OAB alertou forças de Segurança sobre violência nas praias e nada foi feito

Carlos Fernando Monteiro da Silva Guru, presidente da OAB-Campos (foto de Helen de Souza - Folha da Manhã)
Carlos Fernando Monteiro da Silva Guru, presidente da OAB-Campos (foto de Helen de Souza – Folha da Manhã)

 

O problema da violência crescente nas praias sanjoanenses, nas quais 10 homicídios já foram cometidos em janeiro e fevereiro, não pegou o poder público de tocaia. Muito antes do artigo da Folha do último domingo denunciar o problema (aqui), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Campos, que atende também São João da Barra, já havia alertado oficialmente as forças de Segurança Pública, desde julho do ano passado, sobre a explosão da violência no município, sem nenhuma resposta.

Na verdade, foram dois os ofícios encaminhados neste sentido pelo presidente da OAB local, Carlos Fernando Monteiro da Silva, o Guru. O primeiro, de 30 de julho de 2013, endereçado ao comando do 8º Batalhão de Polícia Militar (BPM), no qual foi alertado:

— Considerando o alavancamento industrial que vem ocorrendo na região de São João da Barra nos últimos anos, com o consequente crescimento populacional, no que tange a questões de segurança, aquela cidade vizinha está muito aquém da necessidade real, dispondo de pouco efetivo, viaturas insuficientes e comunicação morosa. Conforme os números da Polícia Militar, verificados no livro de ocorrências, houve um expressivo aumento da criminalidade naquela cidade, onde, há 10 anos, um homicídio era um crime comentado por meses e o número era mínimo por ano. Hoje a contagem é mensal: roubos, furtos, assaltos, estupros etc.

Sem resposta ao primeiro alerta, nem para tentar justificar as limitações de efetivo do 8º BPM, a OAB-Campos enviou outro ofício, no último dia 7 de janeiro, desta vez endereçado à pessoa do secretário estadual de Segurança José Beltrame. Neste segundo pedido por ações para garantir a segurança não só nas praias de São João da Barra, mas em todo o litoral da região, antes de reforçar os argumentos do ofício anterior, a OAB advertiu para o iminente recrudescimento da violência durante o verão:

— Considerando o início do período de veraneio no Litoral Norte Fluminense.

Até o presente momento, com 12 homicídios contabilizados no verão das praias de Atafona, Grussaí, Chapéu de Sol e Farol de São Thomé, nenhuma resposta foi dada, nem na formalidade de um ofício, nem na realidade da segurança no litoral da região. Confira abaixo os dois ofícios da OAB, ignorados pelo 8º BPM e pela secretaria estadual de Segurança Pública:

 

Ofício da OAB de 30/07/13, destinado ao 8º BPM, sem nenhuma resposta
Ofício da OAB de 30/07/13, destinado ao 8º BPM, sem nenhuma resposta

 

 

Ofício da OAB de 07/01/13, ao secretário de Segurança José Beltrame, também sem resposta
Ofício da OAB de 07/01/13, ao secretário de Segurança José Beltrame, também sem resposta
fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 3 comentários

  1. HUGO ALMEIDA

    Isto ‘contabilizado’ de forma oficial! Na semana passada, uma jovem que estava à tarde próximo a Chapéu de Sol, foi estuprada, na presença do namorado, por 4 ou 5 bandidos! Traumatizados, ela e o namorado retornaram para Campos, mas não registraram queixa na polícia, mediante ameaça que sofreram dos criminosos.

    Outro grave problema, é a invasão de residências, principalmente à noite, com a péssima iluminação pública, mais de 50% dela sem funcionar, facilitando assim a ação dos bandidos.

    Não sei o que fazem os políticos de SJB! Tudo vai mal no município, Segurança, falta de policiamento, falta de fiscalização nos sistemas de fornecimento de água e energia elétrica, transporte deficiente, poluição sonora extrema!

  2. joao da silva

    ACREDITO QUE NAO SEJE TAO DIFICIO (AINDA),DE COMBATER A VIOLENCIA DE UM MODO GERAL EM SJB,POIS A SEDE DO MUNICIPIO, GRUSSAI E ATAFONA,PRINCIPALMENTE QUE TEM MAIOR MOVINTO,TEM APENAS UMA SAIDA VIA (TERRESTRE).DE QUE ADIANTA CHEGAR O PROGRESSO E A QUALIDADE DE VIDA DA POPULACAO SOBRER REGRESSO??

  3. Gianna Barcelos

    Curiosidade: Onde está a autenticação que este documento foi recebido?

    Geralmente a segunda via que fica com o órgão emissor tem um protocolo acusando recebimento.

Deixe um comentário