Opiniões

“Hugo Chávez (e seu modelo) deve ter sido enterrado no gabinete dos Garotinho”

Diante da repercussão, inclusive neste blog (aqui), da sua postagem sobre os paralelos do economista Wilson Diniz, analista do jornal O Dia, da Campos dos Garotinho com a Venezuela de Hugo Chávez e Nicólas Maduro, o também economista Ranulfo Vidigal resolver dar sequência à instigante analogia do colega, publicando sua segunda parte aqui, na democracia irrefreável das redes sociais, que este “Opiniões” pede licença para mais uma vez republicar abaixo:

 

Chávez Garotinho

 

Modelo venezuelano dos Garotinhos (II)

• Continuando análise do Modelo Venezuelano dos Garotinhos, entrei no detalhe minucioso das contas da prefeitura no período de 2009 a 2013, analisando a evolução das receitas correntes, transferências correntes e despesas totais por função, centrando nas contas administração, saúde, educação, urbanismo, obras, meio ambiente e transportes.

• No panorama do período em análise, os números são mais estarrecedores quando somamos os valores acumulados de seis anos dos governos dos Garotinhos. Continuo insistindo que as políticas adotadas por eles, são teleguiadas pelo instinto e intuição sem nenhum critério dos manuais de finanças públicas e de sensatez de um governante que pensa no desenvolvimento de uma cidade, num contexto do Índice de Progresso Social desenvolvido por Michel Porter da Universidade Harvard, EUA.

• Recorrendo a Tony Blair, no livro, Minha Visão da Inglaterra, diz ele com relação a políticas de transferências de rendas para a população mais pobre: “temos que construir um sistema de assistência social de segunda geração, que dê às pessoas uma ajuda e não um prato de comida, mas um programa que represente um trampolim para as pessoas obterem o sucesso e não somente uma rede de segurança para servir de amortecimento para o fracasso”.

• No campo de políticas compensatórias de rendas, o modelo venezuelano dos Garotinhos eterniza os pobres num colchão para amortecer o fracasso, e não um sistema que resgate os menos favorecidos para coloca-los no mercado de trabalho. Na realidade os Garotinhos distribuem ‘esmolas sociais’ sem gerar oportunidades iguais para todos.

• Tony Blair vai mais longe quando cita o que é socialismo. Filosofa ele que Socialismo e o Trabalhismo, na prática, ocorrem quando os pais de uma criança coloca seu filho na escola e ele completa seu ciclo educacional e consegue uma vaga no mercado de trabalho competindo com os mais ricos. Neste campo, o modelo venezuelano dos Garotinhos é um ‘ holocausto’ de cidade destruída por guerras.

• Olhando as receitas e despesas correntes de Campos, o modelo venezuelano dos Garotinhos aniquila qualquer perspectiva que uma criança ao completar seu ciclo no Ensino Básico, no futuro consiga uma vaga no mercado de trabalho.

• No período de 2009 a 2013, entraram no cofre público da prefeitura, R$ 12.1 bilhões de reais. Só de transferências correntes foram R$ 10.3 bilhões de reais, onde 54% deste valor são recursos do petróleo. Eles não têm dimensão dos efeitos da ‘maldição do petróleo’ no futuro próximo comprometendo toda uma geração de adolescentes que tiveram oportunidade de oferecer uma educação de qualidade, sistemas de banda larga, computadores de última geração, treinamento dos professores com bons salários recompensados por desempenho e sistema de meritocracia. O modelo venezuelano dos Garotinhos é de cidades dos grotões do Nordeste.

• Os números das despesas são também estarrecedores. No mesmo período, os Garotinhos gastaram R$ 2.9 bilhões de reais na conta administração, ou seja, 25% do orçamento. Outros R$ 2.9 bilhões com saúde de péssima qualidade oferecida à população. Na conta de obras, urbanismo e meio ambiente R$ 2.6 bilhões e na EDUCAÇÃO APENAS 14% DO ORÇAMENTO, COM DESPESA DE R$ 1,5 BILHÃO.

• A política venezuelana dos Garotinhos é incomparável com qualquer cidade do mesmo porte e que não recebe royalties do petróleo.

• Hugo Chávez no seu modelo de distribuir recursos do petróleo deve ter sido enterrado na porta do gabinete dos Garotinhos e seu espírito em versão campista foi encarnado.

• Terminando, na conta transportes no período foram R$ 250 milhões, valores incomparáveis com outras cidades.

• ACORDEM CAMPISTAS…

• Volto amanhã continuando análise do modelo venezuelano dos Garotinhos. De Wilson Diniz, economista e analista político.

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Deixe uma resposta

Fechar Menu