Opiniões

Liderança isolada de Wladimir e Caio entre pesquisas, Justiça e debates

 

Wlaidmir Garotinho e Caio Vianna com os percentuais de intenções de voto, segundo a pesquisa Paraná, da cidade que querem governar (Montagem: Elaibe de Souza, o Cássio Jr.)

A exatos 15 dias das urnas de 15 de novembro, Wladimir Garotinho (PSD) e Caio Vianna (PDT) polarizam a eleição a prefeito de Campos. Havendo segundo turno, tudo até aqui parece indicar que, salvo algo fora da curva, os herdeiros dos clãs Garotinho e Vianna o disputarão em 29 de novembro. A liderança de Wladimir e Caio não era novidade a quem conhece os bastidores da política goitacá e os analisa sem paixão. Assim como a terceira posição de Dr. Bruno Calil (SD), tudo isso foi adiantado nos dois últimos sábados (confira aqui e aqui), neste mesmo espaço de análise da semana eleitoral. E foi confirmado pela divulgação na última quinta (29) de duas pesquisas registradas: a do instituto de âmbito nacional Paraná (confira aqui) e outra, do menos conhecido Virtu.

No final da tarde de ontem, algo fora da curva aconteceu. E absolutamente inesperado, dado o deferimento em primeira instância (confira aqui) e, depois, do paracer favorável da Procuradoria Regional Eleitoral (confira aqui). Em ação da coligação de Bruno, por desincompatibilização da função de diretor do Hospital Plantadores de Cana (HPC) fora do prazo, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) indeferiu (confira aqui) por 5 votos a 1 a candidatura de Frederico Paes (MDB) a vice na chapa de Wladimir. Sem opção de troca, o único recurso agora é o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Seu ex-ministro, o advogado Henrique Neves defende Frederico, considerado o vice mais forte entre as 11 candidaturas.

 

Vice de Wladimir, o empresário Frederico Paes

 

Noves fora os próximos capítulos na novela jurídica em que se converteu há anos a política de Campos, só havia duas dúvidas reais antes das duas pesquisas reveladas na quinta. A primeira: qual é a diferença de Wladimir para Caio e deste, para Bruno? A segunda: qual é o percentual de intenções dos demais candidatos? Afinal não é preciso conhecer muito de eleição para saber que, com sua pulverização em 11 candidatos a prefeito, o segundo turno será determinado não só pela diferença entre os dois líderes, como pela votação dos outros nove. Nisto, à parte a concordância sobre a liderança de Wladimir e Caio, as diferenças nos números das duas pesquisas ao primeiro turno, e em suas simulações de segundo turno, levantaram dúvidas. Que foram reforçadas pelo fato de a Paraná ter como contratante o próprio instituto, o que levanta suspeitas. E a Virtu ter como contratante o jornalista Sérgio Cunha, ex-secretário municipal do Comunicação do governo Rosinha Garotinho (hoje, Pros).

(Infográfico: Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

Registrada no TSE sob o nº 01718-2020, a Paraná ouviu 800 pessoas entre 26 a 28 de outubro. A 15 dias do pleito, a consulta estimulada é a que conta. Nela, com margem de erro de 3,5 pontos percentuais para mais ou menos, a pesquisa revelou Wladimir com 28,1% das intenções de voto; Caio, com 23,5%; Bruno, com 7,2%; Rafael Diniz (Cidadania), com 6,6%; Professora Natália (Psol), com 3,4%; Odisséia (PT), com 3,0%, Tadeu Tô Contigo (Republicanos), com 2,9%; Roberto Henriques (PCdoB), com 1,1%; Cláudio Rangel da Boa Viagem (PMN), com 0,8%; Beethoven (PSDB, que foi substituído pela candidatura da Dra. Carla Waleska), com 0,4%; e Jonathan Paes (PMB), com 0,1%. Registrada no TSE sob nº RJ-09073/2020, a Virtu ouviu 600 pessoas entre 24 a 26 de outubro. E, com margem de erro de 4 pontos para mais ou menos, sua estimulada deu Wladimir com 34%; Caio, com 24%; Bruno, com 6%; Rafael, com 2%; Natália, Odisséia e Tadeu com 1% cada; com os demais abaixo disso.

Nas simulações de segundo turno, a Paraná indicou a vitória final de Caio, com 37,6% a 32,9% sobre Wladimir. Que, por sua vez, apareceu batendo o pedetista na Virtu, por 42% a 32% em 29 de novembro. Mais que as intenções de voto, a rejeição é considerada o melhor índice para determinar as chances de crescimento de quem for ao segundo turno. Mais transparente, a Paraná disponibilizou em seu site a íntegra da pesquisa, na qual Wladimir tem 29,3% de rejeição, abaixo apenas dos 59,5% de Rafael no índice negativo, no qual Caio teve 12,9%. Já o portal da Fatore, empresa do contratante da Virtu, não fez o mesmo. Entre os vários dados sonegados da pesquisa, não divulgou nenhum número de rejeição de nenhum candidato. E se limitou a dizer (confira aqui): “O prefeito Rafael Diniz confirma viés de rejeição e má avaliação de sua gestão”.

