Clarissa a senadora e Garotinho a federal no tabuleiro

 

Anthony e Clarissa Garotinho (Montagem: Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

 

Clarissa a senadora e Garotinho a federal

A novela dos Garotinho para outubro parece mais perto do fim. Clarissa Garotinho (União) oficializou ontem sua pré-candidatura a senadora. E abre a vaga em que disputaria a reeleição como deputada federal para o pai, o ex-governador Anthony Garotinho. A quem o União não cedeu a vaga para que concorresse mais uma vez ao Governo do Estado do Rio. Na semana passada, o blog Opiniões, hospedado no Folha1, e esta coluna levantaram a possibilidade de Garotinho concorrer a deputado estadual. Mas, até ontem (19), o mais indicado é que ele, se tiver condições jurídicas de se candidatar, deve mesmo concorrer a deputado federal.

 

Pelas pesquisas

A oficialização da pré-candidatura de Clarissa a senadora, na tarde de ontem, ao lado do pai, é o melhor indicativo de que este deve disputar um novo mandato na Câmara Federal. Onde Garotinho esteve de 2011 a 2014. Na verdade, Clarissa vai para o sacrifício. Na última pesquisa eleitoral no Estado do Rio, a Genial/Quest feita entre 8 e 11 de julho, ela apareceu em terceiro lugar na corrida ao Senado. Com 9% das intenções de voto na pesquisa induzida, ela veio atrás de Alessandro Molon (PSB), com 11%; e de Romário (PL), com 32%. A pesquisa também mostrou a impossibilidade de Garotinho, com 70% de rejeição, se eleger governador.

 

Clarissa sem opções

Para deputado federal, como para estadual, Garotinho dispensa pesquisas para se reconhecer suas grandes chances de se eleger. Sem a mesma densidade eleitoral do pai, Clarissa teria a opção de se candidatar a deputada estadual. Mas, ontem a 75 dias das urnas de 2 de outubro e com outras pré-candidaturas do grupo à Alerj já lançadas, ela preferiu não correr riscos com uma divisão de votos irreversível. E se candidatar ao Senado, num pleito ainda mais difícil, em que só um candidato será eleito. Por sua vez, embora ainda não tenha oficializado sua pré-candidatura a deputado federal, Garotinho já tem uma meta: fazer mais de 100 mil votos.

 

Opções de Garotinho

Segundo nota da assessoria de Garotinho e Clarissa, que confirmou a pré-candidatura dela a senadora antecipada pela Folha, o ex-governador “decidirá até a próxima sexta (22) se será candidato a deputado federal, estadual ou a nenhum cargo”. Se Garotinho fosse se candidatar a estadual, Clarissa não teria aberto mão da sua vaga natural à reeleição na Câmara Federal. Sobram ao pai duas opções: a deputado federal ou a nenhum cargo. A última só deve se dar se ele não tiver condições jurídicas de se lançar. Se tiver, virá a federal. Eleito, teria também mais instrumentos para tentar enquadrar o governo do filho Wladimir (sem partido) em Campos.

 

Ministros do STF Alexandre de Moares e Ricardo Lewandowski negaram pedido de Garotinho (Montagem: Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

Suspense até 5 de agosto

A reforçar a impossibilidade jurídica de poder se candidatar em outubro, ontem Garotinho teve negado mais uma vez, no Supremo Tribunal Federal (STF), seu pedido para suspender os efeitos da sua condenação em segunda instância pela Chequinho. Depois de negado pelo ministro do STF Alexandre de Moraes, ontem foi novamente negado pelo ministro Ricardo Lewandowski. E, se até Lewandowski negou, o sinal preocupa. A decisão final deve ficar para 5 de agosto, quando termina o prazo do julgamento da Chequinho na segunda turma do STF. Cujo placar parcial pela nulidade das provas está em 3 a 2 a favor de Garotinho.

 

Sem Garotinho e Clarissa a estadual, Bruno Dauaire deve disputar com Rodrigo Bacellar para saber quem será mais votado em Campos (Montagem: Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

Bruno beneficiado

Sem Garotinho ou Clarissa para disputar os mesmos votos à Alerj, dentro do mesmo grupo político, o principal beneficiado é o deputado estadual Bruno Dauaire (União), que tentará seu terceiro mandato. Ele agora poderá ter que disputar votos com outra candidatura a deputado estadual do grupo, ou do vereador Juninho Virgílio (União), ou do ex-prefeito de São Fidélis David Loureiro (União). Assim como a dos vereadores aliados Thiago Rangel (Podemos) e Pastor Marcos Elias (PSC), também pré-candidatos à Alerj. Candidato de Wladimir, Bruno terá uma disputa particular com o deputado Rodrigo Bacellar (PL) pela maior votação em Campos.

 

João Monteiro Pessôa

Luz apagada

Morreu por volta da 0h de ontem, com apenas 43 anos, o historiador João Monteiro Pessôa. Professor do IFF-Guarus, lutava desde o início do ano contra um câncer no intestino. Após o velório, foi sepultado às 16h de ontem no Campo da Paz. A quem o conheceu, como professor e cidadão, João impressionava pelo conhecimento enciclopédico de História e geopolítica, da Antiguidade à Idade Contemporânea. Politicamente progressista, era crítico aos erros dos 13 anos do PT no poder, assim como à disrupção cognitiva causada no país pelo bolsonarismo. Apagada precocemente, a luz do seu pensamento espargia trevas. E fará muita falta a Campos.

 

Jair Bolsonaro

Trevas acesas

Nas trevas que dominam o debate público do Brasil, o presidente Jair Bolsonaro (PL) usou a estrutura do governo para convocar embaixadores na segunda (18) e repetir mentiras sobre o sistema eleitoral. O mesmo que elegeu Bolsonaro e seus filhos. Além de gerar condenação de pessoas e instituições públicas, no país e no mundo, aliados do presidente classificaram sua iniciativa como tiro no pé. Enquanto espera, nas pesquisas de agosto, o reflexo da chegada dos 41,2 bilhões da sua PEC Kamikaze à população, Bolsonaro radicalizou o discurso golpista. Que pesquisas do próprio PL já registraram ser encarado pela maioria do eleitorado como choro de perdedor.

 

Publicado hoje na Folha da Manhã.

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 2 comentários

  1. Só para informar (trecho excluído pela moderação) que o Bolsonaro já está eleito no Primeiro Turno e que o Pré candidato a Deputado Estadual que vai dar trabalho é o David Loureiro que contará com o apoio de toda família Garotinho,menos o Wladimir!!!

    1. Aluysio Abreu Barbosa

      Caro Cláudio Emílio França da Silva,

      Se for esperar a (re)eleição no primeiro turno de Bolsonaro, atrás de Lula em todas as pesquisas para o primeiro e segundo turnos, David Loureiro está lascado. Mais seguro ele contar com apoio menos delirante do que o seu.

      Grato pela chance de ressaltar o óbvio!

      Aluysio

Deixe um comentário