Opiniões

Citado em depoimento da Lava Jato, Aécio tem inquérito arquivado por Janot

Presidente do PSDB, senador Aécio Neves
Presidente do PSDB, senador Aécio Neves

 

 

Por Débora Bergamasco

Brasília — A lista do procurador geral da República, Rodrigo Janot, enviada no início da noite desta terça-feira, 3, ao Supremo Tribunal Federal (STF) pede o arquivamento de uma investigação envolvendo o senador Aécio Neves (PSDB-MG).

O nome do tucano foi citado no depoimento do doleiro Alberto Yousseff, mas a Procuradoria entendeu que as informações reunidas sobre o presidente do PSDB não são suficientes para que ele seja investigado, por isso sugeriu ao ministro Teori Zavascki o arquivamento da denúncia. Ainda não se sabe o teor da citação envolvendo o tucano ou mesmo se ele recebeu propina.

A solicitação do procurador-geral corre sob sigilo de Justiça e ainda será analisada pelo ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no STF.

 

Publicado aqui, no estadao.com

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 8 comentários

  1. O PT tá mesmo ferrado. Nos governos de FHC, ( PSDB), o Procurador Geral, digo ” engavetador geral da República ” engavetava os processos que envolvia o governo de então, no governo do PT o Procurador Geral trata logo de inocentar um cacique do PSDB, dá pra entender isso?

  2. Da amigo!! a verdade é que a história do nosso pais desde seu nascimento, foi regado por corrupção, o que vc esperaria das gerações que viessem?

  3. Cara,quem tem…tem medo!O cara é muito forte e não tem papas na língua,então…deixa prá lá,é briga de cachorro grande!

  4. Sim, as Forças Armadas não devem interferir, o Brasil tem uma democracia em perfeito funcionamento e tudo deve ser resolvido por meios legais. Em vez de incomodar os militares, os cidadãos, quando se sentem oprimidos pelo Foro de São Paulo, podem usar dos seguintes meios democráticos de ação:
    a) Votar em eleições controladas pelo TSE petista, quer dizer: pelo Foro de São Paulo
    b) Apelar a tribunais controlados pelo STF petista, quer dizer: pelo Foro de São Paulo.
    c) Pedir socorro a deputados e senadores que preferem antes matar a própria mãe do que dizer “Foro de São Paulo”.
    Com todos esses meios à disposição, o povo tem de ser mesmo muito autoritário e fascista para preferir uma intervenção militar.

  5. É UMA PENA A OPORTUNIDADE QUE O PAÍS ESTEJA PERDENDO DE PASSAR A LIMPO AS DIVERSAS COISAS ERRADAS . DOA A QUEM DOER , ACHO QUE TODOS DEVERIAM SER RESPONSABILIZADOS PELOS SEUS ATOS . MAS O PAÍS QUE TEM UM JUDICIÁRIO PODRE DESSES NÃO PODE DAR EM NADA .

  6. EUA restringem empresários brazucas que negociam com governos, temendo bolivarianismo no Brasil

    Edição do Alerta Total – http://www.alertatotal.net

    O governo dos Estados Unidos da América intimou ontem brasileiros que têm empresas abertas na Flórida. A determinação é que só vai permitir a continuidade dos negócios se as empresas comprovarem que não fazem negócios, envolvendo corrupção, com o governo federal ou com “estatais” brasileiras. A ordem ameaça até retirar o Green Card (visto permanente) do empreendedor brazuca que não conseguir comprovar, através de documentos, contratos e extratos bancários, que está limpo e puro, em um prazo de 72 horas. A Águia aperta o cerco contra os corruptos tupiniquins…

    A medida de restrição norte-americana apertando o certo de fiscalização a empresários brasileiros que investem por lá é interpretada não só como um rigor anti-corrupção, mas principalmente como uma advertência de que os EUA enxergam o alto risco de uma “escalada bolivariana” no Brasil, parecida com a da Venezuela, da Bolívia e da Argentina. O Departamento de Justiça dos EUA, que acompanha ações judiciais movidas contra a Petrobras na Corte de Nova York, teme a eclosão de uma grave crise no Brasil, a partir do impasse institucional gerado pelos desdobramentos da Operação Lava Jato, que afetam a nossa economia: inflação sobe, dólar vai junto com os juros, e ontem até circulou o boato no mercado de que o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, jogaria a toalha.

    Os norte-americanos também viram um grave indício de como o “bolivarianismo” começa a se manifestar, concretamente, no Brasil. Não foi vista com bons olhos por colaboradores norte-americanos anti-corrupção a decisão unânime do Supremo Tribunal Federal em conceder perdão judicial ao ex-deputado José Genoíno, ilustre condenado no processo do mensalão, justamente no delicado momento em que o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao STF a abertura de 28 inquéritos para investigar 54 políticos com foro privilegiado, suspeitos de envolvimento no escândalo do “Petrolão”. A turma do Tio Sam lembra que, na Venezuela, na Argentina e na Bolívia, o primeiro passo revolucionário do governo foi influenciar decisões do judiciário, em uma clara quebra do equilíbrio entre os poderes, a fim de legitimar medidas de força ou para aliviar a barra de aliados com problemas na Justiça.

    Nem precisa ser norte-americano para constatar que a falta de sintonia entre o judiciário e os anseios da sociedade ficou patente no perdão que o STF deu a Genoíno. Depois de construir uma maioria no Supremo, graças à perigosa indicação política de ministros nomeados para a mais alta corte do País, o desgoverno Dilma, acuado com os perigosos desdobramentos do Petrolão, deu uma demonstração simbólica de que, com o tempo, mesmo os que forem eventualmente denunciados agora, para serem ou não condenados em data ainda incerta, podem ter uma esperança muito forte de que não ficarão muito tempo na cadeia – igualzinho a Genoíno e vários outros “mensaleiros”.

    Simbolicamente, a decisão do STF serviu de péssimo exemplo para aqueles réus da Lava Jato que negociam delação premiada com o juiz Sérgio Fernando Moro, da 13a Vara Federal em Curitiba. Agora, vários ilustres enrolados no Petrolão terão a chance de seguir o “conselho” dado pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para que não embarquem nos acordos de “colaboração premiada”, preferindo aguardar pelos acordos de leniência que o governo pretende incentivar, via Advocacia Geral da União, Controladoria Geral da União, e Tribunal de Contas da União, dando um drible no Ministério Público e no judiciário.

    Preso em 15 de novembro de 2013, Genoíno foi logo transferido para a prisão domiciliar, por alegados problemas de saúde. Em maio do ano passado, voltou para a prisão, onde permaneceu por apenas três meses. Em agosto, Genoino recebeu autorização do ministro Luis Roberto Barroso para cumprir o restante da pena em casa, pois já havia cumprido um sexto da pena total. Hoje, ele está em uma casa em um condomínio fechado de Brasília. No regime domiciliar, ele era obrigado a se recolher em casa à noite e nos finais de semana. Agora, oficialmente livre da pena, poderá circular livremente. Com certeza, vai rir muito da cara dos otários…

  7. COM CERTEZA AÉCIO SERÁ CANONIZADO.

Deixe uma resposta

Fechar Menu