Opiniões

Transporte Público de Campos — Opiniões no “Opiniões” (II)

Opinião

 

Promotor Marcelo Lessa
Promotor Marcelo Lessa

Locaute — Algumas respostas

Por Marcelo Lessa, publicado aqui, no Blog do Cláudio Andrade

 

Tivemos um locaute em Campos. Talvez o primeiro que saiu dos livros em toda a História. O locaute evoluía para uma espécie de “queima total” no serviço de transportes, porque notícias davam conta de que se planejavam parar as vans e os táxis. Medidas duras foram tomadas, protagonizadas pelo Município e pelo Ministério Público, numa atuação integrada que nada mais fez do que lembrar a harmonia entre os poderes preconizada no texto constitucional desde 1988.

​Os dias foram intensos. Ao Município e ao Ministério Público Estadual, desde o início somaram-se a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros, mobilizando imenso contingente, desde a apreensão dos ônibus nas garagens, até os últimos dias da paralisação.

​Neste ínterim, foi ajuizada uma ação cautelar, que teve o aval do Poder Judiciário, durante o plantão forense, sendo dadas buscas nas garagens por oficiais de Justiça, acompanhados do Ministério Público e do aparato policial necessário ao êxito de tais medidas, afinal de contas estava-se lidando com um segmento tradicionalmente avesso ao princípio da autoridade, porque ainda crente na supremacia do poder econômico. Paralelamente, a Justiça do Trabalho declarava a paralisação ilegal, determinando a retomada do serviço, ordem até então ignorada pelo movimento ao final desmascarado. Interveio o Ministério Público do Trabalho, visando a mediar a solução, e o Ministério Público Federal, para apurar a prática, nada menos, do que de crime contra a segurança nacional. E, por derradeiro, somou-se a Polícia Civil, ante a flagrância de crimes contra a organização do trabalho e a segurança dos meios de transporte.

​Como se vê, formou-se uma espécie de Força-Tarefa espontânea, cada um no âmbito de suas atribuições, comprometidos todos com a população de Campos, para encontrar uma solução para a crise gerada pelo conluio entre patrões e empregados, demonstrado fartamente pela documentação apreendida nas garagens e divulgada para a Imprensa, mas desde o início evidente para aqueles que conseguem enxergar alguns palmos adiante do nariz.

​Ainda assim, todavia, viu-se uma também intensa guerra de informações e contrainformações nos blogs e redes sociais. Ali, anônimos comentavam posts de figuras públicas hoje no ostracismo, novas e antigas figuras que tentam ser públicas e obtêm resultados pífios em suas aventuras, além dos especialistas que sempre surgem nesses momentos de crise, para demonstrar seu inexpressivo conhecimento, falar sobre o que não sabem, desviar o foco das atenções e propor soluções para problemas que não conhecem. Todos querendo tirar algum tipo de proveito da situação. Claro que não se pode levá-los a sério, até porque suas vozes só ganham eco entre si.

​Recebi nesses veículos de informação instantânea elogios e críticas de todas as espécies, muitas inclusive de baixo nível, típicas daqueles que julgam os outros pela imagem que fazem de si próprios, ou daqueles que julgam os outros pela inveja que suas próprias limitações lhe impõem. Agradeço a todos. Quanto aos elogios, não me envaidecem. Quanto às críticas, todas elas, não me preocupam, não me tocam, nem me despertam qualquer atenção pois, vindo de quem vem, me são absolutamente irrelevantes.

​Afinal de contas, nenhum desses críticos, que sabem bem de quem estou falando, andam de ônibus.

 

 

Advogado José Paes
Advogado José Paes

Considerações sobre a greve dos rodoviários

Por José Paes, publicado aqui, no Blog do Zé Paes

 

São inúmeras as questões e peculiaridades que envolvem a greve dos rodoviários, que dificilmente se conseguirá abordar todas elas de uma só vez. A complexidade da situação, por vezes, também colabora para que sejam proferidas declarações que mais confundem do que esclarecem os motivos pelos quais se chegou a essa situação lamentável, em que perdem os rodoviários, os empresários, a prefeitura, mas, sobretudo, e acima de tudo, o cidadão comum, que se utiliza e depende do transporte coletivo.

