípios produtoresde petróleo. Pelo contrário, as informações são de que as perdas serão muito grandes se a União insistir em não abrir mão de uma parte maior de sua fatia dos royalties”, comenta Geraldo Pudim, que vai procurardirigentes de entidades civis organizadas que integram o Conselho Municipal de Desenvolvimento Sustentável (Comudes), para participarem da mobilização para o evento do dia 17 de outubro.

 

Leia o original aqui, no blog do Pudim… 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 4 comentários

  1. Ruy

    É nao podemos deixar a teta gorda dessa turma ruim murchar.

  2. Carla Rosa Faria

    as vezes parece que so a rosinha esta preocupada com essa retirada dos royalties…queria mais cobrança dos outros prefeitos da regiao

  3. esprero que kuando voltar nao eskeça de ver pra pagar o divisor de horas, eo , e a diferemça de horas extras.e o enquadramento da guarda que esta na gaveta,que nelson,kuando assumiu a prefeitura na prineira vez ,deixou pra senhora rosita ,pagarnos este dinheiro. com todos os direito concedido a todos os guardas.

  4. Luciana Portinho

    Repasso denúncias que o blog recebeu e que me pareceram fundamentadas.
    Abs,
    Luciana Portinho

    No caso do Mercado Municipal, soube que feirantes têm vagas cativas para estacionamento (em local proibido), com permissão dos guardas que ali trabalham. Isto é sabido há anos, inclusive fiz denúncias contundentes, porém, nada foi feito. Soube através de outros guardas, que ali rola o velho sacolão de compras (inclusive para alguns administrativos), por isso a turma de plantão no local é “imexível”, já trabalhando ali há bons anos sem faltar um dia. Todos que atuam no trânsito participam de um rodízio de posto, mas, estranhamente, só os do Mercado Municipal que não! Por que, caro F. Mello (comandante da Guarda), os dois guardas nunca são remanejados dali? Por que eles não atuam removendo os veículos estacionados irregularmente (ônibus tem de parar no meio da rua para os usuários descerem!)? O senhor sabia que adesivos de notificação são colocados nos vidros apenas para simular multas nos carros de comerciantes? O senhor sabia que os guardas são presenteados com sacolão de frutas, verduras e peixes? O senhor sabia que os guardas do local proibiram o reboque de atuar no local? Que poder, hein? Do jeito que eles estão indo, daqui a pouco assumem a Prefeitura!!!! Caros amigos leitores, todos sabem disso lá no Mercado, apenas o comandante desconhece! Guarda naquele local não ajuda em nada, só atrapalha, pois quando eles param o trânsito (menos de 50 metros depois do semáforo), acabam provocando um engarrafamento gigantesco. Ah, agora vocês sabem por que o trânsito fica engarrafado até o Hospital Plantadores de Cana, né? Aí, pessoal da Folha, ótimo local para uma matéria!

    Cada dia uma novidade… Conversando com alguns guardas municipais, hoje, no centro da cidade, soube que o comandante da Guarda Municipal, Sr. F. Mello, já tem ciência destas postagens no blog da Luciana Portinho. Espere que ele desconsidere o pedido do guarda-pastor para não multar os veículos em frente a sua igreja, e determine que, toda vez que uma viatura por lá passar e ver carros sobre a calçada, aplique a lei (multa e remoção do veículo). Não somente lá, mas em qualquer canto do Município. O que vemos hoje, é viatura da Guarda passando direto, nem sequer advertindo. Omissão! Tem outro nome? Amanhã (quinta-feira), às 19:30h, estarei lá em minha peregrinação semanal, ligando para a Guarda Municipal e cobrando providências. Se forem, espero que não cheguem no final do culto (horário que todos já vão tirar o carro mesmo!). Parece tudo combinado! Luciana, será que ninguém da Folha poderia fazer uma matéria no local? Com um repórter, fotógrafo, pai-de-santo, sei lá, alguém que pudesse cobrar da Guarda Municipal o cumprimento da lei? Certas horas, eu chego a pensar que eu estou errado e eles, certos… José, uma pena que o pastor não foi preso por desacato… Ele é o xerife dali? kkkkkkkkkk Ah, soube também que, da última vez que a Guarda lá esteve, vários motoristas se recusaram a retirar os veículos da calçada e ainda disseram: “Podem multar aí!” Como estão certos da impunidade…