 

(Infográfico: Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

Considerado certo pela Paraná, o segundo turno foi posto em questão pela Virtu. E nisto contribuiu outra distinção fundamental entre as duas pesquisas. Além da diferença entre Wladimir de Caio — 4,6 pontos na Paraná, que cresceram a 10 pontos na Virtu —, todos os outros candidatos caíram nas intenções de votos da segunda pesquisa: Bruno, de 7,2% a 6%; Rafael, de 6,6% a 2%; Natália, de 3,4% a 1%; Odisséia, de 3,0% a 1%; Tadeu, de 2,9% a 1%; Henriques de 1,1% a menos de 1%.

 

Na comparação da Paraná a Virtu, só Wladimir cresceu nas intenções de voto. Caio empacou, enquanto Bruno, Rafael, Natália, Odisséia, Tadeu e Henriques caíram (Infográfico: Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

O aparente pior desempenho de Bruno, Natália, Odisséia e Tadeu talvez tenha explicação: eles não foram identificados com seus nomes oficiais de campanha, na consulta induzida da Virtu. Nela, Dr. Bruno Calil foi apresentado como Bruno Calil; Professora Natália, como Natália Soares; Odisséia, como Odisséia Carvalho; e Tadeu Tô Contigo, como Alexandre Tadeu. Já Beethoven, que desistiria da sua candidatura no dia 26, cedendo lugar a Waleska, sequer entrou na consulta concluída naquele mesmo dia, com apenas 10 prefeitáveis. Qualquer um pode conferir (faça-o aqui) na apresentação dos questionários da pesquisa no site do TSE. O contratante da Virtu foi contactado para esclarecer dúvidas sobre a metodologia, mas preferiu não falar.

 

No questionário da consulta induzida da Virtu, disponível no site do TSE, Tadeu Tõ Contigo foi apresentado como Alexandre Tadeu; Dr. Bruno Calil, como Bruno Calil; Cláudio Rangel da Boa Morte como Cláudio Rangel; Professora Natália como Natália Soares; e Odisséia como Odisséia Carvalho. Bethoven, nem qualquer nome do PSDB, foi apresentado como opção ao eleitor (Reprodução do TSE)

 

Além de mais correta na apresentação dos candidatos e seus nomes, mais transparente na apresentação integral dos seus números, ser um instituto bem mais conhecido no Brasil, ter ouvido mais pessoas em Campos, com margem de erro menor, em período mais recente no tempo, a Paraná teve outra clara vantagem sobre a “concorrente”. Sua pesquisa foi divulgada no dia 29, assim que podia ser pela legislação. Mesmo podendo ser divulgada desde o dia 27, a pesquisa Virtu só se deu a conhecer horas depois da do outro instituto, revelando intenção de “resposta”. Os questionamentos feitos pelo TSE à Paraná, sobre apresentação por bairros dos dados da corrida eleitoral a prefeito, foram respondidos ontem a contento. No estilo agressivo do clã Bacellar que o apoia, Bruno fez outro questionamento (confira aqui): “a pesquisa (Paraná) é divulgada por um site que possui publicidade da Prefeitura de Niterói, onde o prefeito já declarou apoio a um candidato a prefeito de Campos”. No caso, Caio.

 

Bruno e Natália, revelações até aqui da eleição (Montagem: Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

É o mesmo estilo agressivo que levou ao questionamento na Justiça Eleitoral, em ação coordenada pelo deputado estadual Rodrigo Bacellar (SD), que conseguiu ontem uma vitória parcial no TRE, por 5 a 1, no indeferimento da candidatura de Frederico, vice de Wladimir, na tentativa de comprometer toda a chapa. Como há consistente jurisprudência em contrário (confira aqui) firmada no TSE, caberá a este a decisão final. No voto, se as pesquisas estiverem corretas, a não ser que exista uma campanha capaz de conquistar mais de 3 mil eleitores por dia em Campos, nestas duas últimas semanas que ainda nos separam das urnas, a liderança de Wladimir e Caio parece matematicamente segura. Consigam ou não vencer essa considerável desvantagem, candidatos pela primeira vez, Bruno e Natália já surgem como as revelações da disputa.

 

Debate do Fidesc, com transmissão ao vivo da Folha FM 98,3 e PlenaTV, neste dia 5 (Arte: IFF e Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

Enquanto isso, nesta penúltima semana antes do pleito goitacá, na terça (03) a eleição a presidente dos EUA prenderá a atenção do mundo, que terá seus rumos (confira aqui) definidos por ela, em apuração que pode se prolongar. Na quinta (05), a partir das 20h, será a vez do debate (confira aqui) do Fórum Institucional de Dirigentes do Ensino Superior de Campos (Fidesc). Terá transmissão ao vivo pela Folha FM 98,3, em rádio e streaming no Facebook, e pela PlenaTV nos canais 181 e 406 (em HD) na NET, canal 3 na VerTV, canal 24 na Blue e canal 24 na SFnet. Dessa vez, diferente do que aconteceu no confuso debate da Carjopa, no último dia 26, espera-se que todos os 11 candidatos a governar Campos estejam presentes. Sobretudo os três que lideram a corrida.

 

Publicado hoje (31) na Folha da Manhã

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem um comentário

  1. Eu acredito na justiça divina, porque a justiça aqui da terra não dar mais para acreditar, juntos somos mais forte Frederico.

Deixe uma resposta

Fechar Menu