Alguns considerações, contudo, precisam ser feitas.

Não se pode negar o direito de greves dos trabalhadores. A pauta de reivindicações é justa. Descontar o salário do trabalhador, por exemplo, quando há roubo aos ônibus, é algo absurdo que precisa ser combatido. Isso não quer dizer, que se possa defender eventuais abusos desse direito, nem mesmo o descumprimento de ordens judiciais, que devem ser apurados e punidos, através dos mecanismos legais.

Não se pode negar, também, que a situação econômica dos empresários é caótica. Como exigir de quem, há mais de 6 anos, não vê a tarifa do transporte coletivo reajustada, o cumprimento das exigências dos trabalhadores? Não se pode querer que o empresário, além das suas obrigações legais, ainda seja obrigado a bancar o programa social do município.

Do mesmo modo, não se pode negar o direito da prefeitura interferir para garantir a continuidade da prestação do serviço. Afinal de contas, o interesse público deve prevalecer sobre o direito do particular, sobretudo para garantir a prestação de serviço tão essencial como o transporte. Essa situação, todavia, não faz desaparecer a imensa culpa que prefeitura possui por ter deixado a situação ter chegado a esse ponto. É a prefeitura a maior culpada pelo caos no serviço de transporte. Já são quase seis anos de governo, e nada foi feito para solucionar o problema. Faltou diálogo, faltou bom senso e não se pode agora lavar as mãos e colocar o problema na conta da sempre conturbada relação patrão x empregado.

A manutenção do serviço também não pode servir de palco para estrelismos, de quem tem como função tutelar os direitos da sociedade, e não servir de porta voz e advogado de determinado grupo político. Assim como devem ser apurados eventuais abusos de empresários e trabalhadores, é necessário que se apure também eventuais abusos no ato de apropriação temporária dos ônibus das empresas.

É importante que se aborde também a questão da licitação dos ônibus. Não sou contra a licitação, algo, aliás, que já deveria ter ocorrido faz tempo. Mas como já disse em outras oportunidades, querer colocar a culpa pelo seu atraso na conta dos empregados é absurdo. O governo precisa reconhecer que não teve competência suficiente para apresentar um edital dentro da legalidade, o que atrasou todo o processo e acabou ocasionando a situação atual.

É leviano, também, vender para a população que os problemas do transporte irão acabar com essa licitação. De nada adiantará legalizar a situação das empresas, se o governo continuar a gerir o sistema como o faz. Não basta apenas passagem barata, é preciso ter responsabilidade e competência para gerir um serviço de tamanha importância.

Enfim, para que o problema efetivamente se resolva, é preciso que se deixe a hipocrisia e os egos de lado e que os problemas do sistema sejam reconhecidos e discutidos em conjunto. Enquanto isso não acontecer, quem continua a sofrer é o povo.

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 21 comentários

  1. o Advogado Jose Paes cresceu no meu conceito com sua abordagem neste tema.

  2. Analise muito inteligente do senhor jose paes

  3. O Advogado fez uma análise perfeita, houve erros de ambas partes. Triste e vê também os rodoviarios, contunuar trabalhando sem nenhuma previsão de melhoras salarial.

  4. Evidentemente nesse caso foi engendrado o locaute e os motoristas foram envolvidos. Considero acertada a ação MPE-Município que presenrva o direito de quem usa o transporte coletivo, que é quem deveria mesmo estar emitindo opinião. Onde estão os serviços de opinião pública da cidade?

  5. Concordo com Dr. José Paes, análise serena e equilibrada. Qualquer servidor público deve preocupar-se sim com as opiniões do público a que serve, pois os impostos desse público que lhe paga o salário. A investidura em cargo de relevância pública impõe a seu titular serenidade, equilíbrio e postura centrada. Arroubos, estrelismos, exacerbação midiática de autoridade, com ameaças, como se dono da verdade e da lei fosse, não contribuem para o estado democrático de direito e nos remete à lembrança de tempos e regimes de exceção. Cheguei a pensar que estivesse na Venezuela chavista na qual o Judiciário se confunde e se submete ao Executivo local. Precisamos de gente de paz e não de gente de guerra!