    Luciana, socorro!!! Domingo, dia 1º de outubro, às 20:00h, novamente lá estava eu em frente à Igreja Assembléia de Deus Central (agora virou um problema pessoal). Como acontece todos os domingos, terças e quintas-feiras, após as 19:30h, o caos estava instalado ali. Carros e motos sobre a calçada, pedestres tendo que trafegar na rua. Agora, acredite! Liguei para a igreja pedindo que avisassem os motoristas para retirar o veículo do local, pois estavam infringindo à lei e prejudicando pessoas que passavam no local. Às gargalhadas, meu interlocutor, ironicamente, respondeu: “Procura a Guarda, o reboque, até o Papa, se quiser! Você deve ser um beato da Igreja do Saco!” Luciana, fiquei tão indignado, que desliguei o telefone na cara do cidadão (não identificado). Liguei para a Guarda Municipal, fui atendido por uma tal de NARA, pedi providências e a mesma solicitou que eu aguardasse no local, pois estaria enviando uma viatura. Esperei 25 minutos e nada. Retornei a ligação para a tal NARA, perguntando se demoraria o envio da viatura. Provavelmente, após consultar algumas pessoas, disse que não poderia enviar viatura alguma, pois todos estavam em eventos. Meu Deus, Luciana, quantas viaturas tem a Guarda Municipal? No desfile cívico de 7 de Setembro, o comandante F. Mello nos exibiu dezenas de viaturas (motos, carros, quadriciclos) e centenas de guardas, onde estão eles? Há uma explicação para isso. Pelo que soube, há um pastor da igreja (sei até o nome) que também é guarda municipal, e já determinou aos plantonistas para não enviarem viatura alguma naquele local, já que são “irmãos” assim como a nossa prefeita. Luciana, socorro, socorro, socorro! Preciso de uma matéria da Folha,com urgência, naquele local, já que o direito de ir e vir das pessoas está sendo violado e o Poder Público Municipal está sendo cúmplice. Hoje, a partir das 19:30h, se alguém quiser conferir o fato que aqui exponho, basta passar no local para ver. Atenção: se você tomou multa por estacionar sobre a calçada ou em local proibido, em qualquer canto de nosso Município, entre com recurso na EMUT baseado no caso da Assembléia de Deus Central, já que ali não é passível de multa cometer tal infração. Direitos iguais, não? Luciana, me ajude!

    Cada dia uma novidade… Conversando com alguns guardas municipais, hoje, no centro da cidade, soube que o comandante da Guarda Municipal, Sr. F. Mello, já tem ciência destas postagens no blog da Luciana Portinho. Espere que ele desconsidere o pedido do guarda-pastor para não multar os veículos em frente a sua igreja, e determine que, toda vez que uma viatura por lá passar e ver carros sobre a calçada, aplique a lei (multa e remoção do veículo). Não somente lá, mas em qualquer canto do Município. O que vemos hoje, é viatura da Guarda passando direto, nem sequer advertindo. Omissão! Tem outro nome? Amanhã (quinta-feira), às 19:30h, estarei lá em minha peregrinação semanal, ligando para a Guarda Municipal e cobrando providências. Se forem, espero que não cheguem no final do culto (horário que todos já vão tirar o carro mesmo!). Parece tudo combinado! Luciana, será que ninguém da Folha poderia fazer uma matéria no local? Com um repórter, fotógrafo, pai-de-santo, sei lá, alguém que pudesse cobrar da Guarda Municipal o cumprimento da lei? Certas horas, eu chego a pensar que eu estou errado e eles, certos… José, uma pena que o pastor não foi preso por desacato… Ele é o xerife dali? kkkkkkkkkk Ah, soube também que, da última vez que a Guarda lá esteve, vários motoristas se recusaram a retirar os veículos da calçada e ainda disseram: “Podem multar aí!” Como estão certos da impunidade…

Deixe um comentário