Edson cala Marcão, para falar sério e para rir

Abaixo, numa toada mais séria, seguida pela mais irônica, as pertinentes interpretações dos jornalistas Ricardo André Vasconcelos e Alexandre Bastos sobre a atitude do presidente da Câmara de Campos, Edson Batista (PTB), que na sessão da última quarta (24/04) encerrou abruptamente a sessão no exato momento em que o vereador Marcão teve concedida a palavra para falar em plenário das suas denúncias sobre o caso da Expoente (conheça-o passo a passo, desde o início, aqui, aqui, aqui, aquiaqui e aqui) e dos ataques que passou a sofrer dos governistas por conta disso…

DEMOCRACIA COM HORA MARCADA? QUE É ISSO, BATISTA?

Por Ricardo André Vasconcelos, em 24-04-2013 – 20h38

O presidente da Câmara Municipal de Campos, Edson Batista (PTB), acaba de dar um péssimo exemplo de democracia com hora marcada. Depois de uma sessão de debate de bom nível com o secretário de Saúde, Geraldo Venâncio, a sessão ordinária foi marcada por discursos dos vereadores para conciliar uma disputa entre os vereadores Luiz Alberto Nenem e Fred Machado pela paternidade da emenda que exige ficha limpa para todos os que trabalham na administração municipal.

Nenem disse que passara um péssimo final de semana por causa de declaração atribuída a Fred Machado de que teria tido seu projeto roubado.

Depois do desabafo de Neném e a defesa de Fred, vários vereadores se pronunciaram em defesa da conciliação até que  Marcão Gomes (PT) pediu um aparte e disse que também tivera um final de semana ruim porque Paulo Hirano, o líder do governo…

Bastou citar o nome de Hirano para Edson Batista cassar a palavra do colega vereador e alegando já ter se passado três horas desde o início da sessão para encerrar os trabalhos imediatamente, enquanto regimentalmente poderia prorrogar a sessão ou convocar outra em seguida.
Detalhe: a sessão foi encerrada com dois vereadores na tribuna: Fred Machado, de um lado, e Marcão, a quem dera aparte, do outro.

O que Batista não queria era levar ao Plenário o escândalo da Exponte, a empresa que vendeu livros didáticos sem licitação para a Prefeitura enquanto o Ministério da Educação tem e enviou para a PMCG, livros para as mesmas séries do ensino fundamental, conforme vem denunciando o vereador petista.

Hirano, em seu blog (aqui) ameaçou Marcão com processo por quebra de decoro e em reportagem da Folha da Manhã (aqui), Marcão mostrou que tem documentos para sustentar sua denúncia.

É uma pena que Edson Batista, que em poucos meses mostrou-se um presidente da Câmara equilibrado e disposto a dialogar com a sociedade, tenha sido traído pela fraqueza de agora há pouco.

Tomara que tenha sido apenas um soluço autoritário e não uma prática que deve ter aprendido com seus líderes.

Atualização às 14h46 de 25/04/2013, para acrescentar o “detalhe” que o encerramento da sessão ocorreu quando havia dois vereadores na tribuna.

Caiu na rede

Por alexandre bastos, em 26-04-2013 – 18h28

A atitude do presidente da Câmara de Campos, Edson Batista (PTB), que cortou a palavra do vereador Marcão (PT) na última sessão, virou uma montagem inspirada no seriado mexicano “Chaves”.

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 4 comentários

  1. JORGE DIAS

    SERÁ QUE HAVIA ALGUM MOTIVO ESPECIAL, PARA QUE A “VOZ” DO MARCÃO FOSSE ABAFADA, NAQUELE MOMENTO, E DA FORMA COMO FOI? CONTINUO SEM ENTENDER OS MOTIVOS QUE LEVARAM O PRESIDENTE DA CÂMARA A TOMAR AQUELA ATITUDE ANTI-DEMOCRÁTICA E AUTORITARISTA. ESTAREI LÁ, NOVAMENTE, NA PRÓXIMA SEÇÃO, AGUARDANDO O DESENROLAR DESSA ATITUDE INTEMPESTIVA DO NOBRE PRESIDENTE.

  2. Edi Cardoso

    esse politico é dá epoca do êpa!!!!!!!!!!!!!

    Não gosto dele!!!

  3. Júlia

    É brincadeira ter essa múmia como presidente da Câmara!!!!
    Arcaico, puxa-saco…
    FORA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  4. maria

    A censura ja’ acabou ha algum tempo,ou nao?
    Este povo esta’ brincando com coisa seria.

Deixe um comentário para Edi Cardoso Cancelar resposta