Opiniões

Anderson, Álvaro, Código Tributário, Psol e luta de classes em Campos

 

Anderson de Matos, Álvaro Oliveira e Psol (Montagem: Joseli Mathias)

 

Continua a disputa política por conta da proposta do novo Código Tributário pelo governo Wladimir Garotinho (PSD), engavetado sem data para votação (confira aqui) na sessão do dia 16. Hoje, quem divulgou um vídeo crítico ao Código foi o edil Anderson de Matos (Republicanos). E foi respondido pelo líder governista, vereador Álvaro Oliveira (PSD).

— Eu quero falar sobre a construção civil, caso seja aprovada pela Câmara de Vereadores a alteração do Código Tributário, proposta pelo gabinete do prefeito. Eu destaquei 13 dos 30 itens que sofrem reajuste de até 500% (…) Desmembramento e remembramento de imóvel por metro quadrado, era 1% de uma Ufica (Unidade Fiscal do Município, hoje R$ 134,03) e passa a ser 6% de uma Ufica, 500% de reajuste. Nós, repito, estamos falando da taxa de licença para execução de obras particulares, estamos falando da construção civil — destacou Anderson de Matos.

— Não quero personalizar discussões. Mas é bom que se diga que há, sim, preferência de pessoas ou grupos por outros grupos. Que, direta ou indiretamente, foram secretários, vereadores, deram sustentação ao governo passado, que destruiu a nossa cidade. Essas pessoas estão defendendo os grupos que os apoiaram, os grupos que querem manter a cidade só para ricos, esquecendo que temos pessoas passando fome. Nossa luta é para sanar as contas e trazer o mais humilde para dentro do orçamento do município — defendeu Álvaro Oliveira.

Ontem (confira aqui), o vereador Raphael Thuin (PTB) já havia postado outro vídeo nas redes sociais, para protestar contra a exoneração de pessoas ligadas a ele na Fundação Municipal dos Esportes (FME), após sua posição contrária ao Código. E foi respondido pelo prefeito próprio prefeito Wladimir, que ressaltou sua necessidade de aumentar arrecadação própria para firmar um Termo de Ajustamento de Gestão (TAG) com o Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Hoje, além dos questionamentos ao Código Tributário, o vereador Anderson de Matos, que também é pastor da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd), se envolveu em outra polêmica. No dia 4 de maio, ele subiu na tribuna da Câmara Municipal para atacar militantes do Psol que atuam na luta das 700 famílias de baixa renda que ocuparam o conjunto habitacional Novo Horizonte, no Pq. Aeroporto. Hoje, como o Blog do Edmundo Siqueira registrou (confira aqui), o Psol de Campos emitiu nota repudiando as declarações do edil.

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Deixe uma resposta

Fechar Menu