O que uniu a semana do STF, Sérgio Moro e Rafael Diniz?

 

Pompeia Sula, ex-esposa de Júlio César
Pompeia Sula, ex-esposa de Júlio César

 

 

É preciso parecer

Por Aluysio Abreu Barbosa

 

Roma, 62 a.C. (antes de Cristo). Júlio César (100/44 a.C.) fora recentemente eleito como pontífice máximo (pontifex maximus), sumo-sacerdote da religião estatal e pagã dos antigos romanos. Sua esposa, Pompeia Sula, realizou um festival em homenagem a “Boa Deusa” (Bona Dea) em sua casa, no qual homem nenhum poderia participar. Porém, o jovem Públio Clódio Pulcro conseguiu entrar, disfarçado de mulher, aparentemente com o objetivo de seduzir a anfitriã. Pego, o intruso foi processado por sacrilégio. César não apresentou nenhuma evidência no julgamento contra Clódio, que acabou inocentado. Mesmo assim, se divorciou de Pompeia, afirmando: “minha esposa não deve estar nem sob suspeita”.

Brasil, 2016 d.C. (depois de Cristo). No domingo, 4 de dezembro, milhares de pessoas foram às ruas em 82 cidades do país. Vestidas de verde e amarelo, gritaram “Fora Renan!” e protestaram pacificamente em apoio à operação Lava Jato e ao poder Judiciário, contra o que entenderam ter sido uma reação parlamentar contra os juízes e promotores do país, na corrupção legislativa das medidas contra a corrupção propostas pelo Ministério Público Federal (MPF).

A resposta pareceu ter sido dada de maneira imediata, quando no dia seguinte (05) o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello deu uma decisão liminar, acolhendo o pedido do partido Rede Sustentabilidade, pela determinação constitucional que proíbe réus em processos de ocuparem a linha da sucessão à presidência da República — caso do presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB/AL). Não havia novidade, pois pelo mesmo princípio constitucional Eduardo Cunha (PMDB/RJ) já fora afastado da presidência da Câmara Federal, antes de ter o mandato cassado, ser preso e conduzido à carceragem da Polícia Federal (PF) de Curitiba.

Renan, no entanto, simplesmente se recusou a ser oficiado do seu afastamento pelo oficial de justiça. O descumprimento acintoso da determinação judicial ganhou caráter institucional, quando na terça (06) a Mesa Diretora do Senado decidiu que a decisão liminar de Marco Aurélio simplesmente não seria cumprida. A alegação é de que se esperaria o julgamento do mérito da questão pelo plenário do STF. Mais ou menos como o ladrão que, condenado monocraticamente pelo juiz de primeira instância, dissesse que só aceitaria ser preso após o julgamento do seu recurso pelo plenário do TJ (Tribunal de Justiça).

E, quando todos esperavam que o STF fosse rugir como um leão, miou feito gatinho angorá. Na quarta-feira (07), por 6 votos a 3, o Supremo, cuja função é resguardar a Constituição, resolveu reescrevê-la: Renan poderia permanecer presidente do Senado, a não ser juízo contrário de seus pares que já o tinham apoiado, mas estava afastado da sucessão à presidência da República. Também não era novidade, posto que o então presidente do STF Ricardo Lewandowski, em conluio com Renan, havia decido em agosto manter os direitos da presidente cassada Dilma Rousseff (PT), também a despeito da Constituição.

Para completar a quarta-feira na qual o Judiciário foi frontalmente de encontro aos cidadãos que saíram às ruas em sua defesa, o juiz federal Sérgio Moro foi fotografado rindo e conversando ao pé do ouvido com o senador Aécio Neves (PSDB/MG), cujo nome apareceu como suposto beneficiário de doações ilegais da Odebrecht na operação Lava Jato. A foto foi tirada no evento “Brasileiros do Ano de 2016”, promovido pela revista “Isto É”.

Pelo menos aos campistas, as surpresas continuaram. Na sessão de quinta-feira (08) da Câmara Municipal, o vereador e prefeito eleito Rafael Diniz (PPS) usou a tribuna para se colocar oficialmente contra o funcionamento do Uber em Campos, serviço de transporte que tem colhido majoritariamente elogios, na comparação com os táxis, onde é implantado. Não por outro motivo, Rafael foi severamente criticado na mesma democracia irrefreável das redes sociais que foi fundamental à sua acachapante vitória sobre o garotismo, ainda no primeiro turno das eleições de 2 de outubro, em todas as sete Zonas Eleitorais do município.