  6. Parabéns, pela. belissima, resposta , onde o Dr. Jose Paes , colocou,no lugar certo as ,palavras e quem , teria que vigiar não só os ônibus mais ambulâncias, que tao interessante ou ate mais do que o ônibus, e os orgãos que fizeram todo este barulho nada fazem , e pior estão. usando as mesmas. da. Famosa ,GAP. Verdadeiras. sucatas. Parabéns por ser jovem firme,e com coragem para enfrentar tantos. CORONEIS Ou GENERAIS, de. Cinco estrelas , em seus cavalos, maravilhosos.

  7. O Povo é responsável por tudo isso, votam de forma equivocada, sou solidário aos grevistas, mas entendo que cometeram erros, penso que essa passagem de R$ 1,00 não tem serventia alguma, o trabalhador tem direito ao Vale Transporte para ir e vir do seu labor, por fim, o Empresário é quem paga a conta, lamentável todo o ocorrido.

  8. Tá bom, Promotor! E o resto? E coisas como o vandalismo praticado no Aeroporto? E as ‘respostas’ da Prefeita, admitindo que usou ‘recursos’ públicos para as manifestações nas questão dos Royalties? E sobre os gastos com o Carnaval do Farol e os preços absurdos dos shows? E sobre o que “falta” na Saúde? E mesmo sobre esta questão dos “transportes”, a demora em resolver tal problema, também não é do interesse popular, portanto, público?

    São problemas reais, não são? Considerando que o Sr. gosta de “mostrar quem manda”, podia dar seguimento, aproveitar o “embalo” e ajudar a por ordem neste município! Acredite, todos nós desejamos isso.

  9. Para os que desprezam os críticos, seguem para reflexão, o pensamento de quem marcou época demonstrando “expressivo conhecimento”:
    Prefiro os que me criticam, porque me corrigem, aos que me elogiam, porque me corrompem (Santo Agostinho)
    Está morto: podemos elogiá-lo à vontade (Machado de Assis)

  10. Parabéns ao advogado José Paes, por expressar a pura verdade do transporte caótico que vivemos nessa cidade. Muito bom quando se tem uma pessoa que está acompanhando de perto a verdade sobre não só o transporte público mas como todos os problemas que estamos assistindo nessa cidade, de administração falida a tempo.

  11. gostaria de pedir o mesmo empenho do MP e outros na Saúde (ou melhor na falta da mesma ), na EDUCAÇÃO,ETC

  12. Concordo com tudo que li,todos tem razão no que escrevem.
    Voto na Rosinha,voto no Garotinho,mas que se acham superiores a tudo e arrogante de certo modo sim.
    Agora não tenho escolha é a melhor opção na hora que tenho que escolher de votar.
    eles são melhores que o resto me desculpe os que torcem contra a eles.
    Me apresente concorrentes melhores que mudo meu voto.
    Postem nomes de peso para concorrer com esta família que vive politica.
    Vou citar um que eu votaria Matoso,agora quero exemplos para concorrer com eles,me ajude.

  13. PREZADOS,
    SINCERAMENTE NÃO DÁ PARA ENTENDER COMO UMA CIDADE TÃO “RICA” CAMPOS-RJ, PODE PASSAR PERRENGUE COM O TRANSPORTE PÚBLICO DE PÉSSIMA QUALIDADE!ISTO PORQUE CAMPOS-RJ RECEBE UMA FORTUNA EM ROYALTIES E MUITO DINHEIRO PROVENIENTES DE IMPOSTOS DIVERSOS.
    VEJA EXEMPLOS DE OUTRAS CIDADES DE OUTROS ESTADOS, COMO EM SANTA CATARINA, POR LÁ SE VÊ ÔNIBUS DE PRIMEIRA, COM AR CONDICIONADO, ÔNIBUS NOVOS, ETC…
    O QUE ESTÁ POR TRÁS DISSO? A CORRUPÇÃO SEM DÚVIDA!!!
    AGORA O POVO TEM QUE ESPERAR UMA LICITAÇÃO ACONTECER, NO FINAL DE MAIO AINDA, PARA VER SE MELHORA O TRANSPORTE PÚBLICO? ORA, O POVO NÃO TEM QUE ESPERAR LICITAÇÃO NENHUMA, É A PREFEITURA QUE TEM DE ORGANIZAR E CUIDAR DO BEM ESTAR DOS CIDADÃOS!
    EM RECENTE REUNIÃO NO AUTOMÓVEL CLUB, ONDE SE REUNIU UM MONTE DE POLÍTICOS PUXA-SACO DE GAROTINHO, NO PALCO TODA A FAMÍLIA GAROTINHO FALANDO SOBRE O TRANSPORTE PÚBLICO E PEDE PARA A POPULAÇÃO AGUARDAR A LICITAÇÃO. TENHO PENA DOS CAMPISTAS…

