Opiniões

“Houve uma vez um verão” nesta quarta no Cineclube Goitacá

Houve uma vez um verão 2

 

 

Como bem definiu o diretor de teatro e cinema Domingos Oliveira, ao completar 70 anos: “O tempo é um camundongo passando pela sala”. Já fazem cinco anos que escrevi aqui sobre “Houve uma vez um verão” (1971), de Robert Mulligan, meu filme de romance preferido. Às 19h30 desta quarta-feira, 24 de agosto, na sala 507 do edifício Medical Center, no cruzamento das ruas Conselheiro Otaviano  e 13 de Maio, esse clássico da sétima arte será exibido e depois debatido no Cineclube Goitacá.

Redigida há cinco anos e ora subescrita, confira abaixo a sinopse desse sensibilíssimo filme, seguido do seu trailer:

 

 

Houve uma vez um verão 1

 

 

Numa ilha, três adolescentes vivem o rito de passagem à idade adulta, durante o verão de 1942, com os EUA engajados na II Guerra (1939/45). Um deles, Hermie (Gary Grimes) se apaixona platonicamente por uma mulher mais velha, Dorothy (a belíssima Jennifer O’Neill, então com 23 anos), e busca se aproximar dela, após o marido deixar a ilha para prestar serviço militar. Segue-se então um jogo de sedução entre o garoto de 15 e a “velha” de vinte e poucos, consumado numa cumplicidade sem par entre melancolia e êxtase, com uma notícia chegada do continente.

Linda como Jennifer O’Neill é a trilha sonora do craque francês Michel Legrand, vencedora do Oscar de 1972, sobretudo a música tema, com sua melodia romântica e nostálgica, conhecida de ouvido mesmo por quem não viu o filme. Destaque também à fotografia em tons pastéis de Robert Sturtees, bem como ao sensível e por vezes hilário roteiro autobiográfico de Herman Raucher, o “Hermie” retratado nessa jóia de rara beleza do cinema. É da boca dele que ouvimos, na narração em off retrospectiva, sobre quando avistou pela primeira vez o seu primeiro amor:

— Nada desde aquele dia em que a vi, e ninguém que conheci depois, foi tão amedrontador e perturbador. Porque nenhuma pessoa que conheci a vida inteira fez tanto para me fazer sentir mais seguro, mais inseguro, mais importante e menos significativo.

Nem para Hermie e, talvez, nem para nós…

 

 

 

 

Atualização às 13h25 de 24/08: Confira aqui a matéria publicada na Folha Dois de hoje, da jornalista Paula Vigneron, sobre a apresentação de “Houve uma vez um verão”, daqui a meia dúzia de horas, no Cineclube Goitacá.

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem um comentário

  1. Sem falar no detalhe que a música é do magistral Michel Legrand! Uma grande pedida esta sessão de hoje!

Deixe uma resposta

Fechar Menu