Opiniões

Mário Sérgio — Testemunho dos “Cabruncos” e médicos com Edson e Hirano

Mário Sérgio Junior, jornalista da Folha (foto de Silésio Corrêa)
Mário Sérgio Junior, jornalista da Folha (foto de Silésio Corrêa)

Ressalvadas as exceções e sem desmerecer as atitudes de ninguém, a reunião ocorrida na terça-feira (09) entre representantes do movimento “Cabruncos Livres”, médicos e o presidente da Câmara de Campos, Edson Batista, a meu ver apresentou uma série de bases aparentemente despreparadas, principalmente por parte dos “Cabruncos”, que em algumas reivindicações demonstraram não possuir total conhecimento das coisas que acontecem no município.

Vale ressaltar, com louvor, a iniciativa do grupo de ter saído do comodismo e reacender na planície o espírito de protesto, fazendo levar às ruas centenas de pessoas, cada qual com sua “revolta”, que marcharam em paz por questões que realmente merecem atenção, mas que durante a reunião pareceu que se tornou um pouco perdida. No entanto, antes de qualquer coisa cabe uma pergunta: Será que se na última manifestação, no dia 03 de julho de 2013, os médicos e outras classes não estivessem presentes, os “Cabruncos” sozinhos teriam conseguido o avanço de conseguir a reunião na Câmara? Uma vez que o anúncio desta partiu desses profissionais da saúde?

Ir a uma reunião na Câmara sem ao menos saber quais os dias e horários de sessões com ou sem tribuna livre, é no mínimo “baixar a guarda” diante de parlamentares que, embora vejam os manifestos como algo democrático, querem desviar o foco das manifestações.

Quero deixar bem claro que em nenhum momento disse que o movimento é fraco ou que não estão pleiteando assuntos relevantes para a sociedade em geral. Não é de hoje que todos estão percebendo a realidade precária dos transportes públicos, as reclamações de usuários da saúde pública, a falta de valorização dos profissionais da educação (que muitas vezes precisam trabalhar em vários locais para conseguir se sustentar), enfim uma série de queixas que os “Cabruncos” estão em alerta para ver um resultado efetivo.

Por parte dos parlamentares presentes e suas equipes, cabe as seguintes questões: Por que não ter aberto a reunião com todos os vereadores para que pudesse ao menos apresentar uma posição mais concreta e não apenas prometer análises? Quando será divulgado o resultado dessas análises? Será que elas serão “passadas para trás” por coisas mais “importantes”?

Enfim, no que diz respeito a soluções imediatas, nada foi apresentado. Acredito que se a reunião tivesse sido feita em outros moldes, com a presença de todos os vereadores, uma resposta mais direta poderia ter sido dada. Diante disso, independente de alguns despreparos, espero que tudo o que foi abordado não seja jogado para debaixo do tapete e uma forma disso não cair no esquecimento é o protesto nas ruas, que provavelmente não terá fim, pelo menos nas próximas semanas ou meses.

Das ruas à Câmara Municipal, na reunião de ontem, sem todos os vereadores (foto de Edu Prudêncio)
Das ruas à Câmara Municipal, na reunião de ontem, sem todos os vereadores (foto de Edu Prudêncio)
fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem um comentário

  1. para mim são dois irresponsaveis tanto Paulo hirano e o Édson Batista paus mandados que conseguiram acabar com o restinho da saúde de nossa cidade e hoje Presidente da Câmera de nossa cidade que são os dois para defenderem a saúde de nossa cidade as manifestaçõe4s tem mais que acontecerem torço por você que continuem convocando o nosso povo para que tiramos esses covarde do poder de nossa cidade parabéns a todo conte com migo um forte abraço.

Deixe uma resposta

Fechar Menu