Tanto no caso do STF, quanto do prefeito eleito de Campos, pesaram contas de custo/benefício aparentemente equivocadas à maioria. Na decisão que manteve o alagoano à frente do Senado, em nome de uma “governabilidade” do país, atuaram nos bastidores não só dois ex-presidentes da República, José Sarney (PMDB) e Fernando Henrique Cardoso (PSDB), como quem assumiria a Casa Alta, caso Renan fosse afastado: o senador Jorge Viana (PT/AC). Em outras palavras: PMDB, PSDB, PT e o Supremo preferiram ignorar a Constituição e apostar na tese de que, ruim com Renan, pior, pelo menos por ora, sem ele.

Já na posição de Rafael contra o Uber, ele apoiou o projeto que veta o uso do aplicativo em Campos, elaborado pelo vereador de oposição (e futuro governista) José Carlos. Ele é filiado ao PSDC do deputado estadual João Peixoto, que entrou na política a partir da presidência do Sindicato dos Taxistas. Como estes são 700 em Campos, a contabilidade contra o Uber gira em torno de 3 mil eleitores, calculados entre taxistas e familiares.

Na dúvida de como pensam os demais 356 mil eleitores do município, também entraram na conta os acordos visando à eleição da Mesa Diretora da Câmara, que se anuncia difícil e, se vencida por Anthony Garotinho (PR), pode fazer com que Rafael tenha uma vitória de Pirro (317/272 a.C.), general grego que, mesmo vitorioso em batalha, acabou não levando a melhor sobre os antigos romanos. Ademais, para os edis e taxistas que hoje falam grosso contra o Uber, resta saber onde se esconde a macheza diante das lotadas dominadas pelas milícias, que atuam livremente na cidade.

Nesta semana ruim, encerrada ontem com a denúncia de que a Odebrecht pagou R$ 9,5 milhões em propina ao casal Garotinho, para ganhar as licitações do “Morar Feliz”, no valor total de mais de R$ 1 bilhão, talvez nada tenha personificado a desconfiança quanto a foto de Moro com Aécio. Mesmo que possa ser fato menos sólido que os episódios do STF com Renan e de Rafael, com o Uber, sobretudo quando se lembra da foto do mesmo Aécio, em outro sorriso conjunto, no Senado, ao lado (aqui) de Lewandowski e Dilma, um dia antes desta ser cassada.

Por fiações diferentes, o que conecta os três casos da semana ao mesmo sinal amarelo aceso é melhor resumido na frase cunhada a partir do exemplo de Pompeia: “À mulher de César não basta ser honesta, é preciso parecer”.

 

Publicado hoje (11) na Folha da Manhã

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 33 comentários

  1. carlinhos j.Carioca

    Otimo texto! Sabemos q a situação do Rafael será difícil na Gestão da nossa cidade(q agora será nossa mesmo),devido as condições q ELE irá pegar.Porém,teremos um cara com uma mente sadia,com caráter e acima de tudo um cidadão e verdadeiro campista.Nasceu,foi muito bem criado,com formação escolar superior(afinal na sua familia todos estudaram e trabalharam apesar de ter um avô pai e avô politico),de formas q esperamos muito dele,principalmente pelo seu caráter.

    1. Aluysio

      Caro Carlinhos,

      Endosso seu juízo sobre o caráter do prefeito eleito e o quadro de caos que ele herdará do governo Rosinha.

      Abç e grato pela generosidade!

      Aluysio

  2. Renata

    Não acho que isso tenha denegrido a imagem de Rafael.

    1. Aluysio

      Cara Renata,

      Não diria denegrir. Mas, como dito no texto, poderia servir para enxergar a luz amarela. Até pelas decisões muito mais difíceis que virão pela frente.

      Abç e grato pela chance do reforço!

      Aluysio

  3. cesar peixoto

    A cidade é nossa sim,do mesmo jeito que o petroleo é nosso.E pagamos o preço mais caro do mundo.

  4. Edimar

    Parabéns ao Rafael Diniz, por sua coragem intrépida, em subir a tribuna da Câmara Municipal e, defender aquilo que acreditas. Mesmo sabendo que desagradaria grande parcela da população campista.

    1. Aluysio

      Caro Edimar,

      Com todo o respeito, parabenizar um político recentemente eleito por “grande parcela da população campista” pela “coragem intrépida” de desagradar esta mesma “grande parcela da população campista”, pode não ser conselho dos mais sábios.

      Abç e grato pela chance da ressalva!