  14. conheço curitiba no paraná, la um grande gestor do dinheiro público, mudou um município com muito menos dinheiro do que campos com reconhecimento internacional senhor Jaime lener um homem certo para nossa campos.

  15. FORA CASAL GAROTINHO. VOCÊS QUEREM ACABAR COM AS EMPRESAS DE ÔNIBUS PARA TOMAREM CONTA TAMBÉM DO TRANSPORTE PÚBLICO DE CAMPOS. NÃO CHEGA AS FIRMAS TERCEIRIZADAS COMANDADAS POR LARANJAS?

  16. vamos comentar sim!!!! mais so por um milagre para essa picaretagen acabar . esse (trecho excluído pela moderação) q se instalou-se na prefeitura de campos- rj (trecho excluído pela moderação) e a populaçao se trocando por meia duzia de tijolo, vale leite , entre outros presente de troia q a nossa prefeita dar o resultado nao poderia ser diferente esse caos.

  17. o cidadão brasileiro, pobre ou rico, aqui em Campos ou lá em outro canto qualquer do BRASIL TAMBÉM TEM DIREITO A SAUDE AMPARADO PELA CONSTITUIÇÃO FEDERAL.

    Mas aqui em Campos, bem nesse lugarzinho rico, que a prefeita não pode ver ninguem sobrepor a ela, a princesa tem que aparecer sempre muito bem e suas ideias é o que importa, mesmo sendo para queimar pneus- ela pode-,

    NÃO TEM OTORRINOLARINGOLOGISTA EM HOSPITAL PÚBLICO NENHUM.

    Um cidadão campista com dor de ouvido peregrina em QUALQUER HOSPITAL OU POSTINHO DA PREFEITURA que otorrino é luxo, não em hospitalzinho algum.

    SÓ SOCIAL NOS PLANTADORES DE CANA.

    TENHO PROVAS.

    E me vem o ministerio público falar de greve de rodoviários, que estão nada mais no direito deles, buscando melhorias de salário da categoria.

    Vá pra capital fazer isso com os rodoviarios de lá.

  18. Essa (trecho excluído pela moderação) de municipio rico, onde a prefeita só se interessa pelo próprio umbigo, quando no calor da greve, ela manda fazer adesivos para colar em ônibus confiscado e tres dias depois faz reunião no Automóvel Clube se importando mais com sua imagem que com a população em si.

    VOU QUEIMAR PNEUS QUANDO NÃO ACHAR MÉDICOS PARA CONSULTAS E QUANDO AS CRECHES E ESCOLAS DEIXAREM ALUNOS SEM AULA.

    Desgoverno é pouco.
    É falta de vergonha, responsabilidade e cobrança por parte do Ministerio público e do povo de Campos.

  19. Aqui em Campos RJ tem empresa que não dá o vale transportes aos funcionários por causa da passagem R$1,00.
    Os funcionários são tratatos como boi fria porque tem que levar a comida de casa fria para comer no trabalho.Por isso para mim e importante essa passagem de R$1.00

  20. Essa (trecho excluído pela moderação) a muitos anos,vem brilhando em nossa constelaçao GOYTACA.E agora reluz,sobre a bandeira dos NINHOS,por sorte temos uma CORREGEDORIA.AQUARDEMOS….

Deixe uma resposta

Fechar Menu