      Aluysio

  5. Savio

    Eu não teria uma única vírgula para acrescentar a este texto, o mesmo está perfeito.
    Pode ser que o nosso novo Prefeito esteja ávido para mostrar serviço, pode ser, e é provável que tenha sido, que adotou uma atitude impensada, embora o açodamento quase sempre conduz ao pior dos resultados!

    É melhor que ele analise que estamos num período de crise geral no país, e Campos dos Goytacazes está em plena “pane seca”, sem instrumentos de navegação e com uma torre incomunicável, seus “operadores” gozam suas felicidades particulares após 8 anos mamando na teta do desgoverno irresponsável.

    É necessário que o novo Prefeito se lembre que deve sempre atender ao desejo da maioria, caso contrário se torna novamente candidato mas ao nefasto posto de “Comandante”, que nós, eleitores campistas, não queremos nunca mais!

    1. Aluysio

      Caro Savio,

      Também não tenho nenhuma vírgula a acrescentar aos dois primeiros parágrafos do seu comentário. Mas, com todo o respeito, acho o terceiro exagerado.

      Abç e grato pela chance do debate!

      Aluysio

  6. Elton Tavares

    Quanto ao STF no caso Renan, é só lembrar que Luis Inácio falou, Luis Inácio avisou: “Temos um STF acovardado”
    Quanto ao Juizeco Moro, não é de hoje que é denunciado como instrumento da oposição para golpear a democracia.
    Quanto aos Garotinho, já era esperado seus nomes envolvidos em denúncias desse tipo.
    Quanto ao prefeito eleito, imagino estar buscando apoios para a governabilidade, e isso exige postura as vezes obtusa. Espero que consiga sucesso na empreitada sem comprometer sua integridade.

    1. Aluysio

      Caro Elton,

      Quanto ao que “Luiz Inácio falou, Luiz Inácio avisou”, bom lembrar que só soubemos da sua opinião de um “STF acovardado” porque ele teve essa conversa grampeada e divulgada pela Lava Jato, sob comando de Sérgio Moro. Tanto ele, quanto o STF (pelo menos antes da decisão inconstitucional para beneficiar Renan), quanto Rafael, representam esperança à maioria. E por isso mesmo têm que estar mais atentos do que nós, meros mortais, aos reflexos dos seus atos.

      Abç e grato pela chance do debate!

      Aluysio

      P.S. Concordamos em gênero, número e grau qt aos Garotinho.

  7. Samuel

    Fico pensando que solução os comentaristas teriam pra dar se prefeito eleito fossem….Em política, se agrada uns e desagrada outros. Nem Jesus agradou a todos, embora devessem todos ficar satisfeitos…Parabéns prefeito eleito!!!.

    1. Aluysio

      Caro Samuel,

      Uma das coisas que deveriam ter sido sepultadas pela vitória acachapante do prefeito eleito, são essas infelizes analogias da política goitacá com Jesus, indesejadas igualmente por crentes e laicos responsáveis.

      Abç e grato pela chance da lembrança!

      Aluysio

  8. j claudio

    Caros leitores,boa tarde !

    Eu sempre falei,prefeitaval bom , é aquele que cuida com responsabilidade do dinheiro publico,e que seja caprichoso,por onde passar ao ver coisas erradas,ele deve pedir o favor de mandar consertar.assim o politico ganha credibilidade,e os beneficiarios,que é a população ficam satisfeitas !

    Está é a minha opinião !
    Abraços,amigos e amigas !

    1. Aluysio

      Caro Lucas,

      Entre os vivos, tenho Gaspari na conta de maior jornalista brasileiro. Ele usou o rei Pirro numa das suas famosas missivas “psicografadas” eletronicamete para Renan, advertindo que o Supremo pode estar esperando o senador na curva; enquanto eu usei o general grego numa analogia de alerta a Rafael, caso perdesse a Mesa Diretora da Câmara. Ressalvado que não há contra Rafael ou seu candidato a presidente da Câmara, vereador Marcão (Rede), a torcida da imensa maioria pela cassação de Renan, me orgulha a referência comum entre os textos publicados no mesmo dia.

      Abç e grato pela lembrança!

      Aluysio

  9. cesar peixoto

    Lula foi um dos presidentes que teve o maior índice de aprovação.Olha a situação dele hoje.

    1. Aluysio

      Caro Cesar,

      Pertinente lembrança. Só que o caso de Lula não foi desatenção ao acender do sinal amarelo, mas ter cruzado o vermelho várias vezes. E achar que iria ficar tudo por isso mesmo. Réu, por enquanto, em quatro ações, acompanhemos atentos às consequências.

      Abç e grato pela chance da digressão!

      Aluysio

  10. Robson

    Primeiramente, agradeço ao jornal por promover esse tipo de debate que expõe opiniões diversas dos leitores.
    Quanto ao nosso prefeito, creio que essa foi uma ação de sacrifício momentâneo de sua popularidade no intuito de conseguir apoio em seu governo, já que ao meu ver, a batalha contra o UBER até o momento, tem se demonstrado uma batalha perdida.

    Recado aos amigos taxistas: Saiam da zona de conforto e aproveitem a oportunidade para inovar. Quem não recebe bem as mudanças, sempre vai ficar para trás em mundo competitivo.

    1. Aluysio

      Caro Robson,

      O blog e o jornal que o hospeda é que agradecem pelo debate que vcs, leitores, ensejam com seus comentários.

      Qt ao prefeito eleito e atual vereador, concordo que ele fez uma análise de custo/benefício, pelos motivos expostos no artigo. Só não sei se a avaliação foi correta, pois a Câmara tem, sim, o poder de decidir se o Uber entrará ou não em Campos.

      Endosso seu conselho aos taxistas. Em gênero, número e grau.

      Abç e grato pela chance do debate!

      Aluysio

  11. Leandro

    Torço mesmo para que o Rafael faça um bom governo, até mesmo porque confiei a ele o meu insignificante voto. Mais torço muito mais para que esta cidade possa encontrar seu rumo para um crescimento sustentável.

    O que observei nos últimos anos foi uma briga intensa pura e unicamente pelo poder, onde o feudo foi colocado como único a sofrer.

    Espero que o novo prefeito governe com imparcialidade e que realmente seja o que se propõe. porque ninguém merece mais nem este governo que se finda nem os de seus antecessores, sem citar nomes!

    1. Aluysio

      Caro Leandro,

      Nem seu voto, nem nenhum dos 151.462 votos que Rafael recebeu, são insignificantes. Como não é a torcida.

      Modestamente, assino embaixo de todo o resto.

      Abç e grato pela chance da ressalva e da concordância!

      Aluysio

  12. Edimar

    Prezado Aluysio,
    Apenas ressaltei sua coragem. Longe de mim aconselhar quem quer sejas.
    Se atitude foi a mais acerta ou não? Entendo ser essa uma outra discussão.
    Grato ao espaço democrático.
    Abraço!

    1. Aluysio

      Caro Edimar,

      A coragem dialética de Rafael foi bem demonstrada nos debates da campanha, sobretudo o último, da InterTV. Mas se fosse apenas por isso, talvez o eleito fosse Rogério Matoso, considerado o mais impetuoso dos candidatos.

      Sem coragem não se faz um líder. Nem só com ela. Creio que é na sua indagação, repetida após cada ato do novo prefeito, que habitará a resposta. Como, de resto, acontece com todos nós.

      Abç e obrigado a vc, pela participação!

      Aluysio

  13. j claudio

    Os trabalhadores, é o braço direito do brasil,politicos respeitem o dinheiro publico !

    Sejam honestos !

  14. jomares

    Ai que dor kkkkkkk

    1. Aluysio

      Caro Jomares,

      Os R$ 9,5 milhões de propina da Odebreht ao casal Garotinho estão doendo?

      Abç e grato pela chance da indagação!

      Aluysio

  15. Henrique

    Rafael vá herda um prefeitura falida herança do chefe da quadrilha sua esposa dona rosa mais eu avisei o Avião preto da federal está chegando o chefe da quadrilha e seus aliados secretário vão pra (trecho excluído pela moderação)

  16. Edimar

    A obviedade em determinado contexto, oculta reflexos de outros sentidos.

  17. Carla Andrade

    Em relação ao Uber: a discusão sobre transporte vai longe. Particularmente, acho muito cedo para proibir o serviço numa cidade com uma frota de ônibus deficiente que atende a necessidade da população de forma ainda precária,táxis com valores abusivos e as vans que não oferecem nenhuma segurança. O problema vai muito além do Uber.

    1. Aluysio

      Cara Carla,

      Concordo integralmente: é mt cedo para proibir o Uber na cidade, sobretudo a partir do lobby mal disfarçado dos taxistas na Câmara Municipal. E, por certo, a discussão do transporte público de Campos é muito mais complexa.

      Abç e grato pela chance do endosso!

      Aluysio

  18. Arnaldo Garcia

    Texto perfeito. Parabéns!

    1. Aluysio

      Caro Arnaldo,

      Abç e grato pela generosidade!

      Aluysio

Deixe um comentário